Tumba megalítica de 4.000 anos na Espanha vandalizada com referências a Harry Potter

Tumba megalítica de 4.000 anos na Espanha vandalizada com referências a Harry Potter

Um vândalo desfigurou um belo espécime de um antigo túmulo de dolmen, feito de grandes lajes de rocha, em Vigo, Galiza, Espanha. O vândalo do graffiti pintou com spray a palavra “Sempre” e símbolos misteriosos, ambas referências aos filmes de Harry Potter.

De acordo com o site Olive Press, a anta da Casa dos Mouros é uma das principais atracções turísticas de Vigo. O prefeito Oscar Dominguez claramente não estava muito preocupado com o grafite, dizendo a Olive Press: “Talvez J.K. Rowling apareceu para promover seu último spin-off. De qualquer forma, está claro que o graffiti foi realizado por um amador no mundo da magia. ”

A Sra. Rowling, autora da série de livros Harry Potter, tem um novo filme que estreou no início de novembro, Animais fantásticos e onde encontrá-los.

Olive Press explica o símbolo misterioso que o grafiteiro pintou em uma pedra vertical do dolmen:

O motivo das Relíquias da Morte, do sétimo romance de Harry Potter, simboliza o desejo de morte de três irmãos: uma maneira de escapar da morte (a camada de invisibilidade); uma pedra para ressuscitar os mortos (a pedra da ressurreição) e a varinha mais poderosa de todas, uma varinha mais velha.

A idade estimada do dolmen é de 4.000 anos, o que colocaria sua construção durante a Idade da Pedra. A única coisa que falta ao dolmen da Casa dos Mouros é a pedra que teria ficado no topo do monumento.

Não havia linguagem escrita na época em que as antas e outros tipos de tumbas e estruturas de pedra foram construídas em toda a Espanha, Europa e grande parte do mundo, então muitos arqueólogos presumem que sua finalidade era o enterro. Restos humanos foram encontrados em dolmens. No entanto, também é altamente possível que este fosse um uso secundário para uma estrutura já existente. Quaisquer rituais ou festividades que possam estar associados a eles são perdidos no tempo.

O dolmen La Casa Dos Mouros antes de ser vandalizado (Foto: galiciapuebloapueblo.blogspot.com)

Em Antequera, uma região da Espanha, a UNESCO concedeu às antas o status de Patrimônio Mundial no verão passado.

Expatica.com diz sobre os dolmens de Antequera:

O posicionamento específico [do dolmen Menga] teria tido importância mística para as tribos pré-históricas que o construíram. Acredita-se que os arquitetos eram agricultores que residiram no vale de Guadalhorce durante o período Neolítico e a idade do cobre. Teria sido necessário o esforço conjunto de várias comunidades para obter e transportar as pedras e concluir as construções. Eles permaneceram incrivelmente intactos, tendo sido construídos pelo menos 5.000 anos atrás.

A distribuição de pedras monolíticas e círculos de pedra do período Neolítico na Europa. (Mapa por Cromwell)

Em 2015, Ancient Origins fez uma reportagem especial, ‘Legends say Mysterious Women Built the Megaliths of Portugal’, um país vizinho da Espanha na Península Ibérica. Esse artigo, que apresentou informações da estudiosa de arqueologia Henna Lindström, da Universidade de Helsinque, na Finlândia, afirma:

Europeus pré-históricos contaram lendas sobre poderosas e misteriosas fabricantes de tumbas de pedra europeias chamadas antas e cromeleques. Por um lado, dizia-se que conferiam riquezas e fertilidade aos indivíduos, e dons fantásticos, como fazer cerveja e fazer agricultura; tudo o que queriam em troca era um pouco de leite. Por outro lado, eles foram descritos como cobras zangadas guardadas por touros, amaldiçoando as pessoas e acumulando o próprio ouro do sol. Elas eram imaginadas como belas mulheres-cobra ou touro de casco fendido, que guardavam as antas e podiam falar com os mortos, girar os raios do sol e até mesmo criar o mundo.

Uma vez que o dolmen de La Casa dos Mouros durou pelo menos 2.000 anos, é provável que durará muitos anos mais e os elementos e o tempo irão desgastar a pintura do vândalo e, eventualmente, não deixar nenhum vestígio de todo o grafite.

Imagem em destaque: O graffiti vândalo de símbolos arcanos pintados com spray e a palavra “Sempre” e o símbolo <3 (um emoticon para “coração”), alguns dos quais são referências à série de filmes Harry Potter. (Capturas de tela do vídeo de Site da La Voz de Galicia )

Por Mark Miller


    Círculos de pedra nas Ilhas Britânicas e na Bretanha

    o círculos de pedra nas Ilhas Britânicas e na Bretanha são uma tradição megalítica de monumentos que consistem em pedras eretas dispostas em anéis. Estes foram construídos de 3300 a 900 AC na Grã-Bretanha, Irlanda e Bretanha. [2] Estima-se que cerca de 4.000 desses monumentos foram originalmente construídos nesta parte do noroeste da Europa durante este período. [2] Cerca de 1.300 deles foram registrados, os outros foram destruídos. [3]

    Embora os círculos de pedra tenham sido erguidos ao longo da história por uma variedade de sociedades e por uma variedade de razões, no final do Neolítico e no início da Idade do Bronze, esta tradição particular foi limitada à Grã-Bretanha, Irlanda e a área vizinha da Europa continental agora conhecida como Bretanha. Os anéis não foram distribuídos igualmente por esta área, mas se concentraram em várias regiões montanhosas: nordeste e centro da Escócia, Lake District, sudoeste da península da Inglaterra e norte e sudoeste da Irlanda. Os agrupamentos de Sparser também podem ser encontrados em Caithness, Outer Hebrides, Peak District, Wicklow Mountains, Wales e Wessex. [3]

    Seu propósito original não é totalmente conhecido, mas a investigação arqueológica lançou alguma luz sobre ele. É amplamente considerado que eles serviam a um propósito ritual ou cerimonial, particularmente em relação aos alinhamentos solar e / ou lunar. Em uma minoria de casos, alguns também foram usados ​​como cemitérios, com enterros sendo feitos dentro e ao redor do círculo.

    A investigação dos antiquários nos círculos começou no período moderno inicial, intensificando-se após as publicações do notável antiquário inglês William Stukeley no século XVIII. Na época, os estudiosos entendiam pouco da Grã-Bretanha pré-histórica, com os círculos megalíticos sendo tipicamente atribuídos aos druidas da Idade do Ferro ou aos colonos dinamarqueses do início da Idade Média.

    No século 20, com o desenvolvimento da arqueologia, os arqueólogos puderam investigar os círculos com mais detalhes. Eles dataram do Neolítico Final e da Idade do Bronze. Desde o final do século 20, muitos desses monumentos foram adotados como "locais sagrados" por adeptos de religiões pagãs contemporâneas, como o neo-druidismo, a Wicca e o movimento da Deusa, e eles usaram os locais como locais para realizar seus ritos mágico-religiosos.


    • ∼320.000 a 305.000 anos atrás: Populações em Olorgesailie, no sul do Quênia, passam por melhorias tecnológicas na fabricação de ferramentas e se envolvem no comércio de longa distância. [1]
    • 315.000 anos atrás: data aproximada de aparecimento de Homo sapiens (Jebel Irhoud, Marrocos).
    • 270.000 anos atrás: idade do haplogrupo A00 do Y-DNA ("Adão do cromossomo Y").
    • 250.000 anos atrás: primeira aparição de Homo neanderthalensis (Crânios Saccopastore).
    • 250.000–200.000 anos atrás: presença humana moderna na Ásia Ocidental (caverna Misliya em Israel).
    • 230.000-150.000 anos atrás: idade do haplogrupo L do mt-DNA ("Eva mitocondrial").
    • 210.000 anos atrás: presença humana moderna no sudeste da Europa (Apidima, Grécia). [2]
    • 200.000 anos atrás: o mais antigo forro de grama conhecido, incluindo plantas repelentes de insetos e camadas de cinzas abaixo (possivelmente para uma base isolada e livre de sujeira e para afastar os artrópodes). [3] [4] [5]
    • 195.000 anos atrás: Omo permanece (Etiópia). [6]
    • 170.000 anos atrás: os humanos estão usando roupas nesta data. [7]
    • ∼164.000 anos atrás: os humanos expandiram sua dieta para incluir os recursos marinhos [8]
    • 160.000 anos atrás: Homo sapiens idaltu.
    • 150.000 anos atrás: Povoamento da África: separação Khoisanid, idade do haplogrupo L0 do mtDNA.
    • 125.000 anos atrás: pico do período interglacial Eemiano.

    "Epipaleolítico" ou "Mesolítico" são termos para um período de transição entre o Último Máximo Glacial e a Revolução Neolítica nas culturas do Velho Mundo (eurasianas).

    • 67.000–40.000 anos atrás: mistura de Neandertal com eurasianos.
    • 50.000 anos atrás: primeira agulha de costura encontrada. Fabricado e usado por Denisovans. [19]
    • 50.000–30.000 anos atrás: Mousterian Pluvial no Norte da África. A região do deserto do Saara é úmida e fértil. Mais tarde, a Idade da Pedra começa na África.
    • 45.000–43.000 anos atrás: primeiros humanos modernos europeus. [20]
    • 45.000–40.000 anos atrás: culturas de Châtelperronian na França. [21]
    • 42.000 anos atrás: evento Laschamps, uma excursão geomagnética com grandes implicações para os humanos da época. [22] [23]
    • 42.000 anos atrás: flautas paleolíticas na Alemanha. [24]
    • 42.000 anos atrás: as primeiras evidências de tecnologia avançada de pesca em alto mar no local da caverna de Jerimalai em Timor-Leste - demonstra habilidades marítimas de alto nível e, por implicação, a tecnologia necessária para fazer travessias oceânicas para chegar à Austrália e outras ilhas, enquanto estavam pegando e consumindo grande número de peixes grandes de águas profundas, como o atum. [25] [26]
    • 41.000 anos atrás: Denisova hominíneo vive nas montanhas Altai.
    • 40.000 anos atrás: extinção do Homo neanderthalensis. [21]
    • 40.000-30.000 anos atrás: Primeiros assentamentos humanos formados por aborígenes australianos em várias áreas que são hoje as cidades de Sydney, [29] [30] Perth [31] e Melbourne. [32]
    • 40.000–20.000 anos atrás: a cremação ritual mais antiga conhecida, a Senhora Mungo, no Lago Mungo, Austrália.
    • 35.000 anos atrás: a mais antiga arte figurativa conhecida de uma figura humana em oposição a uma figura zoomórfica (Vênus de Hohle Fels).
    • 33.000 anos atrás: as primeiras evidências de humanóides na Irlanda [33]
    • 31.000–16.000 anos atrás: Último máximo glacial (pico em 26.500 anos atrás).
    • 30.000 anos atrás: a tradição das pinturas rupestres começa nos abrigos de rochas Bhimbetka na Índia, que atualmente como uma coleção é a mais densa concentração conhecida de arte rupestre. Em uma área de cerca de 10 km 2, existem cerca de 800 abrigos de rocha, dos quais 500 contêm pinturas. [34]
    • 29.000 anos atrás: Os primeiros fornos encontrados.
    • 28.500 anos atrás: a Nova Guiné é habitada por colonos da Ásia ou da Austrália. [35]
    • 28.000 anos atrás: a corda torcida mais antiga conhecida.
    • 28.000–24.000 anos atrás: a cerâmica mais antiga conhecida - usada para fazer estatuetas em vez de recipientes de cozinha ou armazenamento (Vênus de Dolní Věstonice).
    • 28.000–20.000 anos atrás: Período Gravettiano na Europa. Arpões e serras inventados.
    • 26.000 anos atrás: pessoas em todo o mundo usam fibras para fazer porta-bebês, roupas, bolsas, cestos e redes.
    • 25.000 anos atrás: uma aldeia consistindo de cabanas construídas com rochas e ossos de mamute foi fundada no que hoje é Dolní Věstonice, na Morávia, na República Tcheca. Este é o assentamento humano permanente mais antigo que já foi encontrado por arqueólogos. [36]
    • 24.000 anos atrás: evidências sugerem que humanos viviam no Alasca e em Yukon na América do Norte. [37]
    • 21.000 anos atrás: artefatos sugerem que as primeiras atividades humanas ocorreram em Canberra, a capital da Austrália. [38]
    • 20.000 anos atrás: cultura Kebaran no Levante: início do Epipalaeolítico no Levante
    • 20.000 anos atrás: armazenamento de cerâmica ou recipientes de cozinha mais antigos da China.
    • 20.000 anos atrás: data mais antiga teorizada de desenvolvimento de roupas de pele tradicionais Inuit [39]
    • 20.000–10.000 anos atrás: Expansão Khoisanid para a África Central. [14]
    • 20.000–19.000 anos atrás: primeiro uso de cerâmica, na caverna Xianren, China.
    • 18.000-12.000 anos atrás: Embora as estimativas variem amplamente, os estudiosos acreditam que o afro-asiático era falado como uma única língua nessa época. [40]
    • 16.000–14.000 anos atrás: Homem Minatogawa (fenótipo proto-mongolóide) em Okinawa, Japão
    • 16.000–13.000 anos atrás: primeira migração humana para a América do Norte.
    • 16.000–11.000 anos atrás: Expansão do Caçador-Coletor do Cáucaso para a Europa.
    • 16.000 anos atrás: Wisent (bisão europeu) esculpido em argila nas profundezas da caverna agora conhecida como Le Tuc d'Audoubert nos Pirenéus franceses, perto do que hoje é a fronteira com a Espanha. [41]
    • 15.000–14.700 anos atrás (13.000 aC a 12.700 aC): Data suposta mais antiga para a domesticação do porco.
    • 14.800 anos atrás: O período úmido começa no norte da África. A região que mais tarde se tornaria o Saara é úmida e fértil, e os aqüíferos estão cheios. [42]
    • 14.500-11.500: pessoas da caverna do veado vermelho na China, possível sobrevivência tardia de humanos híbridos arcaicos ou arcaico-modernos.
    • 14.200 anos atrás: O mais antigo dos restos mortais de um cão doméstico pertence ao cão Bonn-Oberkassel que foi enterrado com dois humanos.
    • 14.000–12.000 anos atrás: Evidência mais antiga da guerra pré-histórica (Jebel Sahaba, cultura natufiana).
    • 13.000–10.000 anos atrás: Fim do Máximo Glacial, fim do Último Período Glacial, aquecimento do clima, redução das geleiras.
    • 13.000 anos atrás: Um grande surto de água ocorreu no Lago Agassiz, que na época poderia ter sido do tamanho do atual Mar Negro e o maior lago da Terra. Grande parte do lago é drenado no Oceano Ártico pelo rio Mackenzie.
    • 13.000–11.000 anos atrás: datas mais antigas sugeridas para a domesticação das ovelhas.
    • 12.900-11.700 anos atrás: The Younger Dryas, um período de resfriamento repentino e retorno às condições glaciais.
    • c.12.000 anos atrás: Erupções vulcânicas nas montanhas Virunga bloquearam o fluxo do lago Kivu para o lago Edward e o sistema do Nilo, desviando a água para o lago Tanganica. O comprimento total do Nilo é encurtado e a superfície do Lago Tanganica é aumentada.
    • 12.000 anos atrás: datas mais antigas sugeridas para a domesticação da cabra.

    Os termos "Neolítico" e "Idade do Bronze" são específicos de uma cultura e estão limitados principalmente às culturas do Velho Mundo. Muitas populações do Novo Mundo permanecem no estágio cultural mesolítico até o contato europeu no período moderno.


    2. Kinsale

    A apenas 15 milhas ao sul de Cork, esta cidade pesqueira é a capital gourmet da Irlanda, o que é motivo suficiente para ir imediatamente para lá e começar a comer. It & rsquos repleto de restaurantes e bares de frutos do mar incríveis e há um festival de comida anual, que ocorre todo mês de outubro. Mesmo se você não visitar durante o festival, ainda poderá desfrutar dos fantásticos cafés, pubs e restaurantes pop-up, bem como do porto repleto de iates, charmosas ruas estreitas e uma variedade de butiques e galerias de arte.


    Conteúdo

    Embora ela escreva sob o pseudônimo de J. K. Rowling, antes de seu novo casamento, seu nome era Joanne Rowling. Seus editores pediram que ela usasse duas iniciais em vez de seu nome completo, antecipando a possibilidade do público-alvo de meninos não querer ler um livro escrito por uma mulher. [17] Como ela não tinha nome do meio, ela escolheu K (para Kathleen) como a segunda inicial de seu pseudônimo, de sua avó paterna. [17] Ela se chama Jo. [18] Após seu novo casamento, ela às vezes usou o nome de Joanne Murray ao conduzir negócios pessoais. [19] [20] Durante o inquérito Leveson, ela deu depoimento sob o nome de Joanne Kathleen Rowling [21] e sua entrada em Quem é quem lista seu nome também como Joanne Kathleen Rowling. [22]

    Nascimento e familia

    Joanne Rowling nasceu em 31 de julho de 1965 [23] [24] em Yate, Gloucestershire, [25] [26] filha de Anne (nascida Volant), uma técnica científica, e Peter James Rowling, um engenheiro de aeronaves da Rolls-Royce. [27] [28] Seus pais se conheceram em um trem partindo da estação King's Cross com destino a Arbroath em 1964. [29] Eles se casaram em 14 de março de 1965. [29] Um dos bisavôs maternos de Rowling, Dugald Campbell, era um Homem escocês de Lamlash. [30] [31] O avô paterno francês de sua mãe, Louis Volant, [32] foi condecorado com a Cruz de Guerra por bravura excepcional em defender a vila de Courcelles-le-Comte durante a Primeira Guerra Mundial. Rowling originalmente acreditava que Volant havia ganhado a Legião dos Honra durante a guerra, como ela mesma disse quando a recebeu em 2009. Mais tarde, ela descobriu a verdade em um episódio da série genealógica do Reino Unido Quem você pensa que é? no qual ela descobriu que foi um Louis Volant diferente que ganhou a Legião de Honra. Quando ela ouviu a história de bravura de seu avô e descobriu que a Cruz de Guerra era para soldados "comuns" como seu avô, que tinha sido um garçom, ela afirmou que a Cruz de Guerra era "melhor" para ela do que a Legião de Honra. [33] [34]

    Infância

    A irmã de Rowling, Dianne [7], nasceu em sua casa quando Rowling tinha 23 meses. [26] A família mudou-se para a vila próxima de Winterbourne quando Rowling tinha quatro anos. [35] Quando criança, Rowling freqüentemente escrevia histórias de fantasia que ela freqüentemente lia para sua irmã. [1] Aos nove anos, Rowling mudou-se para Church Cottage no vilarejo Gloucestershire de Tutshill, perto de Chepstow, País de Gales. [26] Quando ela era uma jovem adolescente, sua tia-avó deu a ela uma cópia da autobiografia de Jessica Mitford, Hons e rebeldes. [36] Mitford se tornou a heroína de Rowling, e Rowling leu todos os seus livros. [37]

    Rowling disse que sua adolescência foi infeliz. [27] Sua vida familiar foi complicada pelo diagnóstico de sua mãe com esclerose múltipla [38] e uma relação tensa com seu pai, com quem ela não se fala. [27] Rowling disse mais tarde que ela baseou o personagem de Hermione Granger em si mesma quando ela tinha onze anos. [39] Sean Harris, seu melhor amigo no Upper Sixth, possuía um Ford Anglia turquesa que, segundo ela, inspirou uma versão voadora que apareceu em Harry Potter ea Câmara Secreta. [40] Como muitos adolescentes, ela se interessou por rock, ouvindo The Clash, [41] The Smiths e Siouxsie Sioux, adotando o visual deste último com cabelo penteado para trás e delineador preto, um look que ela ainda usava ao começar a universidade. [29]

    Educação

    Quando criança, Rowling frequentou a St Michael's Primary School, uma escola fundada pelo abolicionista William Wilberforce e pela reformadora educacional Hannah More. [42] [43] Seu diretor no St Michael's, Alfred Dunn, foi sugerido como a inspiração para o Harry Potter diretor Albus Dumbledore. [44] Ela frequentou a escola secundária na Wyedean School and College, onde sua mãe trabalhava no departamento de ciências.[28] Steve Eddy, seu primeiro professor de inglês na escola secundária, lembra-se dela como "não excepcional", mas "uma de um grupo de meninas que eram brilhantes e muito boas em inglês". [27] Rowling teve níveis A em Inglês, Francês e Alemão, alcançando dois As e um B [29] e foi monitora-chefe. [27]

    Rowling se formou em Francês e Clássicos na Universidade de Exeter. [45] [46] [47] Martin Sorrell, um professor francês em Exeter, lembra-se de "um aluno discretamente competente, com uma jaqueta jeans e cabelo escuro, que, em termos acadêmicos, parecia estar fazendo o que era necessário". [27] Rowling se lembra de ter feito pouco trabalho, preferindo ler Dickens e Tolkien. [27] Após um ano de estudos em Paris, Rowling se formou em Exeter em 1986. [27] Em 1988, Rowling escreveu um pequeno ensaio sobre seu tempo estudando Clássicos intitulado "Qual era o nome daquela ninfa de novo? Ou Estudos Gregos e Romanos Recordou "foi publicado pela revista da Universidade de Exeter Pegasus. [48]

    Inspiração e morte da mãe

    Rowling trabalhou como pesquisadora e secretária bilíngüe em Londres para a Amnistia Internacional, [49] depois mudou-se com o namorado para Manchester [26], onde trabalhou na Câmara de Comércio. [29] Em 1990, ela estava em uma viagem de trem de quatro horas atrasada de Manchester a Londres quando a ideia "veio totalmente formada" em sua mente para a história de um menino que frequentava uma escola de magia. [26] [50] Quando ela chegou a seu apartamento em Clapham Junction, ela começou a escrever imediatamente. [26] [51]

    Em dezembro de 1990, a mãe de Rowling, Anne, morreu após dez anos sofrendo de esclerose múltipla. [26] Rowling estava escrevendo Harry Potter na época e nunca tinha contado a sua mãe sobre isso. [20] A morte de sua mãe afetou fortemente a escrita de Rowling, [20] e ela canalizou seus próprios sentimentos de perda ao escrever sobre a dor de Harry em maiores detalhes no primeiro livro. [52]

    Casamento, divórcio e paternidade solteira

    Um anúncio em O guardião [29] levou Rowling a se mudar para Porto, Portugal, para ensinar inglês como língua estrangeira. [7] [37] Ela ensinava à noite e começava a escrever durante o dia enquanto ouvia o Concerto para violino de Tchaikovsky. [27] Depois de 18 meses no Porto, ela conheceu o jornalista de televisão português Jorge Arantes em um bar, e descobriu que eles compartilhavam um interesse em Jane Austen. [29] Eles se casaram em 16 de outubro de 1992, e sua filha Jessica Isabel Rowling Arantes (em homenagem a Jessica Mitford) nasceu em 27 de julho de 1993 em Portugal. [29] Ela já havia sofrido um aborto espontâneo. [29] O casal se separou em 17 de novembro de 1993. [29] [53] Biógrafos sugeriram que Rowling sofreu violência doméstica durante seu casamento, [29] [54] que Rowling confirmou mais tarde [55] Arantes afirmou em um artigo para O sol em junho de 2020 que ele a esbofeteou e não se arrependeu. [56] A comissária de violência doméstica do Reino Unido, Nicole Jacobs, aconselhou formalmente O sol que era inaceitável "repetir e engrandecer a voz de quem admite abertamente a violência contra o parceiro". [57] Em dezembro de 1993, Rowling e sua filha se mudaram para Edimburgo, Escócia, para ficar perto da irmã de Rowling [26] com três capítulos de Harry Potter em sua mala. [27]

    Sete anos depois de se formar na universidade, Rowling se viu como um fracasso. [58] Seu casamento fracassou e ela estava desempregada com um filho dependente, mas ela descreveu seu fracasso como "libertador" e permitindo que ela se concentrasse na escrita. [58] Durante este período, ela foi diagnosticada com depressão clínica e pensou em suicídio. [59] Sua depressão inspirou os personagens conhecidos como Dementadores, criaturas sugadoras de almas apresentadas no terceiro livro. [60] Rowling se inscreveu para benefícios de bem-estar, descrevendo sua situação econômica como "pobre como é possível ser na Grã-Bretanha moderna, sem ser sem-teto." [27] [58]

    Rowling ficou em desespero depois que seu ex-marido chegou à Escócia, procurando por ela e sua filha. [29] Ela obteve uma Ordem de Restrição, e Arantes voltou a Portugal, com Rowling pedindo o divórcio em agosto de 1994. [29] Ela começou um curso de formação de professores em agosto de 1995 na Moray House School of Education na Universidade de Edimburgo, [61] ] depois de terminar seu primeiro romance enquanto vivia de benefícios do Estado. [62] Ela escreveu em muitos cafés, especialmente Nicolson's Café (propriedade de seu cunhado) [63] [64] e a Casa do Elefante, [65] onde quer que ela pudesse fazer Jessica adormecer. [26] [66] Em uma entrevista à BBC de 2001, Rowling negou o boato de que ela escreveu em cafés locais para escapar de seu apartamento sem aquecimento, apontando que tinha aquecimento. Afirmou que escrevia em cafés porque havia café sem interromper o fluxo da escrita e que levar o filho para passear a ajudava a adormecer. [66] [67]

    Harry Potter

    Em 1995, Rowling terminou seu manuscrito para Harry Potter e a Pedra Filosofal que foi digitado em uma velha máquina de escrever manual. [69] Após a resposta entusiástica de Bryony Evens, uma leitora que foi solicitada a revisar os três primeiros capítulos do livro, a Christopher Little Literary Agency, sediada em Fulham, concordou em representar Rowling em sua busca por uma editora. O livro foi submetido a doze editoras, todas as quais rejeitaram o manuscrito. [29] Um ano depois, ela finalmente recebeu luz verde (e um adiantamento de £ 1.500) do editor Barry Cunningham da Bloomsbury, uma editora em Londres. [29] [70] A decisão de publicar o livro de Rowling deve muito a Alice Newton, a filha de oito anos do presidente da Bloomsbury, que recebeu o primeiro capítulo para revisar por seu pai e imediatamente exigiu o próximo. [71] Embora Bloomsbury tenha concordado em publicar o livro, Cunningham diz que aconselhou Rowling a conseguir um emprego diurno, já que ela tinha poucas chances de ganhar dinheiro com livros infantis. [72] Logo depois, em 1997, Rowling recebeu uma doação de £ 8.000 do Scottish Arts Council para que pudesse continuar escrevendo. [73]

    Em junho de 1997, a Bloomsbury publicou Pedra filosofal com tiragem inicial de 1.000 exemplares, 500 dos quais foram distribuídos às bibliotecas. Hoje, essas cópias estão avaliadas entre £ 16.000 e £ 25.000. [74] Cinco meses depois, o livro ganhou seu primeiro prêmio, um Nestlé Smarties Book Prize. Em fevereiro de 1998, o romance ganhou o British Book Award de Livro Infantil do Ano e, posteriormente, o Prêmio Livro Infantil. No início de 1998, foi realizado um leilão nos Estados Unidos pelos direitos de publicação do romance, vencido pela Scholastic Inc., por US $ 105.000. Rowling disse que "quase morreu" quando ouviu a notícia. [75] Em outubro de 1998, a Scholastic publicou Pedra filosofal nos EUA sob o título de Harry Potter e a Pedra Filosofal, uma mudança que Rowling diz que agora se arrepende e teria lutado se estivesse em uma posição melhor na época. [76] Rowling se mudou de seu apartamento com o dinheiro da venda da Scholastic, para o 19 Hazelbank Terrace em Edimburgo. [63]

    Sua sequela, Harry Potter ea Câmara Secreta, foi publicado em julho de 1998 e novamente Rowling ganhou o Prêmio Smarties. [77] Em dezembro de 1999, o terceiro romance, Harry Potter e o prisioneiro de azkaban, ganhou o Prêmio Smarties, tornando Rowling a primeira pessoa a ganhar o prêmio três vezes consecutivas. [78] Mais tarde, ela retirou o quarto Harry Potter romance de contenção para permitir a outros livros uma chance justa. Em janeiro de 2000, Prisioneiro de Azkaban ganhou o prêmio inaugural do Livro do Ano Whitbread para crianças, embora tenha perdido o prêmio de Livro do Ano para a tradução de Seamus Heaney de Beowulf. [79]

    O quarto livro, Harry Potter e o Cálice de Fogo, foi lançado simultaneamente no Reino Unido e nos Estados Unidos em 8 de julho de 2000 e quebrou recordes de vendas em ambos os países, com 372.775 cópias do livro vendidas em seu primeiro dia no Reino Unido, quase igualando o número Prisioneiro de Azkaban vendido durante seu primeiro ano. [80] Nos Estados Unidos, o livro vendeu três milhões de cópias em suas primeiras 48 horas, quebrando todos os recordes. [80] Rowling disse que ela teve uma crise enquanto escrevia o romance e teve que reescrever um capítulo várias vezes para consertar um problema com o enredo. [81] Rowling foi nomeada Autora do Ano no British Book Awards de 2000. [82]

    Uma espera de três anos ocorreu entre o lançamento do cálice de Fogo e o quinto Harry Potter romance, Harry Potter e a Ordem da Fênix. Essa lacuna levou à especulação da imprensa de que Rowling havia desenvolvido bloqueio de escritor, especulações que ela mais tarde negou. [83] Rowling disse mais tarde que escrever o livro foi uma tarefa árdua, que poderia ter sido mais curto, e que ela ficou sem tempo e energia enquanto tentava terminá-lo. [84]

    O sexto livro, Harry Potter e o Príncipe Mestiço, foi lançado em 16 de julho de 2005. Também quebrou todos os recordes de vendas, vendendo nove milhões de cópias nas primeiras 24 horas de lançamento. [85] Em 2006, Príncipe Mestiço recebeu o prêmio Livro do Ano no British Book Awards. [77]

    O título do sétimo e final Harry Potter livro foi anunciado em 21 de dezembro de 2006 como Harry Potter e as Relíquias da Morte. [86] Em fevereiro de 2007, foi relatado que Rowling escreveu em um busto em seu quarto de hotel no Balmoral Hotel em Edimburgo que ela havia terminado o sétimo livro naquele quarto em 11 de janeiro de 2007. [87] Harry Potter e as Relíquias da Morte foi lançado em 21 de julho de 2007 (0:01 BST) [88] e quebrou o recorde de seu antecessor como o livro mais vendido de todos os tempos. [89] Vendeu 11 milhões de cópias no primeiro dia de lançamento no Reino Unido e Estados Unidos. [89] O último capítulo do livro foi uma das primeiras coisas que ela escreveu em toda a série. [90]

    Harry Potter agora é uma marca global com valor estimado em US $ 15 bilhões, [91] e os últimos quatro Harry Potter livros estabeleceram consecutivamente recordes como os livros de venda mais rápida da história. [89] [92] A série, totalizando 4.195 páginas, [93] foi traduzida, no todo ou em parte, em 65 idiomas. [94]

    o Harry Potter os livros também ganharam reconhecimento por despertar o interesse pela leitura entre os jovens, em uma época em que se pensava que as crianças estavam abandonando os livros pelos computadores, televisão e videogames, [95] embora seja relatado que, apesar da enorme aceitação dos livros, o adolescente a leitura continuou a diminuir. [96]

    Harry Potter filmes

    Em outubro de 1998, a Warner Bros. comprou os direitos do filme dos dois primeiros romances por uma quantia de sete dígitos. [97] Uma adaptação cinematográfica de Harry Potter e a Pedra Filosofal foi lançado em 16 de novembro de 2001, e Harry Potter ea Câmara Secreta em 15 de novembro de 2002. [98] Ambos os filmes foram dirigidos por Chris Columbus. A versão cinematográfica de Harry Potter e o prisioneiro de azkaban foi lançado em 4 de junho de 2004, dirigido por Alfonso Cuarón. O quarto filme, Harry Potter e o Cálice de Fogo, foi dirigido por Mike Newell e lançado em 18 de novembro de 2005. O filme de Harry Potter e a Ordem da Fênix foi lançado em 11 de julho de 2007. [98] David Yates dirigiu, e Michael Goldenberg escreveu o roteiro, tendo assumido o cargo de Steve Kloves. Harry Potter e o Príncipe Mestiço foi lançado em 15 de julho de 2009. [99] David Yates dirigiu novamente, e Kloves voltou a escrever o roteiro. [100] Warner Bros. filmou a última parcela da série, Harry Potter e as Relíquias da Morte, em dois segmentos, com a primeira parte sendo lançada em 19 de novembro de 2010 e a segunda parte sendo lançada em 15 de julho de 2011. Yates dirigiu os dois filmes. [101] [102]

    A Warner Bros. notou consideravelmente os desejos de Rowling ao redigir seu contrato. Uma de suas principais estipulações era que os filmes fossem rodados na Grã-Bretanha com um elenco totalmente britânico, [103] que tem sido geralmente respeitado. Rowling também exigiu que a Coca-Cola, a vencedora na corrida para vincular seus produtos à série de filmes, doasse US $ 18 milhões para a instituição de caridade americana Reading Is Fundamental, bem como vários programas comunitários de caridade. [104]

    Steve Kloves escreveu os roteiros de todos, exceto o quinto filme, que Rowling o ajudou no processo de escrita, garantindo que seus roteiros não contradissessem os livros futuros da série. [105] Ela contou a Alan Rickman (Severus Snape) e Robbie Coltrane (Hagrid) certos segredos sobre seus personagens antes de serem revelados nos livros. [106] Daniel Radcliffe (Harry Potter) perguntou a ela se Harry morreu em algum ponto da série Rowling respondeu dizendo, "Você tem uma cena de morte", portanto não respondendo explicitamente à pergunta. [107] O diretor Steven Spielberg foi abordado para dirigir o primeiro filme, mas desistiu. A imprensa repetidamente afirmou que Rowling desempenhou um papel em sua saída, mas Rowling afirmou que ela não tinha voz sobre quem dirigiu os filmes e não teria vetado Spielberg. [108] A primeira escolha de Rowling para o diretor foi Terry Gilliam, membro do Monty Python, mas a Warner Bros. queria um filme familiar e escolheu Columbus. [109]

    Rowling ganhou algum controle criativo sobre os filmes, revisando todos os roteiros [110], bem como atuando como produtora no capítulo final de duas partes, Relíquias da Morte. [111]

    Rowling, os produtores David Heyman e David Barron, junto com os diretores David Yates, Mike Newell e Alfonso Cuarón receberam o Prêmio Michael Balcon de Melhor Contribuição Britânica para o Cinema no British Academy Film Awards 2011 em homenagem ao Harry Potter franquia de filmes. [112]

    Em setembro de 2013, a Warner Bros. anunciou uma "parceria criativa expandida" com Rowling, baseada em uma série de filmes planejados sobre seu personagem Newt Scamander, autor de Animais fantásticos e onde encontrá-los. O primeiro filme foi lançado em novembro de 2016 e se passa cerca de 70 anos antes dos eventos da série principal. [113] Em 2016, foi anunciado que a série seria composta por cinco filmes. O segundo, Animais fantásticos: os crimes de Grindelwald, foi lançado em novembro de 2018. [114]

    Sucesso financeiro

    Em 2004, Forbes nomeou Rowling como a primeira pessoa a se tornar uma bilionária de dólares americanos escrevendo livros, [115] a segunda artista feminina mais rica e a 1.062ª pessoa mais rica do mundo. [116] [117] Rowling contestou os cálculos e disse que tinha muito dinheiro, mas não era bilionária. [11] 2021 Sunday Times Rich List estimou a fortuna de Rowling em £ 820 milhões, classificando-a como a 196ª pessoa mais rica do Reino Unido. [14] Depois de passar oito anos na lista, em 2012 Forbes removeu Rowling de sua lista de ricos, alegando que seus US $ 160 milhões em doações de caridade e a alta taxa de impostos no Reino Unido significavam que ela não era mais uma bilionária. [118] Em fevereiro de 2013, ela foi avaliada como a 13ª mulher mais poderosa do Reino Unido por Hora da mulher na BBC Radio 4. [119]

    Rowling adquiriu o título de cortesia de Laird of Killiechassie em 2001 quando comprou a histórica Killiechassie House, e sua propriedade circundante situada nas margens do rio Tay, perto de Aberfeldy, em Perth e Kinross. [120] [121] Rowling também possui uma casa georgiana de £ 4,5 milhões em Kensington, oeste de Londres, em uma rua com segurança 24 horas. [122]

    Rowling tem sido consistentemente classificada entre as autoras mais lucrativas do mundo. [123] Ela foi nomeada a autora mais bem paga do mundo em 2017 e 2019 por Forbes com lucro líquido de £ 72 milhões ($ 95 milhões) e $ 92 milhões, respectivamente. [124] [125]

    Novo casamento e família

    Em 26 de dezembro de 2001, Rowling se casou com Neil Murray (nascido em 30 de junho de 1971), um médico escocês, [126] em uma cerimônia privada em sua casa, Killiechassie House, na Escócia. [127] Seu filho, David Gordon Rowling Murray, nasceu em 24 de março de 2003. [128] Pouco depois de Rowling começar a escrever Harry Potter e o Príncipe Mestiço, ela parou de trabalhar no romance para cuidar de David em sua infância. [129]

    Rowling é amiga de Sarah Brown, esposa do ex-primeiro ministro Gordon Brown, a quem ela conheceu quando eles colaboraram em um projeto de caridade. Quando o filho de Sarah Brown, Fraser, nasceu em 2003, Rowling foi uma das primeiras a visitá-la no hospital. [130] A filha mais nova de Rowling, filha Mackenzie Jean Rowling Murray, a quem ela dedicou Harry Potter e o Príncipe Mestiço, nasceu em 23 de janeiro de 2005. [131]

    Em outubro de 2012, um Nova iorquino um artigo de revista afirmou que a família Rowling vivia em uma casa do século XVII em Edimburgo, escondida na frente por sebes altas de coníferas. Antes de outubro de 2012, Rowling morava perto do autor Ian Rankin, que mais tarde disse que era quieta e introspectiva, e que parecia estar em seu ambiente com as crianças. [27] [132] Em junho de 2014 [atualização], a família residia na Escócia. [133]

    As férias casuais

    Em julho de 2011, Rowling se separou de seu agente, Christopher Little, mudando-se para uma nova agência fundada por um de seus funcionários, Neil Blair. [27] [134] Em 23 de fevereiro de 2012, sua agência, a Blair Partnership, anunciou em seu site que Rowling estava pronta para publicar um novo livro voltado para adultos. Em um comunicado à imprensa, Rowling disse que seu novo livro seria bem diferente de Harry Potter. Em abril de 2012, Little, Brown and Company anunciou que o livro se intitulava As férias casuais e seria lançado em 27 de setembro de 2012. [135] Rowling deu várias entrevistas e fez aparições para promover As férias casuais, incluindo no London Southbank Centre, [136] o Cheltenham Literature Festival, [137] Charlie Rose [138] e o Festival do Livro de Lennoxlove. [139] Em suas primeiras três semanas de lançamento, As férias casuais vendeu mais de 1 milhão de cópias em todo o mundo. [140]

    Em 3 de dezembro de 2012, foi anunciado que a BBC estaria se adaptando As férias casuais em uma minissérie de drama de televisão. O agente de Rowling, Neil Blair atuou como produtor, por meio de sua produtora independente e com Rick Senat atuando como produtor executivo. Rowling colaborou na adaptação, atuando como produtora executiva da série. A série foi ao ar em três partes de 15 de fevereiro a 1 de março de 2015. [141] [142]

    Cormoran Strike

    Em 2007, durante o Festival do Livro de Edimburgo, o autor Ian Rankin afirmou que sua esposa viu Rowling "rabiscando" em um romance policial em um café. [143] Posteriormente, Rankin retirou a história, alegando que era uma piada, [144] mas o boato persistiu, com um relatório em 2012 em O guardião especulando que o próximo livro de Rowling seria um romance policial.[145] Em uma entrevista com Stephen Fry em 2005, Rowling afirmou que preferia escrever qualquer livro subsequente sob um pseudônimo, mas já havia concedido a Jeremy Paxman em 2003 que, se o fizesse, a imprensa provavelmente "descobriria em segundos". [146]

    Em abril de 2013, Little Brown publicou O Chamado do Cuco, o suposto romance de estreia do autor Robert Galbraith, que o editor descreveu como "um ex-investigador da Polícia Militar Real à paisana que saiu em 2003 para trabalhar na indústria de segurança civil". [147] O romance, uma história de detetive em que o investigador particular Cormoran Strike desvenda o suposto suicídio de uma supermodelo, vendeu 1.500 cópias em capa dura (embora o assunto não tenha sido resolvido em 21 de julho de 2013 [atualização], relatórios posteriores afirmaram que este número é o número de cópias que foram impressas na primeira tiragem, enquanto o total de vendas foi próximo a 500) [148] e recebeu aclamação de outros escritores policiais [147] e críticos [149] - um Publishers Weekly crítica chamou o livro de uma "estreia estelar", [150] enquanto o Diário da Biblioteca A seção de mistério do romance declarou "a estreia do mês". [151]

    India Knight, romancista e colunista de The Sunday Times, tweetou em 9 de julho de 2013 que ela estava lendo O Chamado do Cuco e pensei que era bom para um romance de estreia. Em resposta, um tweeter chamado Jude Callegari disse que a autora era Rowling. Knight questionou isso, mas não obteve mais resposta. [152] Knight notificou Richard Brooks, editor de artes da The Sunday Times, que iniciou sua própria investigação. [152] [153] Depois de descobrir que Rowling e Galbraith tinham o mesmo agente e editor, ele enviou os livros para análise lingüística que encontraram semelhanças, e subsequentemente contatou o agente de Rowling que confirmou que era o pseudônimo de Rowling. [153] Poucos dias após Rowling ser revelada como a autora, as vendas do livro aumentaram 4.000%, [152] e Little Brown imprimiu outras 140.000 cópias para atender ao aumento na demanda. [154] Em 18 de julho de 2013 [atualização], uma cópia assinada da primeira edição foi vendida por US $ 4.453 (£ 2.950), enquanto uma cópia assinada não vendida da primeira edição foi oferecida por $ 6.188 (£ 3.950). [148]

    Rowling disse que gostou de trabalhar com um pseudônimo. [155] Em seu site de Robert Galbraith, Rowling explicou que ela pegou o nome de um de seus heróis pessoais, Robert F. Kennedy, e um nome de fantasia de infância que ela inventou para si mesma, Ella Galbraith. [156] Comentando sobre a escolha do nome em uma entrevista com Graham Norton, ela observou que, "quando fui desmascarado - quando fui descoberto - as pessoas analisaram o nome como" Robert significa uma fama brilhante e brilhante e Galbraith significa estranho "e Eu estava pensando "sério? Não fazia ideia!" Mas, você sabe, as coisas às vezes são analisadas demais. " [157]

    Logo após a revelação, Brooks ponderou se Jude Callegari poderia ser Rowling, como parte de uma especulação mais ampla de que todo o caso tinha sido um golpe publicitário. Alguns também observaram que muitos dos escritores que inicialmente elogiaram o livro, como Alex Gray ou Val McDermid, [158] estavam dentro do círculo de conhecidos de Rowling, ambos negaram veementemente qualquer conhecimento prévio da autoria de Rowling. [152] Judith "Jude" Callegari era a melhor amiga da esposa de Chris Gossage, um sócio da Russells Solicitors, os representantes legais de Rowling. [159] [160] Rowling divulgou um comunicado dizendo que estava desapontada e zangada [159] Russells se desculpou pelo vazamento, confirmando que não era parte de uma manobra de marketing e que "a divulgação foi feita em sigilo para alguém em quem ele confiava implicitamente". [154] Russells fez uma doação para Soldiers 'Charity em nome de Rowling e a reembolsou por seus honorários advocatícios. [161] Em 26 de novembro de 2013, a Solicitors Regulation Authority (SRA) emitiu à Gossage uma repreensão por escrito e uma multa de £ 1.000 por violação das regras de privacidade. [162]

    Em 17 de fevereiro de 2014, Rowling anunciou que o segundo romance de Cormoran Strike, chamado O bicho-da-seda, seria lançado em junho de 2014. Mostra Strike investigando o desaparecimento de um escritor odiado por muitos de seus velhos amigos por insultá-los em seu novo romance. [163]

    Em 2015, Rowling declarou no site de Galbraith que o terceiro romance de Cormoran Strike incluiria "uma quantidade insana de planejamento, o máximo que fiz por qualquer livro que escrevi até agora. Tenho planilhas codificadas por cores para que possa acompanhar para onde estou indo. " [164] Em 24 de abril de 2015, Rowling anunciou que o trabalho no terceiro livro foi concluído. Intitulado Carreira do mal, foi lançado em 20 de outubro de 2015 nos Estados Unidos e em 22 de outubro de 2015 no Reino Unido. [165]

    Em 2017, a BBC lançou um Cormoran Strike série de televisão, estrelada por Tom Burke como Cormoran Strike, foi comprada pela HBO para distribuição nos Estados Unidos e Canadá. [166]

    Em março de 2017, Rowling revelou o título do quarto romance via Twitter em um jogo de "Hangman" com seus seguidores. Depois de muitas tentativas fracassadas, os seguidores finalmente adivinharam. Rowling confirmou que o título do próximo romance é Lethal White. [167] Embora planejado para um lançamento em 2017, Rowling tweetou que o livro estava demorando mais do que o esperado e seria o livro mais longo da série até agora. [168] [169] O livro foi lançado em 18 de setembro de 2018. [170] O quinto romance da série, intitulado Sangue Incomodado, foi publicado em setembro de 2020. [171] Em maio de 2021, Sangue Incomodado ganhou o Livro de Crime e Thriller do Ano no British Book Awards. [172]

    Subseqüente Harry Potter publicações

    Rowling disse que é improvável que ela escreva mais livros no Harry Potter Series. [173] Em outubro de 2007, ela afirmou que seu trabalho futuro provavelmente não seria no gênero fantasia. [174] Em 1 de outubro de 2010, em uma entrevista com Oprah Winfrey, Rowling afirmou que um novo livro sobre a saga poderia acontecer. [175]

    Em 2007, Rowling afirmou que planejava escrever uma enciclopédia de Harry Potter O mundo mágico de consistindo em vários materiais não publicados e notas. [176] Quaisquer lucros de tal livro seriam doados para instituições de caridade. [177] Durante uma coletiva de imprensa no Kodak Theatre de Hollywood em 2007, Rowling, quando questionada sobre como a enciclopédia estava indo, disse: "Não está indo bem, e eu ainda não comecei a escrevê-la. Eu nunca disse que seria a próxima coisa Eu faria." [178] No final de 2007, Rowling disse que a enciclopédia poderia levar até dez anos para ser concluída. [179]

    Em junho de 2011, Rowling anunciou que o futuro Harry Potter projetos, e todos os downloads eletrônicos, seriam concentrados em um novo site, chamado Pottermore. [180] O site inclui 18.000 palavras de informações sobre personagens, lugares e objetos no Harry Potter universo. [181]

    Em outubro de 2015, Rowling anunciou via Pottermore que uma peça de duas partes que ela foi co-autora com os dramaturgos Jack Thorne e John Tiffany, Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, foi o "oitavo Harry Potter história "e que se concentraria na vida do filho mais novo de Harry Potter, Albus, após o epílogo de Harry Potter e as Relíquias da Morte. [182] Em 28 de outubro de 2015, a primeira rodada de ingressos foi colocada à venda e esgotada em várias horas. [183]

    O Ickabog

    Começando em 26 de maio de 2020 e indo até 10 de julho de 2020, Rowling publicou uma nova história infantil online. O Ickabog foi considerado pela primeira vez como um "conto de fadas político" para crianças em 2007 Tempo entrevista para revista. Rowling arquivou a história e decidiu publicá-la para crianças como uma resposta à pandemia COVID-19. Uma edição impressa foi lançada em 10 de novembro de 2020 [184] e contém ilustrações selecionadas a partir de inscrições para um concurso concorrendo com a publicação online. [9] Rowling afirmou que todos os royalties do livro seriam doados para instituições de caridade ajudando grupos fortemente impactados pelo COVID-19. [185]

    O porco de natal

    Em 13 de abril de 2021, foi anunciado que Rowling estaria publicando um novo romance infantil, intitulado O porco de natal, com lançamento previsto para outubro de 2021. A história não tem conexão com nenhum dos trabalhos anteriores de Rowling. [186]

    Em 2000, Rowling estabeleceu o Volant Charitable Trust, que usa seu orçamento anual de £ 5,1 milhões para combater a pobreza e a desigualdade social. O fundo também doa para organizações que ajudam crianças, famílias monoparentais e pesquisas sobre esclerose múltipla. [187] [188]

    Anti-pobreza e bem-estar infantil

    Rowling, uma vez uma mãe solteira, agora é presidente da instituição de caridade Gingerbread (originalmente One Parent Families), tendo se tornado sua primeira embaixadora em 2000. [189] [190] Rowling colaborou com Sarah Brown para escrever um livro de histórias infantis para ajudar One Famílias de pais. [191]

    Em 2001, a Comic Relief, uma entidade de arrecadação de fundos anti-pobreza do Reino Unido, perguntou a três autores britânicos de sucesso - a redatora de culinária e apresentadora de TV Delia Smith, Bridget Jones a criadora Helen Fielding e Rowling - para enviar livretos relacionados às suas obras mais famosas para publicação. [192] Os dois livretos de Rowling, Animais fantásticos e onde encontrá-los e Quadribol através dos tempos, são aparentemente fac-símiles de livros encontrados na biblioteca de Hogwarts. Desde que foram colocados à venda em março de 2001, os livros arrecadaram £ 15,7 milhões para o fundo. Os £ 10,8 milhões que eles levantaram fora do Reino Unido foram canalizados para um recém-criado Fundo Internacional para Crianças e Jovens em Crise. [193] Em 2002, Rowling contribuiu com um prefácio para Magia, uma antologia de ficção publicada pela Bloomsbury Publishing, ajudando a arrecadar dinheiro para o Conselho Nacional para famílias monoparentais. [194]

    Em 2005, Rowling e a MEP Emma Nicholson fundaram o Grupo de Alto Nível Infantil (agora Lumos). [195] Em janeiro de 2006, Rowling foi a Bucareste para destacar o uso de camas em jaulas para crianças em instituições psiquiátricas. [196] Para apoiar ainda mais o CHLG, Rowling leiloou uma das sete cópias manuscritas e ilustradas de Os contos de Beedle, o Bardo, uma série de contos de fadas referidos em Harry Potter e as Relíquias da Morte. O livro foi comprado por £ 1,95 milhão pela livraria online Amazon.com em 13 de dezembro de 2007, tornando-se o livro moderno mais caro já vendido em leilão. [197] [198] Rowling deu as seis cópias restantes para aqueles que têm uma conexão próxima com o Harry Potter livros. [197] Em 2008, Rowling concordou em publicar o livro com os lucros indo para a Lumos. [132] Em 1 de junho de 2010 (Dia Internacional da Criança), a Lumos lançou uma iniciativa anual -Acenda uma vela de aniversário para lumos. [199] Em novembro de 2013, Rowling entregou todos os ganhos da venda de Os contos de Beedle, o Bardo, totalizando quase £ 19 milhões. [200]

    Em julho de 2012, Rowling foi apresentada na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Verão de 2012 em Londres, onde leu algumas linhas do livro de J. M. Barrie Peter Pan como parte de uma homenagem ao Great Ormond Street Hospital for Children. Uma representação inflável de Lord Voldemort e outros personagens literários infantis acompanhou sua leitura. [201]

    Esclerose múltipla

    Rowling contribuiu com dinheiro e apoio para pesquisa e tratamento da esclerose múltipla, da qual sua mãe sofreu antes de sua morte em 1990. Em 2006, Rowling contribuiu com uma quantia substancial para a criação de um novo Centro de Medicina Regenerativa na Universidade de Edimburgo, mais tarde chamado de Clínica de Neurologia Regenerativa Anne Rowling. [202] Em 2010, ela doou mais £ 10 milhões para o centro, [203] e em 2019 mais £ 15 milhões. [204] Por razões desconhecidas, a Escócia, país de adoção de Rowling, tem a maior taxa de esclerose múltipla do mundo. Em 2003, Rowling participou de uma campanha para estabelecer um padrão nacional de atendimento para quem sofre de esclerose múltipla. [205] Em abril de 2009, ela anunciou que estava retirando seu apoio à Multiple Sclerosis Society Scotland, citando sua incapacidade de resolver uma rixa em curso entre os ramos norte e sul da organização que minou o moral e levou a várias renúncias. [205]

    COVID-19

    Em maio de 2020, Rowling anunciou a publicação de um romance infantil O Ickabog, com todos os royalties do autor sendo doados a instituições de caridade que apoiam as pessoas afetadas pelo COVID-19. [185] Através do Volant Charitable Trust, Rowling doou somas de seis dígitos tanto para a Khalsa Aid quanto para o British Asian Trust para apoiar seu trabalho de ajuda ambiciosa na Índia, em maio de 2021. [206]

    Outro trabalho filantrópico

    Em maio de 2008, o livreiro Waterstones pediu a Rowling e 12 outros escritores (Lisa Appignanesi, Margaret Atwood, Lauren Child, Sebastian Faulks, Richard Ford, Neil Gaiman, Nick Hornby, Doris Lessing, Michael Rosen, Axel Scheffler, Tom Stoppard e Irvine Welsh) para compor um pequeno pedaço de sua própria escolha em um único cartão A5, que seria então vendido em leilão em benefício das instituições de caridade Dyslexia Action e English PEN. A contribuição de Rowling foi de 800 palavras Harry Potter prequela que diz respeito ao pai de Harry, James Potter, e padrinho, Sirius Black, e ocorre três anos antes de Harry nascer. Os cartões foram agrupados e vendidos para a caridade em forma de livro em agosto de 2008. [207]

    Em 1 e 2 de agosto de 2006, ela leu ao lado de Stephen King e John Irving no Radio City Music Hall em Nova York. Os lucros do evento foram doados para a Haven Foundation, uma instituição de caridade que ajuda artistas e performers que não têm seguro e não podem trabalhar, e para a ONG médica Médecins Sans Frontières. [208] Em maio de 2007, Rowling prometeu uma doação relatada em mais de £ 250.000 para um fundo de recompensa iniciado pelo tablóide Notícias do mundo pelo regresso em segurança de uma jovem britânica, Madeleine McCann, que desapareceu em Portugal. [209] Rowling, junto com Nelson Mandela, Al Gore e Alan Greenspan, escreveu uma introdução a uma coleção de discursos de Gordon Brown, cujos rendimentos foram doados ao Laboratório de Pesquisa Jennifer Brown. [210] Após sua exposição como a verdadeira autora de O Chamado do Cuco levou a um grande aumento nas vendas, Rowling anunciou que doaria todos os seus royalties para o Fundo Benevolente do Exército, alegando que ela sempre pretendeu, mas nunca esperou que o livro fosse um best-seller. [211]

    Rowling é membro da English PEN e da Scottish PEN. Ela foi uma das 50 autoras a contribuir para as Primeiras Edições, Segundos Pensamentos, um leilão de caridade para o PEN inglês. Cada autor anotou à mão uma cópia da primeira edição de um de seus livros, no caso de Rowling, Harry Potter e a Pedra Filosofal. O livro foi o lote mais vendido do evento e arrecadou £ 150.000 ($ 228.600). [212]

    Rowling apóia o Shannon Trust, que administra o Plano de Leitura Toe by Toe e o Plano de Leitura Shannon em prisões por toda a Grã-Bretanha, ajudando e dando aulas particulares para prisioneiros que não sabem ler. [213]

    Rowling nomeou a ativista de direitos civis Jessica Mitford como sua maior influência. Ela disse "Jessica Mitford tem sido minha heroína desde que eu tinha 14 anos, quando ouvi minha formidável tia-avó discutindo como Mitford fugiu aos 19 anos para lutar com os Reds na Guerra Civil Espanhola", e afirma o quê A inspirou em Mitford foi que ela era "incurável e instintivamente rebelde, corajosa, aventureira, engraçada e irreverente, ela gostava de nada mais do que uma boa luta, de preferência contra um alvo pomposo e hipócrita". [36] Rowling descreveu Jane Austen como sua autora favorita, [214] chamando Emma seu livro favorito em O, The Oprah Magazine. [215] Quando criança, Rowling disse que suas primeiras influências incluíam O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa por C. S. Lewis, O pequeno cavalo branco por Elizabeth Goudge, e Manxmouse por Paul Gallico. [216]

    Política

    Para muitos, Rowling é conhecida por suas visões políticas de centro-esquerda. Em setembro de 2008, na véspera da Conferência do Partido Trabalhista, Rowling anunciou que doou £ 1 milhão para o Partido Trabalhista, e endossou publicamente o primeiro ministro Gordon Brown sobre o desafiante conservador David Cameron, elogiando as políticas trabalhistas sobre a pobreza infantil. [217] Rowling é uma amiga próxima de Sarah Brown, esposa de Gordon Brown, a quem ela conheceu quando eles colaboraram em um projeto de caridade para famílias monoparentais. [130]

    Rowling comentou sobre a política americana quando discutiu a eleição presidencial dos Estados Unidos de 2008 com o jornal de língua espanhola El País em fevereiro de 2008, afirmando que a eleição teria um efeito profundo no resto do mundo. Ela também disse que Barack Obama e Hillary Clinton seriam "extraordinários" na Casa Branca. Na mesma entrevista, Rowling identificou Robert F. Kennedy como seu herói. [218]

    Em abril de 2010, um artigo de Rowling foi publicado em Os tempos, no qual ela criticou o plano do então primeiro-ministro conservador David Cameron de encorajar os casais a ficarem juntos, oferecendo-lhes um crédito fiscal anual de £ 150: "Ninguém que já experimentou a realidade da pobreza poderia dizer 'não é o dinheiro, é a mensagem ". Quando seu apartamento foi arrombado e você não pode pagar um chaveiro, é o dinheiro. Quando você está com dois pence a menos de uma lata de feijão cozido e seu filho está com fome, é o dinheiro. Quando você se encontrar contemplando furtos em lojas para conseguir fraldas, é o dinheiro. " [219]

    Devido à sua residência na Escócia, Rowling era elegível para votar no referendo de 2014 sobre a independência escocesa, durante a corrida para o qual ela fez campanha pelo voto "Não". [220] Ela doou £ 1 milhão para a campanha anti-independência Better Together dirigida por seu ex-vizinho Alistair Darling, [133] a maior doação que havia recebido na época. Em uma postagem no blog, Rowling explicou que uma carta aberta de profissionais médicos escoceses levantou problemas com os planos do primeiro ministro Alex Salmond para um financiamento comum de pesquisa. [133] Rowling comparou alguns nacionalistas escoceses com os Comensais da Morte, personagens de Harry Potter que desprezam aqueles que não têm sangue puro. [221]

    Em 22 de outubro de 2015, uma carta foi publicada em O guardião assinado por Rowling (junto com mais de 150 outras figuras das artes e política) se opondo ao boicote cultural de Israel, e anunciando a criação de uma rede de diálogo, chamada Cultura para Coexistência.[222] Rowling mais tarde explicou sua posição em maiores detalhes, afirmando que embora ela se opusesse à maioria das ações de Benjamin Netanyahu, ela não acreditava que o boicote cultural traria a remoção do líder de Israel ou a melhoria da situação em Israel e na Palestina. [223]

    Em junho de 2016, Rowling fez campanha para que o Reino Unido permanecesse na União Europeia na corrida para o referendo de adesão do Reino Unido à União Europeia de 2016, declarando em seu site que, "Eu sou o produto vira-lata deste continente europeu e eu ' sou um internacionalista. Fui criado por uma mãe francófila cuja família tinha orgulho de sua herança parcialmente francesa. Meus valores não são contidos ou proibidos por fronteiras. A ausência de um visto quando atravesso o canal tem um valor simbólico para mim. Eu poderia não estar na minha casa, mas ainda estou na minha cidade natal. " [224] Rowling expressou preocupação de que "racistas e fanáticos" estavam dirigindo partes da campanha de licença. Em uma postagem de blog, ela acrescentou: "Como um recuo para o individualismo egoísta e inseguro pode ser a resposta certa quando a Europa enfrenta ameaças genuínas, quando os laços que nos unem são tão poderosos, quando chegamos tão longe juntos? Como podemos esperar vencer os enormes desafios do terrorismo e da mudança climática sem cooperação e colaboração? " [225]

    Religião

    Algumas pessoas religiosas, figuras e organizações, ao longo dos anos, objetaram e condenaram os livros de Rowling pela percepção da promoção da bruxaria. Muitas objeções vieram de cristãos em particular, embora a própria Rowling tenha declarado que ela se identifica como uma cristã, [226] afirmando que "Eu acredito em Deus, não em mágica." [227] Logo no início, escrevendo o Harry Potter série de livros e em resposta às críticas, Rowling não divulgou suas crenças religiosas, sentindo que se os leitores soubessem de suas visões religiosas, eles seriam capazes de prever os enredos dos personagens em seus livros. [228]

    Em 2007, Rowling declarou que ela era a única pessoa em sua família que frequentava a igreja regularmente, e que ela era uma adepta da Igreja da Inglaterra. Quando era estudante, ela havia se irritado anteriormente com a "presunção de pessoas religiosas" e comparecia com menos frequência. Mais tarde, ela começou a frequentar uma congregação da Igreja da Escócia na época em que escrevia Harry Potter. [229] [230] Sua filha mais velha, Jessica, foi batizada lá. [226]

    Em uma entrevista de 2006 com TatlerRowling observou que, “como Graham Greene, minha fé às vezes é se minha fé retornará. É importante para mim”. [20] Ela disse que lutou com a dúvida, que acredita na vida após a morte, [231] e que sua fé desempenha um papel em seus livros. [232] [233] [234] Em uma entrevista de rádio em 2012, Rowling afirmou que ela era membro da Igreja Episcopal Escocesa, uma província da Comunhão Anglicana. [235]

    Em 2015, após o referendo sobre o casamento do mesmo sexo na Irlanda, Rowling brincou que se a Irlanda legalizasse o casamento do mesmo sexo, Dumbledore e Gandalf poderiam se casar lá. [236] A Igreja Batista de Westboro, em resposta, afirmou que se os dois se casassem, eles iriam fazer um piquete. Rowling respondeu dizendo, "Ai, a pura grandiosidade de tal união em um lugar assim tiraria suas minúsculas mentes preconceituosas de seus grossos crânios inclinados." [237]

    Pressione

    Rowling afirmou que tem um relacionamento difícil com a imprensa, admitindo em um ponto ser "frágil" e não gostar da natureza inconstante das reportagens, embora ela tenha contestado que é uma reclusa que odeia ser entrevistada. [238] Em 2011, Rowling tomou mais de 50 ações contra a imprensa. [239] Em 2001, a Press Complaints Commission sustentou uma queixa de Rowling sobre uma série de fotos não autorizadas dela com sua filha na praia em Maurício publicadas em OK! revista. [240] Em 2007, o filho mais novo de Rowling, David, assistido por Rowling e seu marido, perdeu uma briga no tribunal para proibir a publicação de uma fotografia de David. A foto, que foi tirada por um fotógrafo com uma lente de longo alcance, foi publicada em um Sunday Express artigo sobre a vida familiar e a maternidade de Rowling. [19] O julgamento foi anulado em favor de David em maio de 2008. [241]

    Rowling expressou sua aversão particular pelo Correio diário, um tablóide britânico que conduziu várias entrevistas com seu ex-marido. Como observou um jornalista, "o tio Válter de Harry é um filisteu grotesco de tendências violentas e cérebro extremamente pequeno. Não é difícil adivinhar qual jornal Rowling lhe dá para ler [em cálice de Fogo]. "[242] Em 2014, ela processou com sucesso o Correspondência por difamação sobre um artigo sobre seu tempo como mãe solteira. [243] Alguns especularam que o relacionamento tenso de Rowling com a imprensa foi a inspiração por trás da personagem Rita Skeeter, uma celebridade jornalista fofoqueira que apareceu pela primeira vez em cálice de Fogo, mas Rowling disse em 2000 que o desenvolvimento da personagem antecede sua ascensão à fama. [244]

    Em setembro de 2011, Rowling foi nomeada como uma "participante principal" no Leveson Inquiry sobre a cultura, práticas e ética da imprensa britânica, como uma das dezenas de celebridades que podem ter sido vítimas de hackeamento telefônico. [245] Em 24 de novembro de 2011, Rowling deu provas antes da investigação, embora ela não fosse suspeita de ter sido vítima de hackeamento telefônico, [246] seu depoimento incluiu relatos de fotógrafos acampando em sua porta, seu noivo sendo enganado para dar sua casa discurso a um jornalista disfarçado de funcionário tributário, [246] ela perseguindo um jornalista uma semana após o parto, [239] um jornalista deixando um bilhete dentro da mochila de sua filha de cinco anos, e uma tentativa de O sol para "chantageá-la" para uma oportunidade fotográfica em troca da devolução de um manuscrito roubado. [247] Rowling afirmou que teve que deixar sua antiga casa em Merchiston por causa da intrusão da imprensa. [247] Em novembro de 2012, Rowling escreveu um artigo para O guardião em resposta à decisão de David Cameron de não implementar todas as recomendações do inquérito Leveson, afirmando que ela se sentiu "enganada e zangada". [248]

    Em 2014, Rowling reafirmou seu apoio a "Hacked Off", uma campanha de apoio à autorregulamentação da imprensa, co-assinando uma declaração para "[salvaguardar] a imprensa de interferências políticas e, ao mesmo tempo, dar proteção vital aos vulneráveis" com outras celebridades britânicas. [249]

    Pessoas transgênero

    Em dezembro de 2019, Rowling twittou seu apoio a Maya Forstater, uma mulher britânica que perdeu seu caso no tribunal de trabalho (Maya Forstater v Center for Global Development) contra seu antigo empregador, o Center for Global Development, depois que seu contrato não foi renovado devido a seus comentários sobre pessoas trans. [250] [251] [252]

    Em 6 de junho de 2020, Rowling tuitou críticas à frase "pessoas que menstruam", [253] e afirmou "Se o sexo não for real, a realidade vivida pelas mulheres em todo o mundo é apagada. Eu conheço e amo pessoas trans, mas apagando o conceito de sexo remove a capacidade de muitos de discutir significativamente suas vidas. " [254] Os tweets de Rowling foram criticados por GLAAD, que os chamou de "cruéis" e "anti-trans". [255] [256] Alguns membros do elenco do Harry Potter série de filmes criticou as opiniões de Rowling ou falou em apoio aos direitos trans, incluindo Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint, Bonnie Wright e Katie Leung, como fizeram Animais fantásticos o ator principal Eddie Redmayne e os fansites MuggleNet e The Leaky Cauldron. [257] [258] [259] Atriz Noma Dumezweni (que interpretou Hermione Granger em Harry Potter e a Criança Amaldiçoada) inicialmente expressou apoio a Rowling, mas retrocedeu após a reação. [260]

    Em 10 de junho de 2020, Rowling publicou um ensaio de 3.600 palavras em seu site em resposta às críticas. [261] [262] Rowling escreveu novamente que muitas mulheres consideram termos como "pessoas que menstruam" humilhantes. Ela disse que era uma sobrevivente de violência doméstica e violência sexual, e afirmou que "Quando você abre as portas de banheiros e vestiários para qualquer homem que acredita ou sente que é mulher, você abre a porta para todos os homens que desejam entrar ", afirmando que a maioria das pessoas trans eram vulneráveis ​​e mereciam proteção. [263] Acompanhando quem está em risco nos banheiros femininos, a Reuters afirmou que eram as mulheres trans que eram mais vulneráveis, e que 200 municípios que permitiam que pessoas trans usassem abrigos para mulheres não relataram nenhum aumento na violência como resultado. [264] [265] O ensaio foi criticado, entre outros, pela caridade infantil Mermaids (que apóia crianças transgênero e não-conformes de gênero e seus pais) e a teórica feminista de gênero Judith Butler. [266] [267] [268] [269] Rowling foi referida como uma feminista radical transexclusiva (TERF) em várias ocasiões, embora ela rejeite o rótulo. [270] Rowling recebeu apoio dos atores Robbie Coltrane [271] e Brian Cox, [272] e algumas feministas [273] como a ativista Ayaan Hirsi Ali [274] e a feminista radical Julie Bindel. [273] O ensaio foi indicado pela BBC para o Prêmio Russel de melhor redação anual. [275] [276]

    Em agosto de 2020, Rowling devolveu seu Prêmio de Direitos Humanos Robert F. Kennedy depois que Kerry Kennedy lançou uma declaração expressando sua "profunda decepção" com os "ataques de Rowling à comunidade transgênero", que Kennedy chamou de "inconsistente com as crenças e valores fundamentais do RFK Humano Direitos e. Um repúdio à visão do meu pai ". [277] [278] [279] Rowling afirmou que estava "profundamente entristecida" pela declaração de Kennedy, mas afirmou que nenhum prêmio a encorajaria a "perder o direito de seguir os ditames" de sua consciência. [277]

    Rowling, seus editores e a Time Warner, a proprietária dos direitos do Harry Potter filmes, tomaram várias ações legais para proteger seus direitos autorais. A popularidade mundial do Harry Potter série levou ao aparecimento de uma série de sequências não autorizadas produzidas localmente e outros trabalhos derivados, desencadeando esforços para bani-los ou contê-los. [280]

    Outra área de disputa legal envolve uma série de liminares obtidas por Rowling e seus editores para proibir qualquer pessoa de ler seus livros antes da data oficial de lançamento. [281] A liminar atraiu fogo das liberdades civis e ativistas da liberdade de expressão e gerou debates sobre o "direito de ler". [282] [283]

    Rowling recebeu graus honorários da University of St Andrews, da University of Edinburgh, da Edinburgh Napier University, da University of Exeter (da qual ela participou), [284] da University of Aberdeen, [285] [286] e da Harvard University, onde ela falou na cerimônia de formatura de 2008. [287] Em 2009, Rowling foi nomeada Chevalier de la Légion d'honneur pelo presidente francês Nicolas Sarkozy. [33] Em 2002, Rowling se tornou um membro honorário da Royal Society of Edinburgh (HonFRSE) [288], bem como um membro da Royal Society of Literature (FRSL). [289] Ela foi, além disso, reconhecida como Fellow do Royal College of Physicians of Edinburgh (FRCPE) em 2011 pelos serviços prestados à Literatura e Filantropia. [290]

    • 1997: Prêmio Nestlé Smarties Book, Prêmio Ouro para Harry Potter e a Pedra Filosofal
    • 1998: Prêmio Nestlé Smarties Book, Prêmio Ouro para Harry Potter ea Câmara Secreta
    • 1998: Livro infantil britânico do ano, vencedor Harry Potter e a Pedra Filosofal
    • 1999: Prêmio Nestlé Smarties Book, Prêmio Ouro para Harry Potter e o prisioneiro de azkaban
    • 1999: Prêmio Nacional do Livro do Livro Infantil do Ano, vencedor Harry Potter ea Câmara Secreta
    • 1999: Livro infantil do ano da Whitbread, vencedor Harry Potter e o prisioneiro de azkaban
    • 2000: British Book Awards, Autor do Ano [82]
    • 2000: Oficial da Ordem do Império Britânico (OBE), por serviços à Literatura Infantil [291]
    • 2000: Prêmio Locus, vencedor Harry Potter e o prisioneiro de azkaban
    • 2001: Prêmio Hugo de Melhor Romance, vencedor Harry Potter e o Cálice de Fogo
    • 2003: Premio Príncipe de Asturias, Concord
    • 2003: Prêmio Bram Stoker de Melhor Trabalho para Jovens Leitores, vencedor Harry Potter e a Ordem da Fênix
    • 2006: Livro do Ano do British Book Awards, vencedor por Harry Potter e o Príncipe Mestiço
    • 2007: Blue Peter Badge, Gold
    • 2007: Nomeada a pessoa mais fascinante do ano Barbara Walters [292]
    • 2008: British Book Awards, Outstanding Achievement
    • 2008: The Edinburgh Award [293]
    • 2010: Prêmio de Literatura Hans Christian Andersen, vencedor do prêmio inaugural. [294]
    • 2011: British Academy Film Awards, Contribuição Britânica proeminente ao Cinema para o Harry Potter série de filmes, compartilhada com David Heyman, elenco e equipe. [295]
    • 2012: Liberdade da Cidade de Londres
    • 2012: Rowling estava entre os ícones culturais britânicos selecionados pelo artista Sir Peter Blake para aparecer em uma nova versão de sua obra de arte mais famosa - os Beatles ' Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band capa do álbum - para celebrar as figuras culturais britânicas de sua vida. [296]
    • 2017: Membro da Ordem dos Companheiros de Honra (CH) nas homenagens de aniversário de 2017 por serviços à literatura e filantropia. [297]
    • 2018: Prêmio Tony de Melhor Peça por Harry Potter e a Criança Amaldiçoada como parte da equipe da Harry Potter Theatrical Productions. [298] [299]
    • 2019: Para sua primeira partida em março de 2019, as mulheres do time nacional de futebol feminino dos Estados Unidos vestiram cada uma uma camisa com o nome de uma mulher que estavam homenageando nas costas. Rose Lavelle escolheu o nome de Rowling. [300]
    • 2021: Prêmio Crime e Thriller do British Book Awards, vencedor por Sangue Incomodado. [172]

    Crianças

    Jovens adultos

    Harry Potter Series

    1. Harry Potter e a Pedra Filosofal (26 de junho de 1997)
    2. Harry Potter ea Câmara Secreta (2 de julho de 1998)
    3. Harry Potter e o prisioneiro de azkaban (8 de julho de 1999)
    4. Harry Potter e o Cálice de Fogo (8 de julho de 2000)
    5. Harry Potter e a Ordem da Fênix (21 de junho de 2003)
    6. Harry Potter e o Príncipe Mestiço (16 de julho de 2005)
    7. Harry Potter e as Relíquias da Morte (21 de julho de 2007)

    Trabalhos relacionados

    • Animais fantásticos e onde encontrá-los (suplemento ao Harry Potter série) (1 de março de 2001)
    • Quadribol através dos tempos (suplemento ao Harry Potter série) (1 de março de 2001)
    • Os contos de Beedle, o Bardo (suplemento ao Harry Potter série) (4 de dezembro de 2008)
    • Harry Potter e a Criança Amaldiçoada (conceito de história) (31 de julho de 2016)
    • Histórias curtas de Hogwarts sobre poder, política e poltergeists traquinas (6 de setembro de 2016)
    • Histórias curtas de Hogwarts sobre heroísmo, dificuldades e passatempos perigosos (6 de setembro de 2016)
    • Hogwarts: um guia incompleto e não confiável (6 de setembro de 2016)
    • Animais fantásticos e onde encontrá-los (roteiro original) (19 de novembro de 2016)
    • Animais fantásticos: os crimes de Grindelwald (roteiro original) (16 de novembro de 2018)

    Contos

    Adultos

    Cormoran Strike série (como Robert Galbraith)

    1. O Chamado do Cuco (18 de abril de 2013)
    2. O bicho-da-seda (19 de junho de 2014)
    3. Carreira do mal (20 de outubro de 2015)
    4. Lethal White (18 de setembro de 2018)
    5. Sangue Incomodado (15 de setembro de 2020)

    De outros

    Não-ficção

    • McNeil, Gil e Brown, Sarah, editores (2002). Prefácio para a antologia Magia. Bloomsbury. (2006). Introdução ao "Fim da Pobreza Infantil" em Movendo a Grã-Bretanha para a frente. Discursos selecionados 1997–2006. Bloomsbury.
    • Sussman, Peter Y., editor (26 de julho de 2006). "The First It Girl: críticas de J. K. Rowling Decca: as cartas de Jessica Mitford". The Daily Telegraph.
    • Anelli, Melissa (2008). Prefácio para Harry, uma história. Livros de bolso.
    • Rowling, J. K. (5 de junho de 2008). "Os benefícios marginais do fracasso e a importância da imaginação". Harvard Magazine.
    • JK Rowling, Vidas muito boas: os benefícios marginais do fracasso e a importância da imaginação, ilustrado por Joel Holland, Sphere, 14 de abril de 2015, 80 páginas (ISBN978-1-4087-0678-7).
    • Rowling, J. K. (30 de abril de 2009). "Gordon Brown - The 2009 Time 100". Tempo revista.
    • Rowling, J. K. (14 de abril de 2010). "O Manifesto da Mãe Solteira". Os tempos.
    • Rowling, J. K. (30 de novembro de 2012). “Eu me sinto enganado e zangado com a reação de David Cameron a Leveson”. O guardião.
    • Rowling, J. K. (17 de dezembro de 2014). Não é hora de deixarmos orfanatos para contos de fadas? O guardião.
    • Rowling, J. K. (editora convidada) (28 de abril de 2014). "Woman's Hour Takeover". Hora da mulher, BBC Radio 4. [304]
    • Rowling J.K. (contribuidor) (31 de outubro de 2019) Uma Carta de Amor à Europa. [305]
    Ano Título Creditado como Notas Ref.
    Atriz Roteirista Produtor Produtor executivo
    2003 Os Simpsons sim Voice cameo em "The Regina Monologues"
    2010 Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 1 sim Filme baseado em seu romance Harry Potter e as Relíquias da Morte [111]
    2011 Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2 sim
    2015 As férias casuais sim Minissérie de televisão baseada em seu romance As férias casuais [306]
    2016 Animais fantásticos e onde encontrá-los sim sim Filme inspirado nela Harry Potter livro suplementar Animais fantásticos e onde encontrá-los [113]
    2017 – presente Batida sim Série de televisão baseada nela Cormoran Strike novelas [307]
    2018 Animais fantásticos: os crimes de Grindelwald sim sim Filme inspirado nela Harry Potter livro suplementar Animais fantásticos e onde encontrá-los [308]
    1. ^ umab Rowling, J.K. (16 de fevereiro de 2007). "A vida não especialmente fascinante de J.K. Rowling" Arquivado em 30 de abril de 2008 na Wayback Machine. Cotação Accio (accio-quote.org). Página visitada em 28 de abril de 2008.
    2. ^
    3. Eyre, Charlotte (1 de fevereiro de 2018). "Vendas de livros de Harry Potter chegam a 500 milhões em todo o mundo". O Livreiro. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2018.
    4. ^
    5. "500 milhões de livros de Harry Potter vendidos em todo o mundo". Pottermore. Arquivado do original em 14 de março de 2018. Página visitada em 24 de junho de 2019.
    6. ^
    7. "Recorde para a série de livros mais vendidos". Guinness World Records. Arquivado do original em 23 de outubro de 2012. Página visitada em 18 de abril de 2012.
    8. ^
    9. Billington, Alex (9 de dezembro de 2010). "Entrevista em vídeo exclusiva: Produtor de 'Harry Potter' David Heyman". firstshowing.net. Arquivado do original em 20 de dezembro de 2010. Página visitada em 29 de dezembro de 2010.
    10. ^
    11. "Lançamento do trailer do satélite Warner Bros. Pictures Worldwide: Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 1". Businesswire. 2010. Arquivado do original em 27 de dezembro de 2010. Página visitada em 29 de dezembro de 2010.
    12. ^ umabc
    13. Shapiro, Marc (2000). J.K. Rowling: o feiticeiro por trás de Harry Potter. Nova York: St. Martin's Press. ISBN978-0-312-32586-2. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    14. ^
    15. "Escrita - J.K. Rowling". JK Rowling. Arquivado do original em 1º de janeiro de 2020. Página visitada em 24 de outubro de 2018.
    16. ^ umab
    17. "JK Rowling revela The Ickabog, seu primeiro livro infantil não Harry Potter". BBC Notícias. 26 de maio de 2020. Arquivo original em 30 de maio de 2020. Página visitada em 1 de junho de 2020.
    18. ^
    19. Giuliano, Karissa Whitten, Sarah (31 de julho de 2015). "O primeiro autor bilionário do mundo está lucrando". CNBC. Arquivado do original em 20 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    20. ^ umabCouric, Katie (18 de julho de 2005). J.K. Rowling, a autora com o toque mágico Arquivada em 28 de novembro de 2019 na Wayback Machine. MSN. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    21. ^
    22. Weisman, Aly (12 de março de 2012). "J.K. Rowling não é mais uma bilionária, expulsa da lista da Forbes". Business Insider. Arquivado do original em 3 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    23. ^
    24. Farr, Emma-Victoria (3 de outubro de 2012). "J.K. Rowling: Casual Vacancy está no topo das paradas de ficção". The Daily Telegraph. Londres. Arquivado do original em 4 de outubro de 2012. Página visitada em 4 de outubro de 2012.
    25. ^ umab
    26. "Patrimônio líquido de JK Rowling - Lista Rica 2021 do Sunday Times". The Sunday Times.
    27. ^ Gibbs, Nancy (19 de dezembro de 2007). Personalidade do ano de 2007: vice-campeão: J.K. Rowling Arquivada em 21 de dezembro de 2007 na Wayback Machine. Tempo revista. Página visitada em 23 de dezembro de 2007.
    28. ^
    29. Pearse, Damien (11 de outubro de 2010). "A criadora de Harry Potter, J.K. Rowling, é eleita a Mulher Mais Influente do Reino Unido". O guardião. Londres. Arquivado do original em 25 de outubro de 2013. Página visitada em 11 de outubro de 2010.
    30. ^ umab
    31. "Harry Potter e o mistério da inicial perdida de JK". O telégrafo . Retirado em 6 de agosto de 2020.
    32. ^ Shelagh, Rogers (23 de outubro de 2000). "Entrevista: J.K. Rowling". Esta manhã. Canadian Broadcasting Corporation.
      ReprintArchived em 15 de dezembro de 2013 na Wayback Machine na Accio Quote! (accio-quote.org). 28 de julho de 2007. Recuperado em 24 de dezembro de 2013.
    33. ^ umab"O juiz decide contra J.K. Rowling em caso de privacidade" Arquivado em 8 de junho de 2008 na Wayback Machine. Guardian Unlimited. 7 de agosto de 2007. Página visitada em 21 de agosto de 2007.
    34. ^ umabcd Greig, Geordie (10 de janeiro de 2006). “Haveria muito a dizer a ela.” Arquivado em 14 de fevereiro de 2012 na Wayback Machine. Daily Telegraph. Retirado em 8 de agosto de 2010.
    35. ^
    36. "Declaração de testemunha de Joanne Kathleen Rowling" (PDF). O inquérito de Leveson. Novembro de 2011. Arquivado do original (PDF) em 22 de janeiro de 2014. Página visitada em 25 de novembro de 2011.
    37. ^
    38. “Rowling, Joanne Kathleen”. Quem é quem. ukwhoswho.com. 2015 (Oxford University Press ed. online). A & amp C Black, uma marca da Bloomsbury Publishing plc. (assinatura ou associação à biblioteca pública do Reino Unido necessária) (assinatura necessária)
    39. ^"Biografia: J.K. Rowling" Arquivado em 31 de dezembro de 2007 na Wayback Machine. Scholastic.com. Página visitada em 20 de outubro de 2007.
    40. ^
    41. "Rowling, J.K.". Livro mundial. 2006.
    42. ^
    43. Hutchinson, Lynne (6 de setembro de 2012). "Preocupações levantadas sobre o futuro do local do antigo hospital cottage Chipping Sodbury". Gazette Series. Gloucestershire, Reino Unido. Arquivado do original em 4 de abril de 2014. Página visitada em 1 de outubro de 2012.
    44. ^ umabcdefgheu"Biografia" Arquivada em 14 de abril de 2012 na Wayback Machine. JKRowling.com. Página visitada em 17 de março de 2006.
    45. ^ umabcdefgheujkeum
    46. Parker, Ian (24 de setembro de 2012). "Mugglemarch: J.K. Rowling escreve um romance realista para adultos". O Nova-iorquino. Arquivado do original em 30 de julho de 2014. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    47. ^ umab Smith, Sean (2003), J.K. Rowling: uma biografia (Michael O'Mara, Londres), p. 55
    48. ^ umabcdefgheujkeumno
    49. "A história de J.K. Rowling". O escocês. 16 de junho de 2003. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    50. ^
    51. "Ancestrais de J.K. Rowling em ScotlandsPeople". ScotlandsPeople. Arquivado do original em 2 de outubro de 2011. Página visitada em 27 de setembro de 2011.
    52. ^
    53. Powell, Kimberly. "Árvore genealógica de J.K. Rowling". About.com. Arquivado do original em 11 de julho de 2014. Retirado em 1 de novembro de 2014.
    54. ^Louis François Alexandre Volant 1878–1948 em Vidas da Primeira Guerra Mundial. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    55. ^ umab
    56. Keaten, Jamey (3 de fevereiro de 2009). "A França homenageia a autora de Harry Potter, Rowling". EUA hoje. Associated Press. Arquivado do original em 7 de fevereiro de 2009. Página visitada em 7 de novembro de 2010.
    57. ^Quem você pensa que é?, Série 8, Episódio 2. BBC.
    58. ^
    59. Colleen A. Sexton (2008). JK Rowling. Brookfield, Conn: Twenty-First Century Books. p. 13. ISBN978-0-8225-7949-6. Arquivado do original em 26 de janeiro de 2017.
    60. ^ umab
    61. J. K. Rowling (26 de novembro de 2006). "A primeira It Girl". O telégrafo. Londres. Arquivado do original em 19 de outubro de 2016. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    62. ^ umab Fraser, Lindsey (2 de novembro de 2002). "Harry Potter - Harry e eu". O escocês. Entrevista com Rowling, trecho editado de Conversas com J.K. Rowling.
      ReprintArchived em 5 de fevereiro de 2012 na Wayback Machine na Accio Quote! (accio-quote.org). 31 de maio de 2003 atualizado pela última vez em 12 de fevereiro de 2007. Obtido em 6 de dezembro de 2014.
    63. ^
    64. "JK Rowling discute a batalha da mãe com a MS". Barchester. 2014. Arquivado do original em 24 de janeiro de 2018. Página visitada em 23 de janeiro de 2018.
    65. ^ Feldman, Roxanne (setembro de 1999). "A verdade sobre Harry". Diário da Biblioteca Escolar.
      ReprintArquivado em 17 de agosto de 2007 na Wayback Machine na Accio Quote! (accio-quote.org). Retirado em 6 de dezembro de 2014.
    66. ^ Fraser, Lindsey. Conversas com J.K. Rowling, pp. 19-20. Escolar.
    67. ^ Fraser, Lindsey. Conversas com J.K. Rowling, p. 29. Scholastic.
    68. ^"St Michaels Register 1966–70 1Arquivado em 22 de fevereiro de 2007 na Wayback Machine. Winterbourne. - Rowling listada como admissão nº 305. Página visitada em 14 de agosto de 2006.
    69. ^
    70. "Feliz aniversário J.K. Rowling - aqui estão 10 fatos mágicos sobre a autora de 'Harry Potter' [Atualizado]". Los Angeles Times. 31 de julho de 2010. Arquivado do original em 5 de agosto de 2010. Retirado em 8 de agosto de 2010.
    71. ^
    72. Kirk, Connie Ann (2003). J. K. Rowling: uma biografia. Westport, Conn: Greenwood Press. p. 28. ISBN978-0-313-32205-1. Arquivado do original em 26 de janeiro de 2017.
    73. ^ Fraser, Lindsey. Conversas com J.K. Rowling, p. 34. Scholastic.
    74. ^
    75. "Antecedentes Educacionais de J. K. Rowling". EDU InReview. 10 de novembro de 2010. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2018. Retirado em 2 de fevereiro de 2018.
    76. ^
    77. Farr, Emma-Victoria (27 de setembro de 2012). "JK Rowling: 10 fatos sobre a escritora". O telégrafo. Arquivado do original em 16 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    78. ^
    79. Rowling, J.K. (1988). "Qual era o nome daquela ninfa novamente? Ou estudos gregos e romanos recuperados". Pegasus. Departamento de Clássicos e História Antiga da Universidade de Exeter. (41). OCLC179161486.
    80. ^ Norman-Culp, Sheila (23 de novembro de 1998). "O autor britânico sobe nas paradas em um conto de feiticeiro". Associated Press Newswires.
      ReprintArchived em 14 de dezembro de 2007 na Wayback Machine na Accio Quote! (accio-quote.org). 24 de fevereiro de 2007. Página visitada em 6 de dezembro de 2007.
    81. ^ Loer, Stephanie (18 de outubro de 1999). "Tudo sobre Harry Potter do quadribol ao futuro do Chapéu Seletor". The Boston Globe.
      ReprintArchived em 10 de outubro de 2007 na Wayback Machine na Accio Quote! (accio-quote.org). Sem data. Página visitada em 10 de outubro de 2007.
    82. ^ "Harry Potter e eu". Especial de Natal da BBC. 2001. Biografia A & ampE (Edição americana), 13 de novembro de 2002.
      ReprintArchived em 17 de agosto de 2007 na Wayback Machine (parte 1 de 5) na Accio Quote! (accio-quote.org). Página visitada em 25 de fevereiro de 2007.
    83. ^Transcrição de Richard e Judy Archived em 4 de setembro de 2007 na Wayback Machine. Richard e Judy, Channel Four Corporation (Reino Unido). 26 de junho de 2006. Página visitada em 4 de julho de 2006.
    84. ^ Semanas, Linton. "Charmed, I'm Sure" Arquivado em 8 de julho de 2007 na Wayback Machine. The Washington Post. 20 de outubro de 1999. Página visitada em 21 de março de 2006.
    85. ^
    86. Kirk, Connie Ann (2003). J.K. Rowling: uma biografia. Estados Unidos: Greenwood Press. p. 57. ISBN978-0-313-32205-1. Arquivado do original em 26 de junho de 2020. Retirado em 4 de março de 2020. Logo, por muitos relatos de testemunhas oculares e até mesmo algumas versões da própria história de Jorge, a violência doméstica se tornou uma dolorosa realidade na vida de Jo.
    87. ^
    88. "J.K. Rowling escreve sobre suas razões para falar sobre questões de sexo e gênero". J.K. Rowling. Arquivado do original em 11 de junho de 2020. Página visitada em 11 de junho de 2020. Eu tenho [. ] nunca falou publicamente sobre ser uma sobrevivente de violência doméstica e de agressão sexual. Não é porque tenho vergonha de que essas coisas tenham acontecido comigo, mas porque é traumático revisitar e lembrar. Também me sinto protetor com minha filha desde meu primeiro casamento. Eu não queria reivindicar a propriedade exclusiva de uma história que pertence a ela também. [. ] Consegui escapar do meu primeiro casamento violento com alguma dificuldade [. ]
    89. ^
    90. "Jornal JK Rowling: Sun criticado por instituições de caridade por abuso por artigo sobre ex-marido". BBC. 12 de junho de 2020. Arquivado do original em 12 de junho de 2020. Página visitada em 12 de junho de 2020.
    91. ^
    92. Grierson, Jamie (12 de junho de 2020). "JK Rowling: consultora de violência doméstica no Reino Unido escreve para o editor da Sun". O guardião. Arquivado do original em 12 de junho de 2020. Página visitada em 12 de junho de 2020.
    93. ^ umabc
    94. JK Rowling (junho de 2008). "JK Rowling: Os benefícios do fracasso". TED. Arquivado do original em 30 de abril de 2011. Página visitada em 5 de março de 2011. Fracasso e imaginação do amplificador
    95. ^"Autor de Harry Potter: Eu considero o suicídio" Arquivado em 25 de março de 2008 na Wayback Machine. CNN. 23 de março de 2008. Página visitada em 23 de março de 2008.
    96. ^O mágico de Harry Potter Arquivou-se em 12 de setembro de 2007 na Wayback Machine. BBC Notícias. 18 de fevereiro de 2003. Página visitada em 30 de dezembro de 2007.
    97. ^
    98. "JK Rowling recebeu grau honorário". The Daily Telegraph. Londres. 8 de julho de 2004. Arquivado do original em 5 de março de 2013. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    99. ^
    100. Melissa Anelli (2008). Harry, A History: The True Story of a Boy Wizard, seus fãs, and Life Inside the Harry Potter Phenomenon. Nova York: Pocket. p. 44. ISBN978-1-4165-5495-0. Arquivado do original em 26 de janeiro de 2017.
    101. ^ umab
    102. Kirk, Connie Ann (2003). J.K. Rowling: uma biografia . Estados Unidos: Greenwood Press. Arquivado do original em 26 de junho de 2020. Retirado em 4 de março de 2020.
    103. ^
    104. Dunn, Elisabeth (30 de junho de 2007). "Do desemprego para Hollywood". The Daily Telegraph. Londres. Arquivado do original em 23 de abril de 2010. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    105. ^
    106. "JK Rowling - Biografia sobre Bio". Biographies.co.uk. Arquivado do original em 2 de agosto de 2013. Página visitada em 26 de dezembro de 2012.
    107. ^ umab"Harry Potter e eu" Arquivado em 5 de março de 2007 na Wayback Machine. Especial de Natal da BBC. 28 de dezembro de 2001. Transcrito por "Marvelous Marvolo" e Jimmi Thøgersen. Citações rápidas Quill.org. Página visitada em 17 de março de 2006.
    108. ^
    109. "BBC Radio 4 - Discos da Ilha Deserta, J K Rowling". BBC.
    110. ^
    111. Damien Henderson (2007). "Como JK Rowling nos deixou fascinados". The Herald. Arquivado do original em 11 de agosto de 2011. Retirado em 6 de julho de 2010.
    112. ^ Riccio, Heather. Entrevista com JK Rowling, autora de Harry Potter Arquivado em 31 de janeiro de 2009 na Wayback Machine. Hilary Magazine. Página visitada em 26 de outubro de 2007.
    113. ^
    114. "Conheça os escritores: J. K. Rowling". Barnes & amp Noble. Arquivado do original em 8 de abril de 2006. Retirado em 2 de outubro de 2017.
    115. ^
    116. Lawless, John (3 de julho de 2005). "Revelado: A menina de oito anos que salvou Harry Potter". The New Zealand Herald. Arquivado do original em 29 de setembro de 2007. Página visitada em 6 de outubro de 2011.
    117. ^ Blais, Jacqueline (9 de julho de 2005). "Harry Potter tem sido muito bom para JK Rowling. USA Today. Retirado em 26 de maio de 2009.
    118. ^O Conselho de Artes Escocês quer vingança Arquivado em 18 de maio de 2007 na máquina Wayback. hpna.com. 30 de novembro de 2003. Página visitada em 9 de abril de 2006.
    119. ^ Kleffel, Rick. Livros raros de Harry Potter Arquivados em 17 de outubro de 2006 na Wayback Machine. metroactive.com. 22 de julho de 2005. Página visitada em 9 de abril de 2006.
    120. ^ Reynolds, Nigel (7 de julho de 1997). "História de sucesso de $ 100.000 para uma mãe sem dinheiro" Arquivado em 26 de outubro de 2007 na Wayback Machine. The Daily Telegraph. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    121. ^Transcrição do bate-papo online "Red Nose Day", BBC, 12 de março de 2001, The Burrow. Recuperado em 16 de abril de 2008. Arquivado em Wayback Engine.
    122. ^ umabc
    123. "Prêmios Harry Potter". Editora Bloomsbury. Arquivado do original em 22 de julho de 2013. Retirado em 30 de julho de 2013.
    124. ^O hat-trick do prêmio de Potter Arquivado em 26 de maio de 2004 na Wayback Machine. BBC Notícias. 1 de dezembro de 1999. Página visitada em 25 de outubro de 2007.
    125. ^ Gibbons, Fiachra. "Beowulf mata o mago" Arquivado em 18 de fevereiro de 2006 na Wayback Machine. O guardião. 26 de janeiro de 2000. Página visitada em 19 de março de 2006.
    126. ^ umab"Registro de vendas de Potter" Arquivado em 11 de novembro de 2007 na Wayback Machine. Reuters / PRNewswire. 11 de julho de 2000. Página visitada em 25 de outubro de 2007.
    127. ^ Johnstone, Anne. O hype em torno do quarto livro de Harry Potter desmente o fato de que Joanne Rowling teve alguns de seus momentos mais negros ao escrevê-lo - e que a pressão foi auto-imposta, um tipo de magia. Arquivado em 11 de outubro de 2007 na Wayback Machine. The Herald. 8 de julho de 2000. Página visitada em 25 de outubro de 2007.
    128. ^ umab
    129. "Biografia de JK Rowling". Canal de biografia. Arquivado do original em 2 de agosto de 2013. Retirado em 26 de agosto de 2013. Rowling foi nomeada Autora do Ano no British Book Awards em 2000
    130. ^Rowling nega o bloqueio do escritor Arquivado em 13 de setembro de 2005 na Wayback Machine. BBC Notícias. 8 de agosto de 2001. Página visitada em 25 de outubro de 2007.
    131. ^ Grossman, Lev. "J.K. Rowling Hogwarts And All" Arquivado em 30 de setembro de 2007 na Wayback Machine. Tempo revista. 17 de julho de 2005. Página visitada em 25 de outubro de 2007.
    132. ^Novo livro de Potter bate recordes de vendas nos EUA Arquivado em 7 de julho de 2017 na Wayback Machine. NBC News. 18 de julho de 2005. Página visitada em 25 de outubro de 2007.
    133. ^ Comunicado de imprensa. Harry Potter e as Relíquias da Morte Arquivado em 28 de setembro de 2007 na Máquina Wayback. Bloomsbury. 21 de dezembro de 2006. Página visitada em 7 de julho de 2007.
    134. ^
    135. "Acabe ou arrebente - a mensagem improvável de JK Rowling em um quarto de hotel em Edimburgo". O escocês. 3 de fevereiro de 2007. Arquivado do original em 13 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    136. ^
    137. Rowling, J. K. "J.K.Rowling Official Site". Arquivado do original em 22 de julho de 2011. Retirado em 15 de agosto de 2011.
    138. ^ umabcAs vendas finais de Harry Potter chegaram a 11 de março. Arquivado em 28 de novembro de 2008 na Wayback Machine. BBC Notícias. 23 de julho de 2007. Página visitada em 27 de julho de 2007.
    139. ^
    140. "Rowling matará dois no livro final". BBC Notícias. Londres. 27 de junho de 2006. Arquivado do original em 3 de agosto de 2009. Página visitada em 24 de março de 2010. 27 de junho de 2006. Página visitada em 25 de julho de 2007.
    141. ^Harry Potter, o homem de US $ 15 bilhões Arquivado em 1º de fevereiro de 2009 na Wayback Machine. Idade da publicidade. Página visitada em 7 de novembro de 2007.
    142. ^ Pauli, Michelle. "Data de junho para Harry Potter 5 Arquivado em 28 de agosto de 2007 na Wayback Machine". O guardião (Londres) "Potter é o livro de venda mais rápida de todos os tempos Arquivado em 29 de agosto de 2007 na Wayback Machine". BBC Notícias. Página visitada em 4 de agosto de 2007.
    143. ^ Sawyer, Jenny. O que falta em 'Harry Potter' - uma verdadeira luta moral Arquivado em 27 de setembro de 2007 na Wayback Machine. The Christian Science Monitor. 25 de julho de 2007. Página visitada em 27 de julho de 2007.
    144. ^
    145. Associado, por (29 de junho de 2007). "Espera-se que o final de Harry Potter estabeleça um recorde". Boston Globe. Arquivado do original em 6 de agosto de 2009. 29 de junho de 2007. Página visitada em 29 de junho de 2007.
    146. ^Novo estudo descobre que a série Harry Potter tem um impacto positivo na leitura das crianças e em seus trabalhos escolares. Arquivado em 24 de fevereiro de 2007 na Wayback Machine. Escolar. 25 de julho de 2006. Página visitada em 10 de fevereiro de 2007.
    147. ^
    148. Mehegan, David (9 de julho de 2007). “No final das contas, a magia Potter se estende apenas até certo ponto”. The Boston Globe. Arquivado do original em 31 de janeiro de 2009. 9 de julho de 2007. Página visitada em 1 de abril de 2008.
    149. ^ Walker, Andrew (9 de outubro de 1998). "Harry Potter está de partida para Hollywood - roteirista milionária" Arquivado em 27 de outubro de 2007 na Wayback Machine. O escocês. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    150. ^ umabDatas de lançamento de Harry Potter Arquivado em 9 de outubro de 2007 na Wayback Machine. Box Office Mojo. Página visitada em 25 de outubro de 2007.
    151. ^
    152. "Notícias das filmagens do Príncipe Mestiço: Ameaça de greve para afetar Harry Potter Seis?". O Caldeirão Furado. Arquivado do original em 23 de março de 2016. 19 de setembro de 2007. Retirado em 19 de setembro de 2007.
    153. ^ Soletrando, Ian. Yates confirmado para Potter VI. Sci Fi Wire. 3 de maio de 2007.
    154. "Scifi.com". Arquivado do original em 5 de maio de 2007. Página visitada em 3 de maio de 2007.
    155. ^
    156. Boucher, Jeff (13 de março de 2008). "O livro final de 'Harry Potter' será dividido em dois filmes". Los Angeles Times. Arquivado do original em 17 de maio de 2008. Página visitada em 13 de março de 2008.
    157. ^
    158. "WB define muitas datas de lançamento!". Comingsoon.net. 24 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 12 de dezembro de 2010. Retirado em 1 de agosto de 2010.
    159. ^ Treneman, Ann. J.K. Rowling, a entrevista Arquivada em 26 de janeiro de 2017 na Wayback Machine. Os tempos. 30 de junho de 2000. Página visitada em 26 de julho de 2006.
    160. ^A Coca apóia a campanha de alfabetização de Harry Potter Arquivado em 20 de junho de 2006 na Wayback Machine. BBC Notícias. 9 de outubro de 2001. Página visitada em 26 de julho de 2006.
    161. ^ Mzimba, Lizo, moderador. "Entrevista com Steve Kloves e J.K. Rowling" Arquivado em 23 de abril de 2011 na Wayback Machine. BBC Newsround. Fevereiro de 2003. Página visitada em 21 de março de 2006.
    162. ^"J.K. Rowling: 'Os fãs ficarão felizes'" Arquivado em 16 de fevereiro de 2007 na Wayback Machine. CBBC Newsround. 2 de novembro de 2001. Página visitada em 21 de março de 2006.
    163. ^J.K. Rowling em 'Hoje' parte 2: o que Daniel Radcliffe sabia, a linha final (com vídeo) Arquivado em 27 de setembro de 2007 na Wayback Machine. Times Herald-Record. 27 de julho de 2007. Página visitada em 21 de agosto de 2007.
    164. ^Rowling nega vetar Spielberg. Site oficial de J. K. Rowling (agora arquivado na Wayback Machine). Página visitada em 3 de abril de 2006.
    165. ^Wizard News: Terry Gilliam Bitter sobre "Potter" Arquivado em 11 de agosto de 2007 na Wayback Machine. Wizard News. 29 de agosto de 2005. Página visitada em 20 de outubro de 2007.
    166. ^ Billington, Alex. Entrevista em vídeo exclusiva: o produtor de 'Harry Potter' David Heyman Arquivado em 14 de janeiro de 2011 na Wayback Machine. firstshowing.net. 9 de dezembro de 2010. Página visitada em 29 de setembro de 2011.
    167. ^ umabWarner Bros. Pictures menciona J. K. Rowling como produtora. Arquivado em 27 de dezembro de 2010 na Wayback Machine Business Wire. 22 de setembro de 2010. Página visitada em 29 de setembro de 2011.
    168. ^
    169. "Contribuição britânica proeminente para o cinema em 2011 - The Harry Potter Films". Academia Britânica de Cinema e Televisão. 2011. Arquivado do original em 6 de fevereiro de 2011. Retirado em 3 de fevereiro de 2011.
    170. ^ umab
    171. "Warner Bros.Anuncia Parceria Criativa Expandida com J.K. Rowling ". Warner Bros. Pictures. Business Wire. 22 de setembro de 2010. Arquivo original em 15 de setembro de 2013. Recuperado em 12 de setembro de 2013.
    172. ^
    173. “JK Rowling planeja cinco filmes do Fantastic Beasts”. BBC. 27 de novembro de 2016. Arquivado do original em 24 de novembro de 2016.
    174. ^ Watson, Julie e Kellner, Tomas. "J.K. Rowling e o império de bilhões de dólares" Arquivado em 29 de julho de 2017 na Wayback Machine. Forbes.com. 26 de fevereiro de 2004. Página visitada em 19 de março de 2006.
    175. ^# 1062 Joanne (JK) Rowling Arquivada em 29 de julho de 2017 na Wayback Machine. Forbes.com. Página visitada em 16 de março de 2008.
    176. ^Oprah é a Artista Feminina Mais Rica Arquivada em 21 de janeiro de 2007 na Wayback Machine. Contato Música. Página visitada em 20 de janeiro de 2007.
    177. ^
    178. "J.K. Rowling: De bilionário para milionário". The New Zealand Herald. 12 de março de 2012. Arquivado do original em 25 de julho de 2013. Retirado em 16 de janeiro de 2013.
    179. ^
    180. "BBC Radio 4, Woman's Hour Power list". BBC. Arquivado do original em 15 de fevereiro de 2013. Retirado em 1 de novembro de 2014.
    181. ^
    182. "Visão do mercado imobiliário escocês 2008: Perthshire". The Times UK. 28 de setembro de 2008. Arquivado do original em 27 de junho de 2019. Página visitada em 13 de junho de 2020. Sua dona mais conhecida, JK Rowling, "The Laird of Killiechassie", comprou sua tira de Perthshire premium de Jackson por cerca de £ 600.000 em 2001 - uma pechincha para os padrões de hoje.
    183. ^
    184. "Refúgio de Hogwarts para o autor de Potter". O escocês. 22 de novembro de 2001. Arquivo do original em 13 de junho de 2020. Página visitada em 25 de outubro de 2007.
    185. ^ Collinson, Patrick. "Esfregue Brucie por £ 4,3 milhões ou Tony por £ 7.250" Arquivado em 26 de janeiro de 2017 na Wayback Machine. O guardião (Londres). 26 de abril de 2005. Página visitada em 29 de outubro de 2007.
    186. ^
    187. "Os 25 autores que mais ganharam dinheiro na última década". lithub.com. 13 de março de 2019. Página visitada em 20 de dezembro de 2020.
    188. ^
    189. "JK Rowling nomeada autora de maior renda do mundo pela Forbes". BBC Notícias. 4 de agosto de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2017. Retirado em 5 de agosto de 2017.
    190. ^
    191. "Autores mais bem pagos do mundo 2019: J.K. Rowling de volta ao topo com US $ 92 milhões". Forbes. 20 de dezembro de 2019. Página visitada em 20 de dezembro de 2020.
    192. ^
    193. "JK Rowling casa-se com o amante do médico na cerimônia secreta do Boxing Day". O escocês. 30 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2017. Página visitada em 13 de junho de 2020. .
    194. ^Casamento de Natal para Rowling Arquivado em 19 de agosto de 2007 na Wayback Machine. BBC Notícias. 30 de dezembro de 2001. Página visitada em 25 de outubro de 2007.
    195. ^
    196. “A alegria do bebê para JK Rowling”. BBC Notícias. Londres. 24 de março de 2003. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2009. Página visitada em 24 de março de 2010.
    197. ^ J.K. Site Oficial de Rowling, "Progresso no Livro Seis". 15 de março de 2004. Recuperado em 22 de março de 2006. Arquivado em Wayback Machine.
    198. ^ umab
    199. Morrison, Jenny (23 de abril de 2004). "Filha do chanceler lembrada no serviço de batismo". O escocês. Edimburgo. Arquivado do original em 28 de julho de 2012. Página visitada em 16 de abril de 2010.
    200. ^ J.K. Site oficial de Rowling, "JKR dá à luz uma menina". Página visitada em 25 de janeiro de 2005. Arquivado em Wayback Machine.
    201. ^ umab
    202. "Biografia". J.K. Rowling.com. Arquivado do original em 4 de agosto de 2016. Retirado em 8 de junho de 2013.
    203. ^ umabc
    204. Carrell, Severin (11 de junho de 2014). “JK Rowling doa £ 1 milhão para a campanha anti-independência da Escócia”. O guardião. Guardian News and Media. Arquivado do original em 11 de junho de 2014. Retirado em 11 de junho de 2014.
    205. ^
    206. Charlotte Williams (2011). “Rowling deixa a agência Christopher Little”. thebookseller.com. Arquivado do original em 3 de julho de 2011. Retirado em 4 de julho de 2011.
    207. ^
    208. Little, Brown & amp Company (2012). "As férias casuais". Arquivado do original em 13 de abril de 2012. Página visitada em 13 de abril de 2012.
    209. ^
    210. "JK Rowling lança novo romance no Southbank Centre". O londrino. 2 de agosto de 2012. Arquivado do original em 4 de agosto de 2012. Retirado em 2 de agosto de 2012.
    211. ^
    212. "JK Rowling aparecerá no Cheltenham Literature Festival". BBC Notícias. 1 de agosto de 2012. Arquivado do original em 2 de agosto de 2012. Retirado em 2 de agosto de 2012.
    213. ^
    214. "Uma hora com J. K. Rowling". Charlie Rose LLC. 19 de outubro de 2012. Arquivado do original em 25 de novembro de 2012. Página visitada em 26 de outubro de 2012.
    215. ^
    216. "J.K. Rowling | Festival do Livro de Lennoxlove". Festival do Livro de Lennoxlove. Arquivado do original em 6 de dezembro de 2012. Página visitada em 29 de dezembro de 2012.
    217. ^
    218. Trachtenberg, Jeffrey A. (9 de outubro de 2012). "Após um começo forte, 'The Casual Vacancy' de J.K. Rowling cai nas paradas". Jornal de Wall Street. Arquivado do original em 22 de novembro de 2012. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    219. ^
    220. "Rowling's Casual Vacancy se tornará série dramática da BBC TV". BBC. 3 de dezembro de 2012. Arquivado do original em 3 de dezembro de 2012.
    221. ^
    222. Singh, Anita (3 de dezembro de 2012). "The Casual Vacancy de JK Rowling será um drama da BBC". The Daily Telegraph. Londres. Arquivado do original em 3 de dezembro de 2012. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    223. ^
    224. "J.K. Rowling escrevendo romance policial, diz relatório". CBC News. Arquivado do original em 30 de março de 2012. Retirado em 13 de julho de 2013.
    225. ^
    226. Lea, Richard (20 de agosto de 2007). “O 'romance policial' de Rowling é uma pista falsa”. O guardião. Londres. Arquivado do original em 4 de novembro de 2013. Retirado em 13 de julho de 2013.
    227. ^
    228. Flood, Alison (24 de fevereiro de 2012). "Novo livro de JK Rowling: pistas sugerem uma virada para a ficção policial". O guardião. Londres. Arquivado do original em 4 de novembro de 2013. Retirado em 13 de julho de 2013.
    229. ^
    230. "Entrevista OOTP de JK". Noite de notícias. 2003. Arquivado do original em 17 de junho de 2008. Recuperado em 20 de maio de 2008. *
    231. "Viver com Harry Potter". BBC Radio 4. 2005. Arquivado do original em 2 de junho de 2009. Página visitada em 20 de maio de 2008.
    232. ^ umab
    233. Brooks, Richard (14 de julho de 2013). "Whodunnit? Revelada a vida secreta de J. K. Rowling como um escritor de crime mágico". The Sunday Times. p. 1. Arquivado do original em 13 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    234. ^ umab
    235. Beth Carswell (18 de julho de 2013). "More on The Cuckoo's Calling - As primeiras vendas assinadas por $ 4.453". AbeBooks.com. Arquivado do original em 31 de julho de 2013. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    236. ^
    237. Osley, Richard (14 de julho de 2013). "The Cuckoo's Calling, de 'Robert Galbraith': o best-seller secreto de JK Rowling". O Independente. Londres. Arquivado do original em 16 de julho de 2013. Retirado em 14 de julho de 2013.
    238. ^
    239. "O Chamado do Cuco". Publishers Weekly. Arquivado do original em 15 de julho de 2013. Retirado em 13 de julho de 2013.
    240. ^
    241. "Avaliações de mistério". Diário da Biblioteca. Arquivado do original em 12 de outubro de 2013. Retirado em 13 de julho de 2013.
    242. ^ umabcd
    243. Maxine Frith (16 de julho de 2013). "Harry Plotter?". London Evening Standard. pp. 20–21.
    244. ^ umab
    245. Lyall, Sarah (14 de julho de 2013). "A história deste romance de detetive não faz sentido". O jornal New York Times. Arquivado do original em 26 de janeiro de 2017. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    246. ^ umab
    247. James Meikle (18 de julho de 2013). “JK Rowling direciona raiva aos advogados após a revelação de sua identidade secreta”. O guardião. Londres. Arquivado do original em 13 de outubro de 2013. Retirado em 19 de julho de 2013.
    248. ^
    249. Watts, Robert (13 de julho de 2013). "JK Rowling desmascarada como autora de romance policial aclamado". The Daily Telegraph. Londres. Arquivado do original em 27 de dezembro de 2019. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    250. ^
    251. Liz Bury (25 de julho de 2013). "JK Rowling conta a história do alter ego Robert Galbraith". O hindu. Chennai, Índia: Guardian News Service. Arquivado do original em 26 de julho de 2013. Retirado em 25 de julho de 2013.
    252. ^
    253. Reeves, Billy (9 de outubro de 2018). "Entrevista de Robert Galbraith com Graham Norton (BBC Radio 2)".
    254. ^
    255. Nick Clark (14 de julho de 2013). "'Eu recusei' Robert Galbraith ': o editor admite rejeitar o romance secreto de JK Rowling". O Independente. Arquivado do original em 6 de abril de 2016. Obtido em 4 de abril de 2016.
    256. ^ umab
    257. Goldsmith, Belinda. "O mistério da vida real do romance 'secreto' de JK Rowling é descoberto". trust.org. Reuters. Arquivado do original em 12 de outubro de 2013. Retirado em 18 de julho de 2013.
    258. ^
    259. Meikle, James (18 de julho de 2013). “JK Rowling dirige raiva aos advogados após a revelação de sua identidade secreta”. O guardião. Londres. Arquivado do original em 25 de agosto de 2013. Retirado em 18 de julho de 2013.
    260. ^
    261. “Rowling aceita compensação pela revelação de identidade”. O hindu. Chennai, Índia. 31 de julho de 2013. Arquivado do original em 3 de agosto de 2013. Retirado em 31 de julho de 2013.
    262. ^
    263. "Advogada de JK Rowling multada por vazamento de Robert Galbraith". BBC Notícias. 2 de janeiro de 2014. Arquivado do original em 2 de janeiro de 2014.
    264. ^
    265. Poladian, Charles (17 de fevereiro de 2014). "J.K. Rowling retorna como Robert Galbraith para o novo romance Cormoran Strike, 'The Silkworm', resumo do enredo e data de lançamento". IBTimes. Arquivado do original em 19 de março de 2014. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    266. ^
    267. Rowling, J. K. "About Robert Galbraith". Robert Galbraith. Arquivado do original em 17 de junho de 2014. Retirado em 15 de março de 2015.
    268. ^
    269. Wilken, Selina (11 de junho de 2015). "J.K. Rowling ajuda Robert Galbraith, revela a capa e a data de publicação de 'Career of Evil'". Hypable. Arquivado do original em 14 de junho de 2015. Retirado em 11 de junho de 2015.
    270. ^
    271. Andreeva, Nellie (26 de outubro de 2016). "HBO pega o drama de 'Cormoran Strike' baseado nos romances policiais de J.K. Rowling". Deadline Hollywood. Arquivado do original em 12 de janeiro de 2017.
    272. ^
    273. Nolfi, Joey (14 de março de 2017). "J.K. Rowling envia aos fãs uma hilária busca por novos Cormoran Strike título do livro". Entretenimento semanal. Arquivado do original em 1 de abril de 2017. Página visitada em 13 de junho de 2020. .
    274. ^
    275. "J.K. Rowling confirma o livro 4 da greve de Cormoran em 2017 e a série de TV". The-Leaky-Cauldron.org. 6 de setembro de 2016. Arquivado do original em 31 de março de 2017. Retirado em 30 de março de 2017. Setembro de 2017.
    276. ^
    277. "Strike 'News and Words on Writing de J.K. Rowling". The-Leaky-Cauldron.org. 31 de janeiro de 2018. Arquivado do original em 8 de fevereiro de 2018. Página visitada em 7 de fevereiro de 2018.
    278. ^
    279. "Lethal White: JK Rowling revela a data de lançamento do Strike". BBC Notícias. 10 de julho de 2018. Arquivado do original em 27 de outubro de 2018. Página visitada em 27 de outubro de 2018.
    280. ^
    281. Rodger, James (19 de fevereiro de 2020). "JK Rowling anuncia o quinto romance de Cormoran Strike Troubled Blood sob o pseudônimo de Robert Galbraith". Birmingham Mail. Arquivado do original em 20 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    282. ^ umab
    283. Waite-Taylor, Eva (13 de maio de 2021). "Vencedores do British Book Awards: De escritores iniciantes a um ativista adolescente e um guru de cuidados com a pele". O Independente . Retirado em 14 de maio de 2021.
    284. ^Transcrição da entrevista de J. K. Rowling em Sexta à noite com Jonathan RossArquivado em 16 de agosto de 2007 na Wayback Machine. 6 de julho de 2007. Página visitada em 20 de outubro de 2007.
    285. ^ Topel, Fred.
    286. "A autora de Harry Potter, J.K. Rowling, encanta leitores em sua turnê de livro nos EUA". New York Post. 2007. Arquivo do original em 20 de outubro de 2007. Recuperado em 30 de outubro de 2007.
    287. ^
    288. “Entrevista do fenômeno Oprah e Harry Potter com JK Rowling”. Arquivado do original em 19 de dezembro de 2011.
    289. ^ Brown, Jen. Pare de chorar! Mais Potter por vir. MSNBC. 24 de julho de 2007. Página visitada em 25 de julho de 2007.
    290. ^Harry Potter Encyclopedia in Progress Arquivado em 26 de janeiro de 2017 na Wayback Machine. O guardião. 16 de abril de 2012. Recuperado em 1 de agosto de 2013.
    291. ^
    292. David L. Ulin. "J.K. Rowling traz um toque mágico aos EUA"Los Angeles Times. Arquivado do original em 19 de outubro de 2007. 16 de outubro de 2007. Página visitada em 30 de outubro de 2007.
    293. ^
    294. Hastings, Chris (23 de dezembro de 2007). "Tears as JK Rowling retorna para onde começou". The Daily Telegraph. Arquivado do original em 27 de dezembro de 2007. Página visitada em 13 de junho de 2020. .
    295. ^
    296. Singh, Anita (16 de junho de 2011). "JK Rowling lança site do Pottermore". The Daily Telegraph. Londres. Arquivado do original em 11 de julho de 2011. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    297. ^
    298. Flood, Alison (23 de junho de 2011). “Site Pottermore lançado por JK Rowling como 'retribuição' aos fãs”. O guardião. Londres. Arquivado do original em 15 de julho de 2014. Retirado em 4 de julho de 2011.
    299. ^
    300. "Pottermore - Cursed Child é a 'oitava história de Potter'". Pottermore. Arquivado do original em 23 de dezembro de 2016.
    301. ^
    302. "O primeiro lote de ingressos de Harry Potter e o Filho Amaldiçoado está esgotado". BBC Notícias. 28 de outubro de 2015. Arquivado do original em 29 de outubro de 2015. Retirado em 30 de outubro de 2015.
    303. ^
    304. "O livro Ickabog está aqui".
    305. ^ umab
    306. Flood, Alison (26 de maio de 2020). "JK Rowling anuncia novo livro infantil, The Ickabog, a ser publicado online gratuitamente". O guardião . Página visitada em 13 de junho de 2020.
    307. ^
    308. Chandler, Mark (13 de abril de 2021). "Rowling lançará um novo romance infantil O Porco de Natal". Página visitada em 13 de abril de 2021.
    309. ^ Memmott, Carol. Um olhar afetuoso em Harry Archived em 15 de março de 2012 na Wayback Machine. EUA hoje. 25 de julho de 2007. Página visitada em 26 de julho de 2007.
    310. ^
    311. "The Volant Charitable Trust (Reino Unido e no exterior)". Merseyside Funding. Arquivado do original em 4 de dezembro de 2008. Obtido em 19 de janeiro de 2008.
    312. ^
    313. "Pão de gengibre de famílias de um pai". OneParentFamilies. Arquivado do original em 7 de julho de 2007.. Página visitada em 11 de julho de 2007.
    314. ^
    315. "JK Rowling se torna presidente de famílias monoparentais". 16 de novembro de 2004. Arquivado do original em 6 de novembro de 2007. Página visitada em 20 de outubro de 2007.
    316. ^Gordon's WomenArchived em 3 de outubro de 2014 na Wayback Machine. Guardian Unlimited. 13 de maio de 2007. Página visitada em 20 de outubro de 2007.
    317. ^ Goodson, Rory e Chittenden, Maurice. “Rowling lança um feitiço que dará milhões a instituições de caridade” Arquivado em 21 de outubro de 2007 na Wayback Machine. The Sunday Times. 7 de janeiro de 2001. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    318. ^
    319. "Comic Relief, The Money". Arquivado do original em 29 de outubro de 2007. Página visitada em 25 de outubro de 2007.
    320. ^Magia (prefácio de JK Rowling). Bloomsbury Publishing, 2002 (0747557462).
    321. ^
    322. "Cerca de". Lumos. Arquivado do original em 29 de novembro de 2012. Recuperado em 7 de novembro de 2010.
    323. ^ Impacto da Filantropia, Sophie Radice. JK Rowling OBE.
    324. "Mulheres e Filantropia". Arquivado do original em 10 de novembro de 2013.
    325. ^ umabO livro raro de JK Rowling chega a £ 2 milhões. Arquivado em 15 de dezembro de 2007 na Wayback Machine. BBC Notícias. 13 de dezembro de 2007. Página visitada em 13 de dezembro de 2007.
    326. ^ Majendie, Paul (1 de novembro de 2007). Rowling se despede de Potter com contos de fadas. Arquivado em 24 de setembro de 2015 na Wayback Machine. Reuters. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    327. ^
    328. Lumos (10 de maio de 2010). "Acenda uma vela de aniversário". Arquivado do original em 12 de abril de 2012. Retirado em 17 de agosto de 2013. Arquivado em Wayback Engine.
    329. ^
    330. "A temporada de dar - as doações milionárias que definiram 2013". Spear's. Arquivado do original em 30 de dezembro de 2013. Retirado em 30 de dezembro de 2013.
    331. ^
    332. "Rupert Grint corre no revezamento da tocha olímpica, JK Rowling na cerimônia de abertura". O Caldeirão Furado. 27 de julho de 2012. Arquivado do original em 28 de julho de 2012. Retirado em 28 de julho de 2012.
    333. ^
    334. "As marcas de JK Rowling começam para a clínica". Universidade de Edimburgo. Arquivado do original em 11 de dezembro de 2011. Página visitada em 15 de dezembro de 2011.
    335. ^
    336. "J.K. Rowling doa £ 10 milhões para clínica de esclerose múltipla". Agence France-Presse. 2010. Arquivado do original em 14 de junho de 2011. Página visitada em 30 de agosto de 2010.
    337. ^
    338. "JK Rowling doa £ 15,3 milhões para o centro de pesquisa MS de Edimburgo". BBC Notícias. Arquivado do original em 12 de setembro de 2019. Retirado em 12 de setembro de 2019.
    339. ^ umab
    340. Andy McSmith (10 de abril de 2009). “Rowling deixou a instituição de caridade para esclerose múltipla por causa da rivalidade anglo-escocesa”. O Independente. REINO UNIDO. Arquivado do original em 13 de abril de 2009. Página visitada em 20 de abril de 2009.
    341. ^
    342. "JK Rowling doa dinheiro para o trabalho de assistência do COVID-19 na Índia". Tempos de Índia. 14 de maio de 2021. Retirado em 14 de maio de 2021.
    343. ^
    344. Williams, Rachel (29 de maio de 2008). “Rowling pensa em Potter prequel para instituições de caridade”. O guardião. Londres. Arquivado do original em 14 de julho de 2008. Página visitada em 5 de maio de 2010.
    345. ^Harry, Carrie, GarpArchived em 25 de outubro de 2007 na Wayback Machine. Escolar. 2006. Página visitada em 25 de outubro de 2007.
    346. ^Autor de 'Potter' adiciona ao UK Reward Fund Arquivado em 8 de outubro de 2007 na Wayback Machine. EUA hoje. 13 de maio de 2007. Retirado em 19 de março de 2012 O autor de Harry Potter adiciona à recompensa. Notícias da Sky. 13 de maio de 2007. Retirado em 19 de março de 2012.
    347. ^Brown publica os melhores discursos Arquivados em 15 de setembro de 2007 na Wayback Machine. BBC Notícias. 5 de abril de 2006. Página visitada em 20 de outubro de 2007.
    348. ^ Battersby, Matilda (31 de julho de 2013). JK Rowling ganha 'doação substancial' para caridade do escritório de advocacia por trás do vazamento de sigilo de Robert Galbraith. O Independente. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    349. ^
    350. Sharp, Robert (22 de maio de 2013). "Destaques das primeiras edições, leilão de segundas intenções". PEN Inglesa. Arquivado do original em 7 de outubro de 2016. Retirado em 6 de outubro de 2016.
    351. ^
    352. "toeby-toe.co.uk". toe-by-toe.co.uk. Arquivado do original em 6 de novembro de 2011. Página visitada em 17 de novembro de 2011.
    353. ^
    354. "Transcrição do chat online, Scholastic.com, 3 de fevereiro de 2000". Cotação Accio !. Arquivado do original em 31 de julho de 2012. Página visitada em 26 de dezembro de 2012.
    355. ^
    356. "Estante de livros de J.K. Rowling". Revista O. Arquivado do original em 23 de maio de 2013. Página visitada em 26 de dezembro de 2012.
    357. ^
    358. "Influências iniciais". J.K. Site oficial de Rowling. Arquivado do original em 30 de dezembro de 2012. Página visitada em 26 de dezembro de 2012.
    359. ^
    360. Leach, Ben (20 de setembro de 2008). "A autora de Harry Potter, JK Rowling, doa £ 1 milhão ao Trabalho". The Daily Telegraph. Londres. Arquivado do original em 20 de setembro de 2008. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    361. ^
    362. Cruz, Juan (8 de fevereiro de 2008). "Ser invisível. Eso sería lo más". El País (em espanhol). Arquivado do original em 13 de fevereiro de 2008. Página visitada em 8 de fevereiro de 2008.
    363. ^
    364. J. K. Rowling (14 de abril de 2010). “O manifesto da mãe solteira”. Os tempos. REINO UNIDO. Arquivado do original em 23 de abril de 2010. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    365. ^
    366. Aitkenhead, Decca (22 de setembro de 2012). “JK Rowling: 'O pior que pode acontecer é que todo mundo diga, isso é chocantemente ruim'”. O guardião. Londres. Arquivado do original em 21 de dezembro de 2013. Retirado em 22 de setembro de 2012.
    367. ^
    368. “JK Rowling doa £ 1 milhão para a campanha 'Não' da independência da Escócia e chama alguns nacionalistas de 'Comensais da Morte'”. O Independente. Londres. 12 de junho de 2014. Arquivado do original em 11 de junho de 2014. Retirado em 12 de junho de 2014.
    369. ^
    370. Vários (22 de outubro de 2015). “Israel precisa de pontes culturais, não de boicotes - carta de JK Rowling, Simon Schama e outros”. O guardião. REINO UNIDO. Arquivado do original em 22 de outubro de 2015. Retirado em 23 de outubro de 2015.
    371. ^
    372. "Boicotes culturais: = JK Rowling". Twitlong. REINO UNIDO. 26 de outubro de 2015. Arquivado do original em 5 de novembro de 2015. Retirado em 5 de novembro de 2015.
    373. ^
    374. JK Rowling (2016). "Sobre monstros, vilões e o referendo da UE". jkrowling.com. Arquivado do original em 4 de agosto de 2016. Retirado em 5 de agosto de 2016.
    375. ^
    376. O'Connor, Roisin (23 de março de 2019)."Votação do povo: Steve Coogan, Patrick Stewart e Delia Smith entre rostos famosos em marcha para o segundo referendo do Brexit". O Independente. Arquivado do original em 27 de outubro de 2018. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    377. ^ umab
    378. Shawn Adler (2007). "A autora de Harry Potter, J.K. Rowling, fala sobre as imagens cristãs dos livros". MTV. Arquivado do original em 18 de outubro de 2007. Página visitada em 18 de outubro de 2007.
    379. ^ Nelson, Michael. Fantasia: O Evangelho de acordo com C.S. Lewis Arquivado em 11 de outubro de 2007 na Wayback Machine. The American Prospect. 25 de fevereiro de 2002. Página visitada em 20 de outubro de 2007.
    380. ^
    381. Wyman, Max. "Você pode levar um tolo a um livro, mas não pode fazê-lo pensar". The Vancouver Sun. Arquivado do original em 30 de setembro de 2007. 26 de outubro de 2000. Página visitada em 29 de outubro de 2007.
    382. ^
    383. "Nova entrevista com J.K. Rowling para o lançamento da edição holandesa de" Relíquias da morte "". O Caldeirão Furado. 2007. Arquivado do original em 20 de novembro de 2007. Página visitada em 15 de novembro de 2007.
    384. ^
    385. Linton Weeks (1999). "Encantado, tenho certeza". The Washington Post. Arquivado do original em 8 de julho de 2007. Página visitada em 17 de junho de 2007.
    386. ^
    387. Hale, Mike (16 de julho de 2009). "A mulher por trás do menino feiticeiro". O jornal New York Times. Arquivado do original em 15 de julho de 2011. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    388. ^
    389. “Os críticos cristãos de Rowling erram o alvo”. 19 de outubro de 2007. Arquivado do original em 26 de julho de 2010. Página visitada em 16 de novembro de 2010.
    390. ^
    391. Cruz, Juan (8 de fevereiro de 2008). "Ser invisível. Eso sería lo más". El País (em espanhol). Edimburgo. Arquivado do original em 8 de fevereiro de 2012. Página visitada em 9 de fevereiro de 2008.
    392. ^ Vieira, Meredith. "Harry Potter: O capítulo final". MSNBC. Página visitada em 30 de julho de 2007.
    393. ^
    394. Apresentador: Mark Lawson (27 de setembro de 2012). "JK Rowling". Primeira fila. O evento ocorre às 17:45. BBC Radio 4. Arquivado do original em 1 de outubro de 2012. Retirado em 27 de setembro de 2012.
    395. ^
    396. Berenson, Tessa (28 de maio de 2015). "J.K. Rowling teve uma briga incrível no Twitter com a Igreja Batista de Westboro". Tempo. Arquivado do original em 29 de maio de 2015. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    397. ^
    398. Jordan Bassett (2017). "JK Rowling e o jogo selvagem do Twitter: os tweets mais atrevidos da autora de Harry Potter". NME. Arquivado do original em 24 de abril de 2017. Retirado em 23 de abril de 2017.
    399. ^ Treneman, Ann. “Não estou escrevendo pelo dinheiro: é para mim e por lealdade aos fãs.” Arquivado em 27 de outubro de 2007 na Wayback Machine. Os tempos. 20 de junho de 2003. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    400. ^ umab
    401. Lisa O'Carroll e Josh Halliday (24 de novembro de 2011). "Inquérito de Leveson: JK Rowling e Sienna Miller dão provas". O guardião. Londres. Arquivado do original em 10 de agosto de 2014. Retirado em 22 de setembro de 2012.
    402. ^Máquina Wayback. pcc.org.uk. 2001. Página visitada em 8 de dezembro de 2007.
    403. ^David Murray (por seus amigos de litígio Neil Murray e Joanne Murray) v Big Pictures (UK) Limited[2008] EWCA Civ 446 (7 de maio de 2008).
    404. ^ Lockerbie, Catherine.
    405. "Todos a bordo do Expresso de Hogwarts". O escocês. REINO UNIDO. Arquivado do original em 27 de outubro de 2007. 11 de julho de 2000. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    406. ^
    407. "Daily Mail paga indenização a JK Rowling". BBC Notícias. 7 de maio de 2014. Arquivado do original em 18 de março de 2020. Página visitada em 24 de abril de 2020.
    408. ^
    409. "Sobre os livros: transcrição da entrevista ao vivo de J.K. Rowling no Scholastic.com". Arquivado do original em 16 de dezembro de 2007. 16 de outubro de 2000. Página visitada em 30 de outubro de 2007.
    410. ^
    411. O'Carroll, Lisa (14 de setembro de 2011). "Inquérito de hackeamento telefônico de Leveson: JK Rowling entre os 'principais participantes'". O guardião. Londres. Arquivado do original em 4 de junho de 2014. Página visitada em 24 de setembro de 2011.
    412. ^ umab
    413. "JK Rowling conta a Leveson inquérito sobre intrusão da imprensa". BBC. 24 de novembro de 2011. Arquivado do original em 24 de novembro de 2011. Página visitada em 25 de novembro de 2011.
    414. ^ umab
    415. Richard Allen Greene (2011). "J.K. Rowling perseguida de casa pela imprensa, ela diz". CNN. Arquivado do original em 11 de abril de 2014. Página visitada em 25 de novembro de 2011.
    416. ^
    417. Rowling, JK (30 de novembro de 2012). “Eu me sinto enganado e zangado com a reação de David Cameron a Leveson”. O guardião. Londres. Arquivado do original em 13 de setembro de 2013. Retirado em 3 de dezembro de 2012.
    418. ^
    419. Szalai, Georg (18 de março de 2014). "Benedict Cumberbatch, Alfonso Cuaron, Maggie Smith Back UK Press Regulation". The Hollywood Reporter. Arquivado do original em 7 de junho de 2014. Retirado em 19 de março de 2014.
    420. ^
    421. Lewis, Sophie (19 de dezembro de 2019). "J.K. Rowling enfrenta reação após apoiar a pesquisadora que perdeu o emprego por causa de tweets transfóbicos". CBS News. Arquivado do original em 20 de dezembro de 2019. Recuperado em 20 de dezembro de 2019.
    422. ^
    423. Stack, Liam (19 de dezembro de 2019). "J.K. Rowling criticada após tweetar suporte para pesquisador anti-transgênero". O jornal New York Times. ISSN0362-4331. Arquivado do original em 13 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    424. ^
    425. Gallagher, Sophie (19 de dezembro de 2019). “JK Rowling defende mulher que perdeu o tribunal do trabalho por causa de tweets trans”. O Independente. Arquivado do original em 3 de junho de 2020. Retirado em 3 de junho de 2020.
    426. ^
    427. J.K. Rowling [@jk_rowling] (6 de junho de 2020). “'Pessoas que menstruam.' Tenho certeza de que costumava haver uma palavra para essas pessoas. Alguém me ajude. Wumben? Wimpund? Woomud? " (Tweet) - via Twitter.
    428. ^
    429. J.K. Rowling [@jk_rowling] (6 de junho de 2020). "Se o sexo não for real, não há atração pelo mesmo sexo. Se o sexo não for real, a realidade vivida pelas mulheres em todo o mundo é apagada. Eu conheço e amo pessoas trans, mas apagar o conceito de sexo remove a capacidade de muitos de discutir suas vidas de forma significativa. Não é ódio falar a verdade "(Tweet) - via Twitter.
    430. ^
    431. GLAAD [@glaad] (6 de junho de 2020). “JK Rowling continua a se alinhar com uma ideologia que distorce deliberadamente os fatos sobre a identidade de gênero e as pessoas que são trans. Nós apoiamos os jovens trans, especialmente aqueles fãs de Harry Potter feridos por seus tweets imprecisos e cruéis” (Tweet) - via Twitter.
    432. ^
    433. Moreau, Jordânia (6 de junho de 2020). "J.K. Rowling recebe reação contra tweets anti-trans". Variedade. Arquivado do original em 7 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    434. ^
    435. Bui, Hoai-Tran (11 de junho de 2020). "As crianças de 'Harry Potter' estão bem: Emma Watson e Eddie Redmayne condenam os comentários de Trangender de J.K. Rowling". SlashFilm.com. Arquivado do original em 11 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    436. ^
    437. Evans, Mel (12 de junho de 2020). "Rupert Grint 'está com a comunidade trans' ao compartilhar a declaração após a reação de JK Rowling". Metro. Arquivado do original em 12 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    438. ^
    439. "Os sites de fãs de Harry Potter se distanciam de JK Rowling por causa dos direitos dos transgêneros". O guardião. 3 de julho de 2020. Arquivado do original em 3 de julho de 2020. Retirado em 3 de julho de 2020.
    440. ^
    441. Malvern, Jack (13 de junho de 2020). "JK Rowling: inundação de tweets reverte o elogio de Noma Dumezweni ao autor". Os tempos. Arquivado do original em 13 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    442. ^
    443. "J.K. Rowling escreve sobre suas razões para falar sobre questões de sexo e gênero". Arquivado do original em 10 de junho de 2020. Página visitada em 10 de junho de 2020.
    444. ^
    445. "J.K. Rowling defende declarações trans em ensaio extenso, revela que ela é uma sobrevivente de agressão sexual e amp diz que" Pessoas trans precisam e merecem proteção "". Prazo final. Arquivado do original em 17 de junho de 2020. Página visitada em 26 de junho de 2020.
    446. ^
    447. Shirbon, Estelle (10 de junho de 2020). “J.K. Rowling revela abusos do passado e defende o direito de falar sobre questões trans”. Reuters. Arquivado do original em 11 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    448. ^
    449. "Explicador: J. K. Rowling e mulheres trans em espaços de sexo único: qual é o furor?". Reuters. 11 de junho de 2020. Página visitada em 6 de abril de 2021.
    450. ^
    451. “J K Rowling, homens predadores e as nuances que todos nós estamos perdendo”. O Independente. 11 de junho de 2020. Página visitada em 6 de abril de 2021.
    452. ^
    453. "Uma carta aberta para J.K. Rowling". Sereias. 12 de junho de 2020. Arquivado do original em 12 de junho de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    454. ^
    455. Moore, Matt (13 de junho de 2020). "Mermaids escreve carta aberta para JK Rowling seguindo seus tweets anti-trans". Gay Times. Arquivado do original em 13 de junho de 2020. Página visitada em 14 de junho de 2020.
    456. ^
    457. "A escritora feminista Judith Butler deu sua teoria sobre porque JK Rowling considerou necessário falar abertamente". Pink News. 4 de janeiro de 2021. Página visitada em 26 de março de 2021.
    458. ^
    459. "Judith Butler nas guerras culturais, JK Rowling e vivendo em" tempos anti-intelectuais "". New Statesman. 22 de setembro de 2020. Página visitada em 26 de março de 2021.
    460. ^
    461. López, Canela. “J.K. Rowling escreveu uma declaração controversa sobre pessoas trans em resposta a serem chamadas de 'TERF'. Aqui está o que isso significa ". Insider . Página visitada em 5 de julho de 2020.
    462. ^
    463. Ntim, Zac. “O ator de Hagrid, Robbie Coltrane, diz que as pessoas acusando JK Rowling de transfobia 'ficam por aí esperando para serem ofendidas'”. Insider . Página visitada em 25 de setembro de 2020.
    464. ^
    465. Dosani, Rishma (24 de setembro de 2020). "Brian Cox defende JK Rowling por causa da discussão sobre menstruação enquanto ele explode cultura de cancelamento". Metro . Retirado em 28 de setembro de 2020.
    466. ^ umab
    467. Thorpe, Vanessa (14 de junho de 2020). "JK Rowling: da magia ao coração de uma tempestade no Twitter". O observador. Arquivado do original em 4 de julho de 2020. Página visitada em 6 de julho de 2020. Do lado de Rowling estão algumas das vozes veteranas do feminismo, incluindo a radical Julie Bindel, que falou em apoio neste fim de semana.
    468. ^
    469. "A luta solitária de J.K. Rowling pelos direitos das mulheres". Examinador de Washington. 26 de junho de 2020. Arquivado do original em 8 de julho de 2020. Página visitada em 22 de julho de 2020.
    470. ^
    471. "Os vencedores: Prêmio Russell 2020 de melhor redação". bbc. 21 de dezembro de 2020. Página visitada em 22 de dezembro de 2020.
    472. ^
    473. "BBC nomeia o polêmico ensaio de direitos trans de J.K.Rowling para prêmio". dw. 22 de dezembro de 2020. Página visitada em 22 de dezembro de 2020.
    474. ^ umab
    475. Flood, Alison (28 de agosto de 2020). “JK Rowling devolve prêmio de direitos humanos a grupo que denuncia suas visões trans”. O guardião . Retirado em 28 de agosto de 2020.
    476. ^
    477. "Uma declaração de Kennedy". Site de direitos humanos de Robert F. Kennedy. 3 de agosto de 2020.
    478. ^
    479. "Declaração de J.K. Rowling a respeito do Prêmio Ripple of Hope de Direitos Humanos de Robert F Kennedy". Retirado em 5 de setembro de 2020.
    480. ^"Rowling busca a proibição de 'Grotter'" Arquivado em 6 de novembro de 2018 na Wayback Machine. BBC NewsArchived em 21 de abril de 1999 na Wayback Machine, em 13 de março de 2003. Página visitada em 21 de março de 2006. "
    481. ^
    482. Jack Malvern Richard Cleroux (13 de julho de 2005). "Proibição de leitura de Harry Potter que vazou". Os tempos. Londres. Arquivado do original em 29 de maio de 2010. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    483. ^
    484. Michael Geist (18 de julho de 2005). "Harry Potter e o Direito de Ler". Toronto Star. Arquivado do original em 14 de agosto de 2007. Página visitada em 12 de outubro de 2007.
    485. ^
    486. Kirkpatrick, David D. (21 de junho de 2003). "Os esforços da editora para manter os segredos da história colidem com as preocupações com a liberdade de expressão". O jornal New York Times. Arquivado do original em 3 de novembro de 2011. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    487. ^
    488. Pook, Sally (15 de julho de 2000). "JK Rowling recebeu grau honorário em sua alma mater". The Daily Telegraph. Arquivado do original em 31 de maio de 2010. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    489. ^
    490. Cribb, David (2006). "JK Rowling recebe diploma honorário". espião digital. Arquivado do original em 10 de dezembro de 2008. Recuperado em 6 de junho de 2008.
    491. ^
    492. "JK Rowling, autora de 'Harry Potter', recebe diploma honorário". University of Aberdeen. 2006. Arquivado do original em 12 de dezembro de 2008. Recuperado em 6 de junho de 2008.
    493. ^
    494. Guehenno, Claire M. Holland, Laurence H. M. (2008). "J. K. Rowling fala no início". The Harvard Crimson. Arquivado do original em 15 de junho de 2008. Retirado em 6 de junho de 2008.
    495. ^
    496. "Dra. Joanne Kathleen Rowling CH, OBE, HonFRSE - The Royal Society of Edinburgh". The Royal Society of Edinburgh. Arquivado do original em 22 de novembro de 2018. Página visitada em 22 de novembro de 2018.
    497. ^RSL Fellows: J.K. Rowling Arquivada em 9 de agosto de 2019 na Wayback Machine - site da Royal Society of Literature
    498. ^
    499. "College Fellows e membros reconhecidos em Queen's Birthday Honors". Royal College of Physicians de Edimburgo. RCPE. Arquivado do original em 2 de outubro de 2017. Retirado em 4 de julho de 2017.
    500. ^"Caine lidera a lista de homenagens de aniversário" Arquivado em 15 de fevereiro de 2009 na Wayback Machine. BBC Notícias. 17 de junho de 2000. Página visitada em 25 de outubro de 2000.
    501. ^
    502. "Walters nomeia Rowling como a 'mais fascinante' de 2007". Acessar Hollywood. Arquivado do original em 22 de dezembro de 2015.
    503. ^
    504. Cockcroft, Lucy (20 de setembro de 2008). "A autora de Harry Potter, JK Rowling, recebe o Prêmio de Edimburgo". O telégrafo. Arquivado do original em 5 de agosto de 2017. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    505. ^
    506. "JK Rowling ganha o prêmio de literatura Hans Christian Andersen". O guardião. 20 de outubro de 2010. Arquivado do original em 21 de julho de 2019. Retirado em 21 de julho de 2019.
    507. ^
    508. "Harry Potter - Excelente contribuição britânica para o vencedor do cinema em 2011". BAFTA. Arquivado do original em 21 de julho de 2019. Retirado em 21 de julho de 2019.
    509. ^
    510. "Novos rostos na capa do álbum Sgt Pepper para o aniversário de 80 anos do artista Peter Blake". O guardião. 11 de novembro de 2016. Arquivado do original em 5 de novembro de 2016.
    511. ^
    512. "No. 61962". The London Gazette (1º suplemento). 17 de junho de 2017. p. B25.
    513. ^
    514. "Vencedores - Prêmio Tony do American Theatre Wing". tonyawards.com. Tony Awards. Arquivado do original em 7 de junho de 2020. Página visitada em 7 de junho de 2020.
    515. ^
    516. "Equipe criativa da produção teatral de Harry Potter". harrypottertheplay.com. Arquivado do original em 7 de junho de 2020. Página visitada em 7 de junho de 2020.
    517. ^
    518. Ennis, Dawn (4 de março de 2019). "Ícones lésbicos homenageados com camisetas usadas pelo USWNT". Outsports. Arquivado do original em 5 de março de 2019. Retirado em 4 de março de 2019.
    519. ^
    520. "JK Rowling revela The Ickabog, seu primeiro livro infantil não Harry Potter". BBC.com. BBC Notícias. 26 de maio de 2020. Arquivo original em 27 de maio de 2020. Página visitada em 13 de junho de 2020.
    521. ^
    522. "J.K. Rowling lança os primeiros capítulos da nova história infantil The Ickabog". www.msn.com. Arquivado do original em 20 de junho de 2020. Página visitada em 1 de junho de 2020.
    523. ^
    524. "O Porco de Natal é Anunciado". 13 de abril de 2021.
    525. ^
    526. Alison Flood (10 de abril de 2014). "JK Rowling se tornará a primeira editora convidada do Woman's Hour em 60 anos". O guardião. Arquivado do original em 8 de maio de 2014. Retirado em 7 de maio de 2014.
    527. ^
    528. Gayané, Kaligian. "J.K. Rowling contribui para" Uma Carta de Amor à Europa "". Mugglenet. Arquivado do original em 28 de setembro de 2019. Recuperado em 29 de setembro de 2019.
    529. ^
    530. Goldberg, Lesley (23 de abril de 2019). "J.K. Rowling, HBO, BBC Team for 'Casual Vacancy' Minissérie". The Hollywood Reporter. Arquivado do original em 24 de setembro de 2019. Retirado em 15 de setembro de 2019.
    531. ^
    532. Barraclough, Leo (2 de novembro de 2016). "Holliday Grainger estrelará a série de TV 'Cormoran Strike' de J.K. Rowling (EXCLUSIVO)". Variedade. Arquivado do original em 5 de novembro de 2016. Retirado em 22 de novembro de 2016.
    533. ^
    534. "Uma emocionante nova aventura no mundo mágico de J.K. Rowling está em andamento". Warner Bros. Pictures. Business Wire. 3 de julho de 2017. Arquivado do original em 24 de setembro de 2019. Retirado em 23 de setembro de 2019.

    400 ms 16,9%? 400 ms 16,9% dataWrapper 220 ms 9,3% Scribunto_LuaSandboxCallback :: corresponder 220 ms 9,3% type 100 ms 4,2% Scribunto_LuaSandboxCallback :: getEntity 80 ms 3,4% Scribunto_LuaSandboxCallback :: gsub 80 ms 3,4% 80 ms 3,4% getmetatable 80 ms 3,4% Scribunto_LuaSandboxCallback :: getExpandedArgument 80 ms 3,4% [outros] 620 ms 26,3% Número de entidades da Wikibase carregadas: 1/400 ->


    Controvérsias

    Em maio de 2005, as casas de apostas no Reino Unido suspenderam as apostas sobre qual personagem principal morreria no livro em meio a temores de conhecimento interno. Uma série de apostas de alto valor foram feitas na morte de Alvo Dumbledore, muitas vindas da cidade de Bungay onde, acreditava-se, os livros estavam sendo impressos na época. As apostas foram reabertas posteriormente. bbc

    No início de julho, The Real Canadian Superstore, uma grande rede de supermercados em Coquitlam, British Columbia, Canadá, vendeu acidentalmente quinze cópias de O príncipe Mestiço antes da data de lançamento autorizada. A editora canadense Raincoast Books obteve uma liminar da Suprema Corte de British Columbia proibindo os compradores de ler os livros antes da data oficial de lançamento ou de discutir o conteúdo. Os compradores receberam uma camiseta do Harry Potter e uma cópia autografada do livro, caso devolvessem suas cópias antes de 16 de julho.


    Clifden

    Se você quiser a experiência de uma pequena cidade irlandesa, Clifden e rsquos é o seu lugar. A vila, aninhada ao longo da costa atlântica em uma extensa paisagem verde no condado de Galway, tem música ao vivo, uma excelente gastronomia e pubs e muitas excursões ao ar livre como pesca, passeios a cavalo e ciclismo. Explore as colinas atrás da vila que levam ao Castelo de Clifden, uma casa senhorial em ruínas que remonta a 1818. Você também pode dirigir ao longo da Sky Road que se eleva a 150 metros acima do mar e oferece vistas deslumbrantes do oceano, do castelo e do Campo irlandês. Também fica perto do Parque Nacional de Connemara, para que você possa visitar facilmente os dois pontos em uma única viagem.

    As ruínas do Castelo de Clifden. (Foto de egal / Getty Images)


    Tradições

    Os alunos e funcionários foram transportados pelo uso das Carruagens Beauxbatons & # 915 & # 93 (francês: Le carrosse de Beauxbâtons) As carruagens eram azul claro, puxadas por uma dúzia de cavalos alados. Apesar de ser usado como meio de transporte pela Beauxbatons, viajar em uma carruagem gigante puxada por cavalos Abraxan do tamanho de uma casa era uma violação do Estatuto Internacional de Sigilo Mágico. & # 916 & # 93 Os cavalos Abraxan bebiam apenas whisky de single malte.

    Os alunos da Beauxbatons Academy foram ensinados a ficar em posição de sentido desde o momento em que a diretora entrava na sala até que ela mesma se sentasse, demonstrando grande respeito por ela.

    No Palácio de Beauxbatons, eles tinham esculturas de gelo por toda a Câmara de Jantar no Natal. As esculturas de gelo não derreteram e eram como estátuas de diamantes brilhantes. De acordo com Fleur Delacour, a comida servida na escola era excelente, com coros de Ninfas da Madeira que faziam serenatas aos alunos enquanto comiam. & # 914 e # 93

    Fleur também deu a entender que Beauxbatons valorizava a ordem e não admitia bagunça, já que ela alegou que um poltergeist seria rapidamente expulso do palácio. & # 914 e # 93

    Uniforme

    Os alunos usavam vestes azuis claras feitas de seda fina. & # 912 e # 93


    ARTIGOS RELACIONADOS

    Até mesmo o Inca consumia álcool na forma de chicha - uma cerveja à base de milho misturada com morangos que ainda é consumida hoje - embora o Inca freqüentemente usasse ervas que alteram a mente em vez de morangos.

    Todas as bebidas alcoólicas são feitas de leveduras - minúsculas formas de vida unicelulares que consomem açúcar e o decompõem em dióxido de carbono e etanol.

    O vinho desempenha um grande papel na cultura georgiana, e pesquisas sugerem que os georgianos faziam vinho há 8.000 anos.Alguns vinhos brancos georgianos parecem dourados porque são fermentados com a uva inteira, incluindo a casca e os caules - que é como o vinho tinto é fermentado

    O etanol é o único tipo de composto alcoólico que pode ser bebido - outros tipos, como o metanol, são encontrados em fluidos de lavagem de pára-brisas e descongelantes de carros.

    Existem muitos tipos diferentes de levedura e provavelmente já fermentam frutas há 120 milhões de anos - quando as frutas surgiram pela primeira vez na Terra.

    Muitos humanos gostam de beber álcool porque nos faz sentir bem - libera serotonina e dopamina no cérebro, o que reduz a ansiedade e nos faz sentir felizes.

    O ÁLCOOL PODE SER FEITO DE GRAMA, FRUTA, ÁRVORES E ATÉ LEITE

    • Vinho de cacau: os mesoamericanos faziam vinho usando o cacau, bebendo-o soprando ar em uma panela e bebendo a espuma líquida no topo.
    • Cerveja de mandioca: os antigos cervejeiros de 4.000 aC faziam uma fermentação forte com a mandioca mastigando primeiro a raiz amilácea - uma enzima da saliva que converte o amido em açúcar fermentável.
    • Vinho de frutas vermelhas: em 600 dC, no Peru, uma fruta vermelha que cresce na árvore de pimenta peruana foi fermentada em um vinho forte.
    • Batata chicha: O povo Mapuche do Chile fermentou as batatas em uma bebida forte em 13.000 aC.
    • Cerveja Gruit: em 500 DC, os europeus preparavam uma bebida com frutas nativas, cevada, mel, vinho, ervas e seiva de árvore.
    • Cerveja de sorgo: o grão de sorgo era usado para fazer cerveja em 6000 aC na África - e não tem glúten.
    • Vinho de palma: em 16.000 aC, a seiva de diferentes tipos de palmeira era fermentada para fazer o vinho de palma e ainda é popular na África e nas regiões tropicais da Ásia.
    • Koumiss: Em 4500 aC, os nômades da Ásia Central não tinham acesso às plantações, então eles usaram leite fermentado de um cavalo para fazer uma bebida alcoólica leve.

    Mas nossos ancestrais primatas, que dependiam de dietas amplamente baseadas em frutas, tinham outros motivos para buscar o álcool.

    O álcool tinha um cheiro forte, o que os ajudou a encontrar frutas com mais facilidade,

    O Dr. Robert Dudley, fisiologista da Universidade da Califórnia, Berkeley, disse à National Geographic que chama isso de hipótese do "macaco bêbado".

    Ele disse: 'Se você pode sentir o cheiro do álcool e chegar mais rápido às frutas, você tem uma vantagem.'

    'Você vence a competição e consegue mais calorias', disse ele.

    Ele explica que os macacos que comiam mais tinham maior probabilidade de se reproduzir e até sentir uma leve onda de prazer no cérebro.

    O álcool também tem propriedades anti-sépticas - dissuadindo micróbios infecciosos que podem ter deixado os primatas doentes.

    Também pode tornar as frutas mais fáceis de digerir, para que os animais possam comer mais delas.

    Nossos ancestrais macacos começaram a comer frutas fermentadas, e isso ajudou os humanos a se adaptarem ao consumo de álcool.

    No entanto, os pesquisadores não têm muitas evidências científicas para sugerir que nossos ancestrais macacos sempre ficaram muito bêbados, pois isso os tornaria mais vulneráveis ​​aos predadores.

    Parece que a sensação de excitação do álcool pode ser exclusiva dos humanos - e está em nossos genes.

    Há dez milhões de anos, um gene no nosso último ancestral comum e nos macacos sofreu mutação, permitindo-nos digerir o etanol até 40 vezes mais rápido.

    Nós nos adaptamos ao consumo de álcool por muitos anos, e há evidências disso em diferentes civilizações humanas na história.

    Por exemplo, a origem das uvas para vinho pode ser rastreada até as montanhas Caucus na Geórgia e as montanhas Zagros no Irã.

    Em Mas des Tourelles, uma propriedade perto da cidade de Arles, no sul da França, o vinicultor Hervé Durand trabalhou com arqueólogos para recriar vinhos romanos a partir de receitas do século I d.C. - e para reconstituir o antigo processo de vinificação. Os romanos o temperaram com ingredientes surpreendentes: um dos vinhos de Durand contém feno-grego, íris e água do mar

    O vinho desempenha um grande papel na cultura georgiana, e pesquisas sugerem que os georgianos faziam vinho há 8.000 anos.

    Hoje, algumas famílias na Geórgia ainda fazem seu próprio vinho.

    Eles fermentam o vinho em potes de barro forrados com cera de abelha, e os potes são enterrados até o gargalo para fermentação.

    Alguns vinhos brancos georgianos parecem dourados porque são fermentados com a uva inteira, incluindo a casca e os caules - que é como o vinho tinto é fermentado.

    O Dr. Patrick McGovern, um 'arqueólogo do álcool' da Universidade da Pensilvânia, rastreou algumas das cervejas mais antigas do mundo.

    Ao analisar os resíduos encontrados em fragmentos de cerâmica e estudar referências em textos, ele conseguiu recriar uma série de cervejas e vinhos antigos que se perderam na história.

    As bebidas foram produzidas pela Dogfish Head Brewery em Delaware, que trabalhou com o Dr. Patrick McGovern, do Museu de Arqueologia e Antropologia da Universidade da Pensilvânia.

    Esquerda: Dr. McGovern (foto à esquerda), com Sam Calagione da cervejaria Dogfish, fazendo uma antiga cerveja. À direita: um balde de casca de bétula encontrado na Dinamarca, cujas evidências arqueobotânicas revelaram conter "grogue nórdico" que remonta a 1.500 anos

    Para revelar quais ingredientes eram necessários, o Dr. McGovern analisou resíduos encontrados em vários sítios arqueológicos ao redor do mundo.

    Ele detectou traços de vários ingredientes deixados pelas bebidas - incluindo cevada, mel, ervas e especiarias - usando vários métodos, incluindo cromatografia líquida, cromatografia gasosa e espectrometria de massa.

    A primeira bebida que ele recriou é chamada de Toque de Midas e é baseada em evidências moleculares de resíduos encontrados dentro de uma tumba turca, que se acredita ter pertencido ao Rei Midas, datada de 700 aC.

    Uma variedade de resíduos de álcool foi encontrada dentro de tumbas importantes ao redor do mundo - sugerindo que eram bebidas usadas durante celebrações ou rituais e talvez até para desejar boa sorte aos mortos na vida após a morte.

    A doce e seca cerveja Midas Touch é feita com mel, malte de cevada, uvas moscatel brancas e açafrão.

    A cerveja mais antiga que o Dr. McGovern fabricou chama-se Chateau Jiahu, cujos ingredientes foram descobertos dentro de uma tumba de 9.000 anos na China.

    É feito com espinheiro, uvas selvagens chinesas, arroz e mel, e é a bebida fermentada mais antiga conhecida na história - mais velha ainda do que o vinho.

    RECEITAS DE BREW HISTÓRICO

    Em algum lugar entre cerveja, vinho e hidromel, esta bebida é baseada em evidências moleculares encontradas em uma tumba turca que se acredita ter pertencido ao rei Midas, que remonta a 700 aC. É uma cerveja doce, porém seca, feita com mel, malte de cevada, uvas moscatel brancas e açafrão.

    Esta bebida chinesa de 9.000 anos é feita com espinheiro, uvas selvagens chinesas, arroz e mel. É a bebida fermentada mais antiga conhecida na história.

    Encontrado em Honduras, o Teobrama é fermentado com chocolate escuro artesanal da antiga área de cacau de Soconusco, mel, pimenta, milho e urucum ou aquiote (perfumado e avermelhado, imitando o sangue sacrificial). Ele data de 3.400 anos, com base na análise química de fragmentos de cerâmica encontrados em Honduras que continham a bebida de chocolate mais antiga das Américas.

    Os ingredientes desta bebida são baseados em análises químicas e botânicas do vinho mais antigo conhecido do Egito (cerca de 3150 aC) e outros locais que datam de 18.000 anos, além de antigas inscrições em hieróglifos egípcios e representações artísticas de cerveja. Ele usa uma espécie milenar de trigo (einkorn) para o pão assado no forno, com adição de camomila, dendê e ervas do Oriente Médio.

    Esta bebida de 2.800 anos usa cevada maltada de duas fileiras e um trigo italiano tradicional. É um arauto da Itália e também contém ingredientes especiais, como avelãs, romãs, mel de castanha italiana e flores silvestres e mel de trevo de Delaware e mirra. A versão Dogfish foi fabricada com bronze (reproduzindo os antigos vasos feitos dessa liga de metal) e as versões italianas foram fabricadas em réplicas de potes de cerâmica etrusca e barris de carvalho.

    Evidências químicas, botânicas e de pólen são a base para este 'grogue nórdico', que é atestado em locais na Suécia e na Dinamarca desde a Idade do Bronze até os tempos romanos. O conteúdo de um vasilhame dinamarquês de 3.500 anos exemplifica essa bebida. O vaso foi feito de casca de bétula e encontrado no túmulo de uma mulher vestida de couro e lã, que possivelmente era uma sacerdotisa. Os ingredientes são provenientes do extremo norte: trigo vermelho de inverno, mirtilos, cranberries, mirtilo (Myrica gale), mil-folhas, mel, zimbro e xarope de bétula. Vinho importado do sul e centro da Europa também foi adicionado à bebida fermentada do norte.

    Enquanto a maioria envolve simplesmente a mistura de ingredientes para fermentação, outros requerem métodos de produção um pouco mais bizarros.

    Por exemplo, para fazer o Chateau Jiahu, o milho deve ser moído e umedecido na boca do fabricante para converter os amidos do milho em açúcares fermentáveis ​​- antes de ser "cuspido" na cerveja.

    "Todas as bebidas são centradas em produtos naturais das regiões", disse o Dr. McGovern ao MailOnline.

    "Essas bebidas representam bebidas especiais de classe alta, usadas em tipos de cerimônias, festivais de rituais religiosos.

    'Mas em alguns lugares e períodos, como o Neolítico mais democratizado, a população em geral parece ter gostado deles também.'

    Os resíduos que o Dr. McGovern usou nem sempre são fáceis de encontrar - eles nem sempre são visíveis e a maioria é absorvido pela cerâmica e devem ser extraídos em um processo complicado usando solventes.

    ‘Às vezes tenho apenas sorte [de encontrá-los], às vezes isso me levou a fazer um grande tour’, disse ele.

    O Dr. McGovern disse que seu favorito é o Chateau Jiahu, o mais antigo do lote que ele construiu, datando de 9.000 anos atrás.

    O festival de cerveja Oktoberfest de Munique começou em 1810 como uma celebração de casamento pelo preço da coroa da Baviera. Hoje, é um dos maiores festivais com mais de seis milhões de visitantes por ano

    _ É aquele com o qual mais me identifico, _ disse ele. 'Vai bem com comida asiática, tem um perfil doce e azedo.'

    Com base em evidências botânicas, o Dr. McGovern acredita que pode haver uma bebida egípcia ainda mais antiga de 16.000 aC que poderia ser feita, e que é provável que os humanos tenham feito bebidas alcoólicas por muito, muito mais tempo.

    "Todos os animais são atraídos por açúcar e álcool: insetos, mosca-das-frutas, elefantes", disse ele. _Os humanos saberiam como fazer uma bebida alcoólica desde o início.

    As bebidas alcoólicas foram feitas ao longo da história com uma grande variedade de plantas.

    Tudo o que é necessário é uma fonte de açúcar ou amido, e álcool pode ser feito a partir deles.

    Em 4500 aC, os nômades da Ásia Central até usavam leite fermentado de cavalo para fazer uma bebida alcoólica, pois não tinham acesso às plantações.

    Até os antigos egípcios fabricavam bebidas alcoólicas - por volta de 3150 aC, os egípcios usavam cervejarias em escala industrial que forneciam cerveja para os trabalhadores que construíram as pirâmides de Gizé.

    Perto da cidade de Arles, no sul da França, o vinicultor Hervé Durand trabalhou com arqueólogos para reconstituir o antigo processo de vinificação. As uvas são colhidas por habitantes locais vestidos como escravos romanos e prensadas com um enorme tronco de carvalho. O suco é então fermentado em potes de barro abertos

    O vinho chegou a se espalhar da Roma antiga à França, através dos celtas, ancestrais dos franceses.

    Mas, ao longo da história, o álcool também levantou preocupações sobre seus efeitos no comportamento das pessoas, e até mesmo levou à Lei Seca nos Estados Unidos de 1920 a 1933.

    Uma antiga cidade celta na França chamada Corent descoberta por arqueólogos até mostrou sinais de que a cidade tinha um problema de alcoolismo.

    Artigo publicado na revista National Geographic em fevereiro de 2017 traça a história do consumo de álcool

    Por volta de 140 aC, os produtores de vinho romanos exportavam vinho tinto mais barato para Corent, e os celtas viviam com o equivalente a 28.000 garrafas por ano.

    O local está repleto de potes de vinho de argila quebrados, e os líderes da cidade que podiam pagar pelo vinho o usavam em rituais que se tornaram brutais e turbulentos.

    O Dr. Matthieu Poux, um arqueólogo franco-suíço que liderou as escavações no local, disse ao National Geographic: 'As cerimônias foram pomposas, oficiais - e brutais também, com vítimas de sacrifícios e lutas de espadas por porções de carne.

    'Os guerreiros bebiam muito antes da batalha e iam para a batalha bêbados.'

    O Dr. Poux disse que, ao espalharem potes de vinho quebrados pelas ruas, os líderes da cidade mostraram seu poder.

    Mas os antigos gregos eram um bom exemplo de sociedade que sabia como encontrar um equilíbrio com o consumo de bebidas alcoólicas.

    Antigos anfitriões gregos costumavam servir vinho misturado com água.

    Eles serviram aos seus convidados (apenas homens) uma primeira tigela para a saúde, uma segunda para o prazer e a terceira para dormir.

    "Quando esta tigela é bebida, os convidados sábios vão para casa", advertiu o poeta cômico Eubulus em 400 aC.

    “A quarta tigela não é mais nossa, mas pertence à violência, a quinta a alvoroçar, a sexta, a bêbados, festejar a sétima aos olhos negros.

    'O oitavo é do policial, o nono pertence à biliosidade e o décimo à loucura e ao arremesso de móveis.'


    Assista o vídeo: Tierra Cali y El Trono de Mexico Mix