O defensor dos direitos de voto mexicano-americano Willie Velasquez recebeu a Medalha Presidencial da Liberdade

O defensor dos direitos de voto mexicano-americano Willie Velasquez recebeu a Medalha Presidencial da Liberdade

Em 29 de setembro de 1995, o defensor dos direitos de voto Willie Velasquez é condecorado postumamente com a Medalha Presidencial da Liberdade. Velasquez e as organizações que fundou têm o crédito de aumentar drasticamente a consciência política e a participação entre as comunidades hispânicas do sudoeste dos Estados Unidos.

Filho de um sindicalista, Velasquez foi um dos cinco fundadores da Organização da Juventude Mexicana-Americana, ou MAYO. Começando com campanhas de registro de eleitores e greves em campi universitários ao redor de San Antonio, MAYO se expandiu para organizar alunos do ensino médio e até conseguiu eleger vários candidatos para os conselhos escolares locais. Inspirados por grupos como os Panteras Negras e líderes como Malcolm X, alguns dos membros do MAYO formaram o Partido Raza Unida, um partido que pretendia eleger candidatos hispânicos sem depender dos estabelecimentos republicanos ou democratas.

Velasquez trabalhou como coordenador de boicote para o United Farm Workers, um sindicato que organizou trabalhadores agrícolas em todo o sudoeste e chamou a atenção nacional para suas condições de trabalho no final dos anos 1960. Ele então foi trabalhar para Raza antes de embarcar no Projeto de Educação do Registro Eleitoral do Sudoeste em 1972. O SVREP, cujo lema era "Su vota, su voz" (seu voto é sua voz), buscou abordar a fraca participação eleitoral, a apatia eleitoral, e a privação de direitos institucionais que afetou a comunidade hispano-americana - Velasquez acreditava que a comunidade hispânica tinha muito a aprender com o movimento pelos direitos civis e procurou abordar muitas das mesmas questões sistêmicas que líderes proeminentes como Martin Luther King, Jr.

LEIA MAIS: Quando milhões de americanos pararam de comer uvas para apoiar os trabalhadores agrícolas

Embora não vivesse para ver todos os efeitos de seu trabalho - ele morreu repentinamente de câncer aos 44 anos - Willie Velazquez certamente alcançou seu objetivo de ativar o eleitorado hispânico. Hoje, o SVREP afirma ter registrado mais de 2,7 milhões de eleitores, treinado mais de 150.000 ativistas políticos e vencido mais de 100 ações judiciais de direitos civis. Embora a participação dos eleitores hispânicos seja frequentemente significativamente menor do que entre os brancos, ela aumentou drasticamente nas últimas décadas, aumentando dez vezes de 1,3 milhão nas eleições gerais de 1994 para 13,5 milhões em 2016. Em seu discurso na Casa Branca em homenagem a Velasquez, o então presidente Bill Clinton chamou Willie de "um nome sinônimo de democracia na América".

LEIA MAIS: Como a campanha ‘Viva Kennedy’ de JFK galvanizou o voto latino


& # 039Willie Velasquez: Your Vote Is Your Voice & # 039 Estreia na segunda-feira, 3 de outubro, na PBS

(LOS ANGELES) - Com seu grito de guerra “su voto es su voz” (“seu voto é sua voz”), o ativista mexicano-americano Willie Velasquez lançou um movimento popular que mudou para sempre o cenário político do país. Por meio de seu projeto apartidário de registro e educação eleitoral no sudoeste (SVREP), Velasquez lançou mais de mil campanhas de recenseamento eleitoral em 200 cidades, criando um movimento que continua a crescer em poder a cada ano. “Hoje existem mais de 27 milhões de eleitores latinos qualificados”, disse Sandie Viquez Pedlow, produtora executiva e diretora executiva da Latino Public Broadcasting. “Ao encorajar os latinos a investir no processo democrático registrando-se para votar, Willie Velasquez e o SVREP pavimentaram o caminho para o poder cada vez maior dos latinos nas urnas.” Dirigido por Hector Galán (Children of Giant), "Willie Velasquez: Your Vote Is Your Voice", um especial VOCES / PBS Eleição 2016 narrado por Luis Valdez, estreia na segunda-feira, 3 de outubro de 2016, das 10h30 às 11h30. ET (verifique as listas locais) no PBS.

Ao longo da história americana, os latinos foram freqüentemente mantidos fora das urnas por meio do uso de poll tax, gerrymandering e intimidação direta. Mas, inspirando-se no movimento pelos direitos civis, Cesar Chavez e no movimento dos trabalhadores rurais, e nos protestos contra a guerra no Vietnã, o projeto de registro e educação de eleitores do sudoeste de Willie Velasquez mudaria a face da política americana ao aproveitar o poder do voto latino em um universo sem precedentes maneiras.

Filho de um açougueiro mexicano-americano de San Antonio, o despertar político de Willie Velasquez veio cedo. Estudante dedicado, Velasquez frequentou a St. Mary’s University e passou dois verões como estagiário do Congresso em Washington, D.C., trabalhando para o pioneiro congressista Henry B. Gonzalez de San Antonio. Voltando para casa, ele se tornou um dos fundadores da Organização da Juventude Mexicana-Americana (MAYO), uma organização da juventude chicana com foco na melhoria das oportunidades educacionais. No início dos anos 1970, Willie marchou com os líderes do movimento chicano e se tornou um jogador-chave na formação da Conferência Raza Unida.

Mas depois de anos de protestos de rua e marchas, Velasquez chegou à conclusão de que o único caminho verdadeiro para o empoderamento seria engajar os latinos no processo político americano. Com a fundação do SVREP em 1974, o exército de organizadores comunitários de Willie Velasquez começou a registrar um milhão de novos eleitores. A organização também desafiou os remanescentes de Jim Crow e esteve na vanguarda de várias ações judiciais contra o gerrymandering de distritos políticos e a prática de votação em geral em cidades e condados, o que muitas vezes impedia a eleição de candidatos minoritários. Não partidário, o SVREP aconselhou ambos os partidos sobre como chegar aos eleitores latinos, trabalhando com candidatos de George H.W. Bush para Ted Kennedy.

Os esforços sem precedentes do SVREP resultaram no registro de milhões de eleitores latinos e nos numerosos esforços de "obter votos" que ainda existem hoje. Os latinos agora representam 17 por cento da população dos EUA, e a participação eleitoral latina está projetada para ficar entre 13 e 16 milhões neste ano.

"A PBS tem o prazer de apresentar este filme", ​​disse Marie Nelson, vice-presidente de Notícias e Assuntos Públicos da PBS. "Willie Velasquez mudou a face da política americana e sua história é um acréscimo importante à nossa cobertura aprofundada desta temporada eleitoral."

“Willie Velasquez foi um pioneiro dos direitos civis mexicano-americano que mudou o cenário político local e nacional para sempre”, disse Joseph Tovares, diretor de conteúdo da Corporation for Public Broadcasting. "É uma grande história americana que o CPB tem o orgulho de apoiar."

Em 1988, no auge de sua carreira, Willie Velasquez morreu repentinamente de câncer renal avançado. Ele tinha apenas 44 anos. Em 1995, ele foi premiado com a Medalha Presidencial da Liberdade, a maior homenagem civil do país. “Seu nome era William C. Velasquez, mas todos o conheciam como Willie”, disse o presidente Bill Clinton na época. “Willie foi e agora é um nome sinônimo de democracia na América. Dos campos agrícolas da Califórnia, onde organizou trabalhadores com Cesar Chavez, aos corredores de Harvard, onde ensinou política, Willie Velasquez foi movido por uma crença inabalável de que todo americano deveria ter um papel em nossa democracia e compartilhar as oportunidades de nossa grande nação. ”

“O trabalho de Willie Velasquez trouxe milhões de latinos para o processo político, tanto como eleitores quanto como candidatos”, disse o cineasta Hector Galán. “À medida que avançamos neste atual ciclo eleitoral, é importante olhar para trás, para ver quão longe o eleitorado latino avançou e como nosso voto continua a ser verdadeiramente nossa voz.”

"Willie Velasquez: Your Vote Is Your Voice" é uma coprodução da Galán Incorporated e Latino Public Broadcasting com grande financiamento da Corporation from Public Broadcasting. Apresentado por KLRU Austin e KLRN San Antonio.

Sobre os participantes, em ordem alfabética:

  • Felicita Arriaga era uma ativista do SVREP em Rosenberg, Texas.
  • Annette Avina é ex-diretora de finanças e desenvolvimento do SVREP.
  • César Blanco é Representante Estadual do Texas House District 76 em El Paso, Texas, e diretor interino do Latino Victory Project.
  • Lydia Camarillo é vice-presidente do SVREP.
  • Julian Castro é secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano e ex-prefeito de San Antonio.
  • Rosie Castro era uma ativista de direitos de voto de San Antonio, ela é a mãe do secretário do HUD, Julián Castro, e do congressista norte-americano Joaquín Castro.
  • Henry Cisneros é um ex-prefeito de San Antonio e ex-secretário do HUD.
  • Stella Velasquez Cortez é irmã de Willie Velasquez.
  • Charles Cotrell é o presidente emérito da St. Mary’s University, alma mater de Willie Velasquez.
  • Diamantina Davila era uma ativista do SVREP em Rosenberg, Texas.
  • Daniel Garza é Diretor Executivo da Iniciativa LIBRE.
  • Antonio Gonzalez é o atual presidente do Projeto de Educação para Registro de Eleitores do Sudoeste (SVREP). SVREP, fundada em 1974, é a maior e mais antiga organização não partidária de participação eleitoral latina nos EUA.
  • Jose Angel Gutierrez é advogado e professor da Universidade do Texas em Arlington. Ele foi um membro fundador da Organização da Juventude Mexicana-Americana (MAYO) em 1967 e um membro fundador e ex-presidente do Partido Raza Unida.
  • Andy Hernandez sucedeu Willie Velasquez como presidente do SVREP após sua morte.
  • Frances Luna foi ativista do SVREP em Rosenberg, Texas.
  • Choco Meza foi Diretor Nacional de Pesquisa do SVREP e continuou envolvido no serviço público.
  • David Montejano é Professor de Estudos Étnicos na UC Berkeley.
  • Dora Olivo foi ativista do SVREP em Rosenberg, Texas, e ex-representante do estado do Texas.
  • Rolando Rios é um advogado de San Antonio especializado em direito de voto.
  • Lionel Sosa fundou uma das maiores agências de publicidade hispânica nos EUA e foi um pioneiro na criação de publicidade política voltada para eleitores latinos.
  • Victoria DeFrancesco Soto é uma cientista política que fornece análises sobre a política dos EUA e suas implicações para países no exterior. Soto é professor da Universidade do Texas, colaborador do MSNBC e NBCNews.com e analista político regular da Telemundo.
  • George Velasquez é irmão de Willie Velasquez.
  • Jane Velasquez é a viúva de Willie Velasquez.
  • Ralph Velasquez é irmão de Willie Velasquez.
  • Armando Villareal é ex-diretor de campo do SVREP.

Sobre o cineasta

Hector Galán (Produtor / Diretor) vem produzindo programas aclamados pela crítica e premiados para a PBS há mais de 25 anos. Suas produções incluem o recente Children of Giant, onze episódios para FRONTLINE, dois programas para AMERICAN EXPERIENCE e a histórica série em quatro partes, Chicano! História do Movimento dos Direitos Civis mexicano-americano, que Galán foi convidado a exibir na Casa Branca para o presidente Bill Clinton. Seu trabalho recebeu vários prêmios e reconhecimentos, incluindo três prêmios Imagen, o prêmio Cine Golden Eagle, o prêmio Telly, o melhor documentário do SXSW, a maçã dourada e o prêmio Blue Ribbon e vários prêmios de festivais.

Sobre a transmissão pública latina

Latino Public Broadcasting (LPB) é líder no desenvolvimento, produção, aquisição e distribuição de mídia educacional e cultural não comercial que representa o povo latino ou aborda questões de interesse particular para os latino-americanos. Estes programas são produzidos para divulgação a estações públicas de radiodifusão e outras entidades públicas de telecomunicações. O Latino Public Broadcasting dá voz à diversa comunidade latina nos Estados Unidos e é financiado pela Corporation for Public Broadcasting.

Latino Public Broadcasting produz a série VOCES, a mostra de documentário de arte e cultura latina da PBS e a única série de televisão nacional em andamento dedicada a explorar e celebrar a rica diversidade da experiência cultural latina. Entre 2009 e 2016, os programas LPB ganharam mais de 85 prêmios, incluindo o prestigioso George Foster Peabody Award, bem como dois Emmys, dois Imagen Awards e o Sundance Grand Jury Prize. Além disso, o LPB recebeu o Prêmio Norman Lear Legacy e o Prêmio NCLR Alma por Realização Especial.

A Corporation for Public Broadcasting (CPB), uma corporação privada sem fins lucrativos criada pelo Congresso em 1967, é a administradora do investimento do governo federal na radiodifusão pública. Ele ajuda a apoiar as operações de cerca de 1.500 emissoras públicas de televisão e rádio de propriedade e operação local em todo o país. O CPB também é a maior fonte de financiamento para pesquisa, tecnologia e desenvolvimento de programas para rádios públicas, televisão e serviços online relacionados. Para mais informações, visite www.cpb.org e siga-nos no Twitter @CPBmedia, Facebook e LinkedIn.

Sobre a eleição PBS 2016

PBS Election 2016 é uma iniciativa multiplataforma que reúne notícias, relações públicas, documentários e programação digital da PBS para criar a cobertura mais completa do país para o ciclo eleitoral de 2016. A aclamada série PBS NEWSHOUR, PBS NEWSHOUR WEEKEND, FRONTLINE, WASHINGTON WEEK, CHARLIE ROSE, TAVIS SMILEY e AMERICA BY THE NUMBERS, além de parcerias com NPR e American Public Media's "Marketplace", irá cobrir as últimas notícias eleitorais, fornecer contexto para o atual e questões políticas históricas, explore as histórias dos bastidores dos candidatos e do processo eleitoral, bem como uma visão mais ampla dos fundamentos do governo americano.


O defensor dos direitos de voto mexicano-americano Willie Velasquez recebeu a Medalha Presidencial da Liberdade - HISTÓRIA

Biografia - William C. Vel e aacutesquez

William C. Vel & aacutesquez: 1944-1988

William C. Vel & aacutesquez foi o fundador do Projeto de Educação para Registro de Eleitores do Sudoeste em 1974. Ele imaginou uma época em que os latinos desempenhariam um papel importante no processo democrático americano. Seu legado começou no Texas.

Vel & aacutesquez foi um dos membros fundadores da Organização da Juventude Mexicana-Americana (MAYO), uma organização juvenil chicana voltada para a ação social. Seu papel no MAYO o levou a se tornar o primeiro coordenador estadual do El Movimiento Social de la Raza Unida, o precursor do Partido La Ram Unida.

Seu envolvimento com organizações latinas foi extenso. Em 1968, como Coordenador de Boicote dos Trabalhadores Rurais Unidos (UFW), organizou greves no Vale do Rio Grande do Texas. Depois de deixar a UFW, ele se tornou o fundador e diretor do Conselho de Unidade Mexicana-Americana em San Antonio, Texas. Em 1970 ele foi nomeado Diretor de Campo do Conselho Sudoeste de La Raza.

De 1972 a julho de 1974, ele concentrou seus esforços na construção do Projeto de Educação de Registro de Eleitores do Sudoeste (SVREP). Pouca atenção foi dada quando Velasquez abriu as portas do SVREP em 1974, sentado em uma cadeira dobrável atrás de uma pequena mesa, ligando de um telefone rotativo emprestado para estimular os mexicanos-americanos à política.

Ele contou com a ajuda de organizadores comunitários, que juntos lançaram centenas de campanhas de registro eleitoral e obtenção de votos (GOTV) em todo o sudoeste. O legado de Vel & aacutesquez é aparente - desde seu início, SVREP cultivou 50.000 líderes comunitários, litigou com sucesso 85 ações judiciais de direitos de voto e conduziu 2.300 campanhas apartidárias, de registro eleitoral e GOTV. Consequentemente, o registro eleitoral cresceu ao longo dos anos de 2,4 milhões de latinos registrados em 1974 para 7 milhões em todo o país em 1998.

Mas sua visão envolvia mais do que apenas levar os latinos às urnas, Vel & aacutesquez buscou trazer para o processo democrático um eleitorado latino ativo e informado.

Mapeado em 1984, o Southwest Voter Research Institute foi estabelecido para buscar as opiniões do eleitorado latino e tornar essas descobertas conhecidas. Ele achava que os líderes latinos deveriam ser responsabilizados por seus constituintes. Como parte do instituto, ele começou a coletar e distribuir informações sobre questões de políticas públicas que vão desde renda e pobreza até relações com os EUA e a América Latina.

Em 1995, o presidente Bill Clinton concedeu a Vel & aacutesquez a Medalha Presidencial da Liberdade, a maior homenagem que qualquer civil pode receber - e apenas o segundo latino a receber essa homenagem.

Em 1997, o Southwest Voter Research Institute foi alterado para William C Vel & aacutesquez Institute (WCVI) como uma forma de homenagear e perpetuar a visão e o legado de Vel & aacutesquez.

Mas Vel & aacutesquez não conseguiu ver os frutos de seus sonhos, ele faleceu em 15 de junho de 1988 de complicações de câncer renal. As atividades em andamento de SVREP e WCVI servem como prova da força e mérito contínuos de Vel & aacutesquez.

Para saber mais sobre Willie Velasquez, adquira sua biografia intitulada The Life & amp Times of Willie Velasquez


Cepeda: filme destaca a história convincente do defensor dos direitos de voto

2 de 3 ARQUIVO - Neste arquivo de 1984, a foto mostra William C. "Willie" Velasquez em um local desconhecido. Um novo documentário da VOCES / PBS sobre Velasquez mergulha na vida do falecido defensor dos direitos de voto latino, no momento em que o maior grupo minoritário do país está definido para ser um jogador importante na próxima eleição presidencial. O diretor Hector Galan diz que Velasquez foi uma figura-chave no desenvolvimento do bloco eleitoral latino. Â? & # 8220Willie Velasquez: Your Vote Is Your VoiceÂ? & # 8221 começa a ser transmitido em estações PBS segunda-feira, 3 de outubro de 2016. (AP Photo, File) Uncredited / STF Mostrar mais Mostrar menos

CHICAGO - Dez anos depois da morte do ativista mexicano-americano Willie Velasquez, o então presidente Bill Clinton concedeu-lhe a honra póstuma da Medalha Presidencial da Liberdade, declarando: "Nenhuma pessoa na América moderna que concorreu a um cargo público onde quer que os hispano-americanos vivam falhou sentir a mão de Willie Velasquez. Seu apelo à comunidade hispânica foi simples, apaixonado e direto - 'Su voto es su voz. ' Seu voto é sua voz. "

Se o nome não soa como um sino, não se sinta mal. A menos que você tenha alguns cursos de estudos latinos em seu currículo, Velasquez é outro herói americano desconhecido do qual você nunca ouviu falar, mas que deveria conhecer.

Pela anedota sobre a homenagem presidencial, devemos agradecer a Hector Galan, o produtor e diretor do novo documentário da VOCES / PBS "Willie Velasquez: Your Vote is Your Voice", que estreou na última segunda-feira e está disponível para transmissão gratuita no site da PBS .

Galan, um cronista de longa data da história mexicana-americana, conduz os espectadores por um curso intensivo sobre o longo e ainda em andamento caminho para o fortalecimento político hispânico por meio da história de Velasquez, que cresceu de um garoto pobre que vive em um bairro no oeste lado de San Antonio, Texas, ao líder do Projeto de Registro e Educação do Sudoeste. Essa organização se tornou o maior esforço de registro de eleitores hispânicos do país na época e ajudou a aumentar o número de funcionários hispânicos eleitos nos EUA em 82 por cento entre 1974 e 1987.

Considerado o início de uma "revolução eleitoral", Velasquez começou contando e cortejando os eleitores latinos manualmente, usando a lista telefônica local para encontrar sobrenomes hispânicos e, em seguida, ligando para eles em casa com um argumento de participação cívica.

Galan conecta os pontos entre os hispano-americanos voltando para casa após a Segunda Guerra Mundial para enfrentar a decepção de não ter igual estatura na sociedade, embora eles servissem ao lado dos brancos e a eventual agitação política resultante de um número desproporcional de latinos sendo convocados para servir no Vietnã.

Muito breve neste especial de uma hora é a fascinante discussão sobre como o movimento afro-americano pelos direitos civis, o movimento anti-guerra e o movimento chicano combinados para estimular a participação política real e alimentar ansiedades intergeracionais entre as famílias latinas - com os mais velhos geração escandalizada porque seus filhos protestavam nas ruas em vez de manter a cabeça baixa e seguir em frente para se dar bem.

A partir daí, o cineasta investiga como Velasquez manobrou os diferentes níveis de radicalismo e militância no movimento chicano para alcançar o ímpeto necessário para organizar dançarinos folclóricos e bandas mexicanas em reuniões festivas destinadas a registrar as pessoas para votar.

De lá, testemunhamos Velasquez ajudando a eleger Henry Cisneros como prefeito de San Antonio - o primeiro prefeito mexicano-americano de uma grande cidade - e, em seguida, seu envolvimento na reunião de líderes latinos nacionais para cooperar em objetivos comuns e, eventualmente, na eleição de Ronald Reagan Presidente. Velasquez morreu em 1988 aos 44 anos de câncer.

A veia apartidária neste documentário é notável. O cineasta ainda destaca a Libre Initiative, uma organização sem fins lucrativos que visa apresentar mais latinos à política conservadora e ao Partido Republicano.

Principalmente, porém, o objetivo principal de Galan parece ser ilustrar como pode ser o empoderamento político latino, mesmo com os eleitores hispânicos sendo bombardeados com mensagens conflitantes simultâneas sobre sua falta de habilidade eleitoral e seu impacto potencial em novembro.

Alguma nostalgia rah-rah sobre como isso era feito na década de 1970 é extremamente necessária em uma época em que o primeiro debate presidencial relegou os hispânicos aos já mencionados papéis de ladrões de empregos mexicanos alimentados pelo Nafta e de uma rainha da beleza venezuelana vitimada.

"[Minha esperança para este filme] era dizer quem somos", disse Galan a Victor Landa, editor do site de notícias latino-centrado News Taco e apresentador de seu podcast. “Sou um Tejano de sexta geração e não fico pensando em imigração todos os dias. No entanto, a maneira como as pessoas olham para os latinos lá fora me afeta. Afeta a todos nós por causa do perfil racial. [Mas ] estamos todos juntos. Quero. que as pessoas saibam quem somos e que não somos diferentes deles, que acreditamos no sonho americano como todo mundo. "


Cineasta documenta a vida de Willie Velasquez & # 39s

O cineasta premiado do Texas, Hector Galán, refez o legado de William C. Velásquez, um ativista mexicano-americano pioneiro que mobilizou eleitores latinos em todo o sudoeste.

“O trabalho de Willie Velásquez trouxe milhões de latinos para o processo político, tanto como eleitores quanto como candidatos”, disse Galán em um comunicado. “À medida que avançamos neste ciclo eleitoral atual, é importante olhar para trás, para ver quão longe o eleitorado latino avançou e como nosso voto continua a ser verdadeiramente nossa voz.”

Em El Paso, o documentário de Galán “Willie Velásquez: Your Vote is Your Voice” será transmitido às 21h30. Segunda-feira no KCOS-TV Channel 13. O filme também irá ao ar em outras estações de televisão afiliadas da PBS nos Estados Unidos.

Velásquez, filho de um açougueiro mexicano-americano de San Antonio, fundou o projeto apartidário de registro e educação de eleitores do sudoeste em 1974, um movimento popular que mudou para sempre a paisagem política do país.

O filme é descrito como uma contribuição significativa para preservar a história do envolvimento político latino nos Estados Unidos.

"Este filme serve como um importante lembrete do que Willie Velásquez e seus contemporâneos fizeram para inspirar e mobilizar cidadãos latinos inativos a exercer seu poder político e fazer com que suas vozes sejam ouvidas", disse José D. Villalobos, professor associado de ciência política na Universidade do Texas em El Paso. “Para quem viveu ou conhece bem o trabalho pioneiro de Velásquez, este filme continua queimando o espírito que até hoje ajuda a impulsionar o movimento político latino. Para os menos familiares, este é o tipo de filme que vai inspirar novas gerações de eleitores a se engajarem. "

Velásquez lançou mais de 1.000 campanhas de registro eleitoral em 200 cidades, criando um movimento que não para de crescer a cada ano.

“Hoje, há mais de 27 milhões de eleitores latinos qualificados”, disse Sandie Viquez Pedlow, produtora executiva e diretora executiva da Latino Public Broadcasting. “Ao encorajar os latinos a investir no processo democrático, registrando-se para votar, Willie Velasquez. pavimentou o caminho para o poder cada vez maior dos latinos nas urnas. ”

No passado, os latinos costumavam ser mantidos fora das urnas por meio de taxas de votação, gerrymandering e intimidação. O Projeto de Registro e Educação Eleitoral do Sudoeste de Velásquez tem o crédito de aproveitar o voto latino de maneiras sem precedentes.

Os organizadores da comunidade de Velásquez decidiram registrar um milhão de novos eleitores. A organização também desafiou os remanescentes de Jim Crow e esteve na vanguarda de várias ações judiciais contra o gerrymandering de distritos políticos e a prática de votação em geral em cidades e condados, o que muitas vezes impedia a eleição de candidatos de minorias.

Velásquez foi um dos fundadores da Organização da Juventude Mexicana-Americana, uma organização juvenil chicana com foco na melhoria das oportunidades educacionais. No início da década de 1970, ele marchou com líderes do movimento chicano e se tornou um jogador-chave na formação da Conferência Raza Unida.

Velásquez morreu de câncer renal em 1988. Ele tinha 44 anos.

O presidente Bill Clinton concedeu postumamente a Velásquez a Medalha Presidencial da Liberdade em 1995.

“Willie era e agora é um nome sinônimo de democracia na América”, disse Clinton na época.


Envie-nos seus vídeos!

Mi Historia

Faça parte do projeto LATINO AMERICANOS. Faça um vídeo descrevendo o que ser latino significa para você, compartilhe as tradições de sua família, conte-nos como você celebra sua herança e cultura ou conte-nos sobre seus modelos. Compartilhe sua história e faça parte da nossa.

LATINO AMERICANS é uma produção da WETA Washington, DC Bosch and Co., Inc. e Latino Public Broadcasting (LPB) em associação com o Independent Television Service (ITVS).

O financiamento corporativo para LATINO AMERICANOS é fornecido pela Ford Motor Company. O financiamento principal é fornecido pela Corporation for Public Broadcasting (CPB) e Public Broadcasting Service (PBS). O apoio da Fundação é fornecido pela Fundação Ford, National Endowment for the Humanities, The Rockefeller Foundation, The Arthur Vining Davis Foundations, The Annenberg Foundation e The Summerlee Foundation.

O financiamento para divulgação é apoiado por um subsídio do The New York Community Trust.

Publicado em 2013. Copyright & copy 2013 WETA, Washington, DC and Latino Public Broadcasting. Todos os direitos reservados.


Willie Velásquez: Your Vote is Your Voice, um novo documentário revisita a luta para superar a supressão do eleitor

Muito se tem falado sobre a crescente influência política entre os latino-americanos. Com mais de 27 milhões elegíveis para votar nos Estados Unidos, é quase certo que a eleição presidencial de 2016 será ganha ou perdida, com base na participação latina no dia da eleição. Embora nem sempre tenha sido assim. Houve um tempo em que os latinos não tinham peso político algum.

O renomado cineasta Hector Galán se lembra daqueles dias. Quando menino em San Angelo, Texas, ele se lembra de como a repressão aos eleitores na comunidade mexicana-americana era uma prática comum.

“Naquela época, você votava da maneira como os responsáveis ​​mandavam que votasse”, explica Galán. “Se não o fizesse, perderia o emprego. Muitos proprietários de fazendas diriam: “Olha, Juanito, você vai votar desta forma e fará com que sua família vote desta forma.” Além disso, eles tinham Texas Rangers para intimidá-lo, então você não era não estou prestes a arriscar votar de qualquer outra forma, exceto da maneira que eles disseram a você. Lutamos para ter representação ”.

Entrou em cena Willie Velásquez, o mexicano-americano filho de um açougueiro. Talvez não seja um nome tão familiar quanto Cesar Chávez, Velásquez era um líder do Movimento Chicano que acreditava que o único poder era votar.

Ele é o tema de “Willie Velásquez: Your Vote is Your Voice”, um novo documentário de uma hora da Galán Production, Inc e Latino Public Broadcasting apresentado pela KLRU e KRLN para a PBS, programado para ir ao ar em 3 de outubro.

Nascido em 1944, William C. Velásquez ajudou a fundar a Organização da Juventude Mexicana e se uniu à causa de Cesar Chavez como coordenador de boicote do United Farm Workers, organizando greves no Vale do Rio Grande do Texas. Ele também trabalhou para melhorar as oportunidades de educação para os latinos.

“Willie cresceu no sul em uma época em que o país estava em convulsão”, observa Galán. “Foi a época da Guerra do Vietnã, da guerra contra a pobreza e do Movimento pelos Direitos Civis, que ajudou a inspirar o Movimento Chicano. Queríamos uma voz e Willie percebeu que a verdadeira mudança vem no campo de batalha. ”

Em 1974, Velásquez deu início ao Projeto de Educação para o Registro de Eleitores do Sudoeste, a maior campanha eleitoral não partidária de latinos, com a meta de registrar um milhão de latinos.

“Willie perguntava quem somos e o que queremos”, explica Galán. “Ele começou com uma mesa de jogo e uma sala vazia, e começou a vasculhar a lista telefônica em busca de nomes latinos. Ele recrutou voluntários que começaram a fazer campanha, batendo em portas e coletando dados. Eles também coletaram dados de sondagem de saída, o que ninguém havia feito antes. ”

Em 1988, aos 44 anos, Velásquez foi diagnosticado com câncer terminal, no momento em que se preparava para começar a trabalhar na campanha presidencial de Michael Dukakis. Ele morreu em poucas semanas.

“Todo mundo pirou”, diz Galán. “Ele esteve doente, mas nunca cuidou de si mesmo. Ele estava muito em movimento. Michael Dukakis provavelmente teria vencido, se Willie estivesse envolvido em sua campanha. ”

Contar a história de Velásquez foi uma jornada particularmente pessoal para Galán.

“Este documentário é especial para mim porque o vivi”, afirma Galán, que em 1983 teve a oportunidade de entrevistar Velásquez. “Eu fiz parte desse período de tempo, então é como se eu estivesse contando minha história. Quero que as pessoas saibam de onde veio o poder do voto latino e o que foi necessário para ter essa honra. Essa é a coisa mais poderosa que você tem nas mãos. Willie estava com medo de que os jovens não exercessem seu direito de votar e ter sua voz ouvida, e ele estava com medo de que eles a deixassem escapar. "

O documentário Willie Velásquez faz parte de uma programação completa de especiais eleitorais da PBS.

“Temos uma estratégia de temporada eleitoral muito robusta, na qual estamos trazendo conteúdo de vários produtores para nossa programação”, diz Pamela A. Aguilar, diretora de programação e desenvolvimento da PBS. “Hector faz filmes com rico arquivo e entrevistas, mas no final o que importa é o engajamento e como fazemos as pessoas falarem sobre esses assuntos. Para iniciar uma conversa, a história de Willie Velásquez é poderosa e certamente existem paralelos com os dias de hoje que irão ressoar. ”

Galán, um documentarista prolífico e ganhador de inúmeros prêmios por seu trabalho, se vê como pouco mais do que um microfone. Ele admite ter tido alguma apreensão ao traçar o perfil de Velásquez.

“O que aprendi ao longo dos anos como cineasta é que posso compartilhar, como um microfone, e contar essas histórias”, explica ele. “Willie era um homem muito extrovertido e comprometido, mas tenho medo de transformá-lo em um santo. Há sempre o perigo de morte para dizer: 'Oh, eles foram os maiores'. Mas esse cara era real e sua saúde pagou por isso. If I inspire through stories like Willie’s, then I think I’ve done my job, especially in telling Latinos about their own history. It makes me proud.”


5 Facts From ‘Willie Velasquez: Your Voice is Your Vote’ Doc That Will Have You Running to the Polls

For decades Latinos in America had no political power. That’s the line with which Hector Galán opens his documentary on Willie Velasquez, one of the greatest advocates for US Latino voter registration of the 20th century. Tracing his rise from a butcher’s son to an admired political activist, Willie Velasquez – Your Vote is Your Voiceis also a history lesson on the Latino electorate in the twentieth century.

As President Bill Clinton put it while posthumously honoring Willie with the Presidential Medal of Freedom in 1995, “No person in modern America who has run for political office wherever Hispanic Americans live has failed to feel the hand of Willie Velasquez. Willie was and is now a name synonymous with democracy in America. From the farm fields of California, where he organized workers with Cesar Chavez, to the halls of Harvard, where he taught politics, Willie Velasquez was driven by an unwavering belief that every American should have a role in our democracy and a share in the opportunities of our great nation.”

Given the state of this year’s election and the pivotal role Latinos may yet play, here are 5 things we learned from the doc that should remind you why Willie’s simple political motto — “Su voto es su voz”— is more timely than ever.

Only Half of the 55 Million Latinos in the US Are Registered to Vote

Called “the sleeping giant,” the Latino voting block in the United States is one of the most robust political factions in American politics. And yet, as many of the people interviewed by Galán for this film remind us, there has been a historically low correlation between the strength of the demographic and its voting impact. Willie set out to change that. As Choco Meza, who knew and worked with him, put it, “He was looking for a voice in government for Latinos. And he was in a hurry.” At his core he wanted to make a reality the unassailable patriotic idea of empowering Mexican-Americans with the power of their votes.

In the 1930s, up to 2 Million People Were Deported To Mexico

In what will sound eerily familiar to many Latinos in 2016, the United States implemented the “Repatriation” program following the stock market crash of 1929. Using raids as well as legal proceedings (helped in part by President Hoover’s approval of Secretary of Labor William N. Doak’s campaign to assist in the program,) this unprecedented exodus of Mexicans and Mexican-Americans — in many cases authorities didn’t care whether people had actually been born in the US — was one of the most blatant forms of political and cultural disenfranchisement of Latinos in American history.

Latinos Were Not Included In The Original Voting Rights Act

Latinos trying to redress being invisible in American politics goes back to 1929 when the League of United Latin American Citizens (LULAC) was created to battle discrimination. During World War II, Latinos (who continued to be segregated in areas of the Southwest) fought side by side with their fellow Anglo citizens. When they returned, many of them earning degrees and jobs with the aid of the GI bill, which brought a renewed interest in mobilizing politically. Unfortunately, many laws were in place to keep Latinos from having any effect on the political process: not only were there poll taxes in Texas, for example, designed to keep poor people from voting, but districts with large Latino populations were gerrymandered to avoid them creating strong coalitions. The message had been clear throughout the twentieth century: “You don’t count. You’re not American.”

It wasn’t until 1975 (a decade after Lyndon B. Johnson signed the the Voting Rights Act) that Latinos were, at least by law, protected within its terms. Willie and his fellow activists made great use of this while hoping to increase voter registration in smaller Hispanic communities throughout the Southwest.

Enter: The Southwest Voter Registration Education Project

Founded in 1974, the Southwest Voter Project (SVREP) is the largest and oldest nonpartisan Latino voter participation organization in the United States. It was created by Willie and his conviction that “when we’re finished, politicians are going to fear and respect our vote.”

From 1976 to 1980, the SVREP registered more people to vote than any other group in the United States. At first it was a grassroots effort, with nothing more than a phone and some clipboards, and they even counted Latino voters manually. That’s before they upgraded to what was then cutting edge IBM technology. But it really fell on the volunteers and the community organizers (most of them women) to knock doors, open dialogue, and file paperwork to get even indifferent people to realize the power of their own vote.

Willie’s Legacy Remains As Timely As Ever

Much of the work Willie did with Southwest Voter as well as with MAYO (Mexican-American Youth Organization), which operated in the 60s and 70s, owed much to the consciousness raising that was also felt in the civil rights movement, the anti-war movement, the farmer strikes as well as the Chicano movement. He was convinced that, by the 80s, the Latino vote could become a real challenge to politics as usual.

Nowhere was this more evident than in the National Hispanic Voter Registration Campaign of 1983 in San Antonio, which had a strong presence from Republicans (who had begun an aggressive Latino outreach) and Democrats alike. As he noted before his death, “California and Texas alone have 28% of the electoral votes needed to win the presidency. Add on Illinois and New York where Mexican-Americans, Hispanics, Puerto Ricans, and Cubans, and all of us have an extraordinary opportunity to have impact. That party who ignores that vote will be punished at the polls. No question about it.”


Cepeda: Compelling documentary of a Latino voting rights advocate

CHICAGO — Ten years after Mexican-American activist Willie Velasquez died, then-President Bill Clinton awarded him the posthumous honor of the Presidential Medal of Freedom, declaring: “No person in modern America who has run for public office wherever Hispanic Americans live has failed to feel the hand of Willie Velasquez. His appeal to the Hispanic community was simple, passionate and direct — ‘Su voto es su voz.’ Your vote is your voice.”

If the name doesn’t ring a bell, don’t feel bad. Unless you have a few Latino studies courses under your belt, Velasquez is another unsung American hero you’ve never heard of but should know.

For the anecdote about the presidential honor, we must thank Hector Galan, the producer and director of the new VOCES/PBS documentary “Willie Velasquez: Your Vote is Your Voice,” which premiered last Monday and is available to stream free on the PBS website.

Galan, a longtime chronicler of Mexican-American history, takes viewers through a crash course on the long and still-in-progress road to Hispanic political empowerment through the story of Velasquez, who grew from a poor kid living in a barrio on the west side of San Antonio, Texas, to the leader of the Southwest Voter Registration and Education Project. That organization became the nation’s largest Hispanic voter registration effort at the time and helped increase the number of Hispanic elected officials in the U.S. by 82 percent between 1974 and 1987.

Credited with beginning a “voting revolution,” Velasquez started out counting and courting Latino voters manually by using the local phone book to find Hispanic surnames and then cold-calling them at home with a civic participation pitch.

Galan connects the dots between Hispanic Americans coming home after World War II to face the disappointment of not having equal stature in society even though they served alongside whites and the eventual political agitation resulting from a disproportionate number of Latinos being drafted to serve in Vietnam.

All too brief in this one-hour special is the fascinating discussion about how the African-American civil rights movement, the anti-war movement and the Chicano movement combined to both spur real political participation and stoke intergenerational anxieties among Latino families — with the older generation being scandalized that their children were protesting in the streets instead of keeping their heads down and going along to get along.

From there, the filmmaker delves into how Velasquez maneuvered the differing levels of radicalism and militancy in the Chicano movement in order to achieve the momentum necessary to organize folkloric dancers and Mexican bands at festival-like gatherings designed to register people to vote.

From there we witness Velasquez helping get Henry Cisneros elected as mayor of San Antonio — the first Mexican-American mayor of a major city — and then his involvement in gathering national Latino leaders to cooperate on shared goals and, eventually, in getting Ronald Reagan elected president. Velasquez died in 1988 at age 44 from cancer.

The nonpartisan streak in this documentary is notable. The filmmaker even highlights the Libre Initiative, a nonprofit organization that seeks to introduce more Latinos to conservative politics and the Republican Party.

Mostly, though, Galan’s main objective appears to be illustrating what Latino political empowerment can look like even as Hispanic voters are being blitzed with simultaneous conflicting messages about their lack of voting prowess and their potential impact this November.

Some rah-rah nostalgia about how it was done back in the 1970s seventies is sorely needed at a time when the first presidential debate relegated Hispanics to the mentioned-in-passing roles of NAFTA-fueled Mexican job stealers and a victimized Venezuelan beauty queen.

was to tell who we are,” Galan told Victor Landa, editor of the Latino-centric news site News Taco and host of its podcast. “I’m a sixth-generation Tejano, and I don’t sit around thinking about immigration every day. However … the way people look upon Latinos out there, it affects me. It affects all of us because of racial profiling … but we’re all in it together. I want … people to know who we are and that we’re no different than they are, that we believe in the American dream like everybody else.”


Voter activism

Also in 1971 Velasquez organized the Citizens' Voter Research and Education Project, the original name of the Southwest Voter Registration Education Project. From October 1972 to July 1974 he worked full-time organizing the SVREP, and it became separate from the National Council of La Raza. Velásquez's SVREP played a fundamental role in the increase of Latino voters and officeholders in the 1970s and 1980s. He was an expert in calculating voting trends, and SVREP is considered the most reliable source available for data on Hispanic voting patterns. In January 1988 Velásquez became president of the Southwest Voter Institute,

Velasquez enlisted the aid of Community organizers, together they launched hundreds of voter registIaIion and get-the-vote-out (GOTV) campaigns throughout the southwest.

The legacy of Velásquez is apparent-since its inception, SVREP has cultivated 50,000 community leaders, successfully litigated 85 voting rights law suits and has conducted 2,300 non-partisan,voter registration and GOTV campaigns. Consequently, voter registration has grown over the years from 2.4 million registered Latinos in 1974 to 7 million nationwide in 1998.

But his vision involved more than just getting Latinos to the ballot box, Velásquez sought to bring into the democratic process an active and informed Latino electorate.

Charted in 1984, the Southwest Voter Research Institute was established to seek the opinions of the Latino electorate and to make those findings known. He felt Latino leaders should be held accountable to their constituencies. As part of the institute, he set out to collect and distribute information on public policy issues ranging from income and poverty to U.S. and Latin America relations.

In 1997, the Southwest Voter Research Institute was changed to the William C. Velasquez Institute as a "way to honor and perpetuate Velasquez' vision and legacy".