Biografia de Adolf Hitler, o líder da Alemanha nazista

Biografia de Adolf Hitler, o líder da Alemanha nazista

o Século XX Destaca-se por ter contido um grande número de figuras e personagens relevantes. Um dos mais importantes foi Adolf Hitler, que teria um grande impacto na sociedade ocidental, na forma de conceber a guerra e nas relações entre os diferentes países.

Sua ânsia por vingança e poder o elevou como o líder do Alemanha nazista, auto-batizado como III Reich, e mergulhou a Europa em seus tempos mais sombrios e difíceis com uma doutrina totalitária firme. Só a união da maioria dos países ocidentais poderia pôr fim ao seu reinado de terror.

No entanto, poucas pessoas conhecem o origens do ditador alemão. Adolf Hitler nasceu em 20 de abril de 1889 em Braunau (Áustria) dentro de uma família rica. Seu pai era funcionário da alfândega e não pertencia a nenhum círculo social relevante. Ele não se destacou especialmente pelos estudos, mas pelo contrário.

Mudou-se para viena depois de deixar os estudos da Realschule (Alemão equivalente à preparação para formação profissional) para tentar ter sucesso como artista. Ele foi reprovado duas vezes no vestibular para a Academia de Belas Artes de Viena e decidiu viver de empregos temporários, além do pouco dinheiro que ganhava com a venda de cartões postais. Sua estada na capital austríaca marcou o início do sentimento anti-semita que guiaria sua futura política social. Eles seriam o prolegômeno do que, ao longo dos anos, se tornaria seu partido e sua doutrina pessoal.

Esta situação continuaria até eclosão da Primeira Guerra Mundial, que na época era conhecido como o Grande guerra, quando se alistou no Exército Austríaco da Baviera em 1914. Ele teve um papel de destaque no Exército Alemão e foi então que suas idéias começaram a amadurecer. Com a assinatura de armistício Em 1918, Hitler começou a lançar seu Mensagens políticas contra social-democratas e marxistas, e se apropriou do "Dolchstoßlegende” (Lenda da facada por trás).

Esta lenda culpou os líderes socialistas por trair os cidadãos e o exército. De qualquer forma, foi a guerra que salvou Adolf Hitler de uma vida precária, sem perspectiva de melhora no futuro.

Durante o período entre guerras iria produzir sua ascensão ao poder na Alemanha. Mas não só uma promoção política, mas também pessoal. Hitler ficou conhecido como um agitador e em 1920 ele se juntou ao “Deutsche Arbeiter-Partei”(Partido dos Trabalhadores Alemães), que se destacou por ser um partido político Nacionalista alemão, anti-semita e anti-capitalista.

Apenas um ano depois, ele assumiu o cargo de porta-voz e líder daquele grupo. Uma de suas primeiras medidas foi a mudança de nome. Ele escolheu batizá-lo como "Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei"(Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães).

Uma das primeiras medidas deste novo partido foi o criação do "Ordnungsdienst". Era uma espécie de serviço voluntário responsável pela segurança das conferências e reuniões partidárias. Consistia em soldados com experiência no campo de batalha e que gozavam de excelente preparação física. Este serviço entraria para a história conhecido como “Sturmabteilung"Ou"SA”(Seções de assalto).

Pouco a pouco, Hitler estava ganhando relevância social em comícios de massa e em reuniões de massa (geralmente em cervejarias, era a norma na época). Ele emergiu como um excelente orador que convenceu a todos com seus argumentos. Seu objetivo era tomar o poder em Munique e, consequentemente, na Baviera e em toda a Alemanha.

Porém, em 9 de novembro de 1923, foi preso naquela cidade por causa do Putsch da Cervejaria, também conhecido como “Hitlerputsch” (Golpe de Hitler) Ele foi condenado a 13 meses de prisão.

Sua permanência na prisão é o que acabaria dando forma a todos os seus ideais. Não só pessoalmente, mas também a nível partidário, uma vez que todos os seus seguidores passaram a vê-lo como um mártir que foi preso pela causa. A ideia de "sofredor”Aumentado com redação do livro "Mein Kampf" (My Struggle), em que expôs todos os temas do nacionalismo alemão que considerou corretos.

Ele escreveu sobre a superioridade da raça ariana sobre as raças "impuro, dando especial ênfase à supremacia contra os eslavos e os judeus. Para este último, ele começou a acusá-los de todos os males que assolavam a sociedade. Também tratou do pangermanismo, ou seja, da ideia da criação de uma Grande Nação Alemã que unisse a Áustria e a Alemanha, bem como todos os territórios que outrora pertenceram aos reinos germânicos.

Este ponto é representativo de sua proveniência austríaca. Alguns historiadores afirmam que ele fez isso para, de alguma forma, validar sua descendência não alemã. Claro, todo o livro contém slogans contra o comunismo, socialismo e parlamentarismo. Diante desses conceitos, ele coloca o culto à força e à violência, e faz um claro pedido de desculpas à guerra para se vingar, sobretudo, da França.

Uma vez libertado, Hitler tornou-se muito mais radical do que nunca. Em 1925, ele fortaleceu seu partido criando o “Schutzstaffel"Ou"H.H” (Esquadrões de defesa) Era uma organização política, militar e policial que se encarregaria de garantir a defesa do partido. Grupos sociais como o “Hitlerjugend”(Juventude Hitlerista) e grupos para mulheres. Tudo para reforçar duas ideias: a figura de Hitler como líder e os ideais do partido.

A difícil situação econômica o que foi criado de 1929 facilitou o ascensão ao poder do NSDAP (Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães) e, como é lógico, da figura de Adolf Hitler. A Alemanha estava em uma crise muito maior do que o resto do mundo, pois não só o sistema financeiro entrou em colapso, mas também ainda devia muitos milhões de marcos aos aliados da Primeira Guerra Mundial em custos de reparo.

A França não havia facilitado as condições do Tratado de Versalhes, se não todo o contrário. O Governo do República de Weimar Ele não fez nada para evitar isso, então Hitler e os outros líderes de partidos extremistas tiveram extrema facilidade para convencer a população da necessidade de mudança. A propaganda de Goebbels e Hitler Aos poucos, abriria espaço na sociedade para gerar desconfiança em relação a problemas inexistentes.

A mudança viria em 1932, quando o NSDAP conseguiu vencer grande parte das eleições em toda a Alemanha, tornando-se a primeira festa do país. Com a ajuda de Franz von Papen, o então chanceler, Hitler se tornou o novo chanceler em 1933.

Em 1934, o futuro ditador alemão eliminou seus inimigos políticos dentro e fora de seu próprio partido e as SA no Noite das Facas Longas (Operação Beija-flor) Finalmente, após a morte do presidente Hindenburg naquele mesmo ano, Hitler se autoproclamou Reichsführer da Alemanha.

Aqui é onde o dele estágio político, no qual se deve notar que executou a ideologia que criou com "Mein Kampf". Ele acionou a polícia estadual, a qual ligaria Gestapo, e que ele usaria para encontrar todos aqueles que eram contra ele ou o regime. Também começou com o chamado "Endlösung”(Solução Final), ou seja, com o Holocausto judeu. Qualquer um que fosse judeu ou tivesse sangue judeu seria aniquilado. Para isso, ele criou um grande número de Campos de concentracao e os "Blutschutzgesetze”(Leis para a Proteção do Sangue).

No plano da política externa, ele começou seu expansionismo europeu buscando criar o estado pan-germânico que ele havia descrito em seu livro, bem como acabar com as demandas do Tratado de Versalhes. Em 1939 a guerra contra a Polônia começou e, 6 anos depois, terminou perdendo a segunda guerra mundial. O início da guerra contou com o famoso Blitztkriege (Guerras Relâmpago) e campanhas rápidas que visavam a conquistas em tempo recorde. Até o impasse da guerra em 1943 e a entrada dos Estados Unidos, eles funcionaram. Então pouco a pouco Alemanha caiu para trás.

De acordo com a versão oficial, Adolf Hitler cometeu suicídio no bunker em que estava escondido em Berlim em 1945. Um ano antes, ele havia sido alvo de um ataque interno no Operação Valquíria, então ele desconfiava de seu círculo mais próximo. Mas foi só no final, quando os aliados penetraram na cidade, que o ditador que espalhou o pânico e a guerra pela Europa decidiu se suicidar na total solidão de seu bunker.

Seu suicídio foi a forma de evitar qualquer condenação por parte dos aliados e uma tentativa de manter sua honra pessoal intacta. Foi o fim de um dos maiores genocídios do mundo, que ascendeu democraticamente ao poder em um país tão avançado como a Alemanha e que levou o velho continente a um estado de destruição e morte sem precedentes na história.

Apaixonado por História, é formado em Jornalismo e Comunicação Audiovisual. Desde pequeno amou História e acabou por explorar os séculos XVIII, XIX e XX sobretudo.


Vídeo: Resumo de História: NAZISMO e FASCISMO - Período entre Guerras Débora Aladim