Sovereign II SP-170 - História

Sovereign II SP-170 - História

Sovereign II
(SP-170: t. 173; 1,16 '; b. 16'3 "; dr. 4'6" (ré);
dph. 9'4 "; s. 29 mph .; a. 2 3")

O segundo Sovereign (SP-170) - um iate a vapor construído em 1911 por Charles L. Seabury & Co., Morris Heights, N.Y. - foi adquirido pela Marinha em 14 de junho de 1918 da propriedade de M. C. D. Borden. Comandada pelo tenente F. Wure, ela serviu no 3º Distrito Naval como uma nave de patrulha por 10 meses. Em 23 de abril de 1919, seu nome foi retirado da lista da Marinha; e, logo em seguida, ela foi devolvida ao seu dono.


Cessna

Antes de estar sob a asa da Textron Aviation, a Cessna era uma popular empresa americana de fabricação de aeronaves de aviação geral. Embora a Cessna fosse muito conhecida por produzir aviões pequenos e leves movidos a pistão, eles também produziam jatos executivos maiores. Por muito tempo, eles foram um dos produtores mais populares e de maior volume de todos os aviões gerais do mundo.

Atualmente, a Cessna é uma marca da Textron Aviation, com sede em Wichita, Kansas.


Ron DeSantis, governador
Laurel M. Lee, Secretária de Estado

De acordo com a lei da Flórida, os endereços de e-mail são registros públicos. Se você não deseja que seu endereço de e-mail seja divulgado em resposta a uma solicitação de registro público, não envie correio eletrônico para esta entidade. Em vez disso, entre em contato com este escritório por telefone ou por escrito.

Copyright & copy 2021 State of Florida, Florida Department of State.


Preços soberanos: de que dependem?

A cotação e o valor do Soberano de Ouro depende essencialmente de 2 fatores, ambos fundamentais:

O primeiro fator é a cotação atual do ouro e, portanto, a quantidade de ouro contida na moeda. O segundo fator que determina o preço do ouro soberano é o valor numismático da própria moeda rara.

Em particular, o valor depende das condições de conservação da moeda única, do ano de cunhagem e de outros fatores menores.

Rainha Elizabeth em um soberano de ouro (atualização sov 2018) Essas características são subjetivas para cada moeda e, portanto, variam de peça para peça, de moeda para moeda.

Por exemplo, uma moeda que tem um valor, do ponto de vista & # 8220Numismático & # 8221, maior do que os produzidos antes, é a do ano de 1957. Também conhecido como & # 8220a nova moeda& # 8221 foi iniciado no combate à contrafação de moedas e não foi colocado em circulação.

A combinação desses dois fatores depende da cotação do Soberano Ouro. Como o fator que leva em consideração o valor do ouro não é constante, segue-se que a cotação da moeda nem sempre é a mesma, mas está sujeita a pequenas variações em curtos períodos.


Jubileu de diamante da Rainha Vitória

Nos últimos dias do século 19, o Reino Unido era o país mais poderoso do planeta. O Império Britânico estava em seu apogeu imperial. Mais de um quarto da população mundial & # x2019 & # x2014 e uma parte de cada continente & # x2014 estavam sob seu domínio, e governando sobre tudo estava a Rainha Vitória, a mulher que usava a coroa por mais tempo do que qualquer soberana na história britânica.

Em 23 de setembro de 1896, a rainha ultrapassou o rei Jorge III como o monarca com o reinado mais longo da Grã-Bretanha, mas ela solicitou que as celebrações do marco fossem adiadas até junho de 1897, o 60º aniversário de sua ascensão ao trono. O secretário colonial Joseph Chamberlain propôs que o Jubileu de Diamante fosse um & # x201CFestival do Império Britânico & # x201D para celebrar as verdadeiras joias da coroa da Grã-Bretanha & # x2014s suas colônias. Quando Chamberlain sugeriu restringir a lista de convidados estrangeiros do jubileu & # x2019s aos chefes e representantes dos países do Império Britânico, uma rainha agradecida & # x2014sente para evitar as dores de cabeça de receber relações reais indesejáveis ​​no Palácio de Buckingham e no Castelo de Windsor & # x2014 rapidamente se lançou sobre o ideia.

O Jubileu de Diamante da Rainha Vitória e # x2019 começou solenemente com um culto familiar de Ação de Graças no Castelo de Windsor no domingo, 20 de junho de 1897, o 60º aniversário de sua herança do trono. No dia seguinte, a rainha voltou a Londres para encontrar um mar de cores que tomou conta das ruas cobertas de fuligem da cidade. Union Jacks pendurados nas sacadas das casas. Festões de flores e arco-íris de estamenha pairavam no alto. A explosão de tons refletiu um país repleto de orgulho patriótico. & # x201Cas ruas, as janelas, os telhados das casas eram uma massa de rostos radiantes, e os aplausos nunca cessaram, & # x201D escreveu a rainha em seu diário. Naquela noite, no Palácio de Buckingham, Victoria sentou-se ao lado do arquiduque Franz Ferdinand, cujo assassinato em 1914 desencadearia o início da Primeira Guerra Mundial, em um banquete oficial. Enquanto uma rainha cansada se deitava para passar a noite, milhares de britânicos, ansiosos para assistir à grande procissão real para a Catedral de São Paulo na manhã seguinte, dormiram nos parques fora dos muros do palácio.

Ao amanhecer nublado de terça-feira, 22 de junho de 1897, que havia sido declarado feriado, centenas de milhares de pessoas lotaram as calçadas de Londres em antecipação ao desfile real. Os vendedores anunciavam bandeiras, canecas e programas do jubileu de lembrança. Uma cerca humana de soldados, suas baionetas projetando-se como piquetes, cercava a rota da procissão de seis milhas.

Antes que o comboio de 17 carruagens transportando a família real e os líderes dos domínios da Grã-Bretanha & # x2019s partisse do Palácio de Buckingham, a Rainha Vitória, com o toque de um botão, enviou uma mensagem eletrônica para seu vasto Império. Sua mensagem telegráfica teria sido feita sob medida para o Twittersphere de hoje & # x2019s: & # x201CDe coração, agradeço ao meu amado povo. Que Deus os abençoe. V.R. & amp I. & # x201D Às 11h15, um canhão disparou no Hyde Park para anunciar a saída do monarca do palácio. O rugido do canhão deve ter forçado as nuvens a recuar quando o sol de repente começou a bater nas ruas de Londres.

Oito cavalos cor de creme puxaram a rainha em uma carruagem aberta. Apesar da ocasião festiva, Victoria & # x2014 em luto perpétuo por seu amado marido, Albert, e dois de seus filhos & # x2014 estava vestida de preto. Os uniformes coloridos das forças coloniais, no entanto, mais do que compensaram o monarca monocromático. A procissão, que incluiu representantes de todas as nações do Império, varreu muitos dos marcos mundialmente famosos de Londres, como Trafalgar Square, National Gallery, London Bridge e Big Ben. Os súditos da rainha, muitos dos quais nunca haviam conhecido outro monarca, a aplaudiram ao longo de todo o percurso e começaram a cantar versos espontâneos de & # x201CGod Save the Queen. & # X201D Profundamente tocada pela efusão de afeto, Victoria ocasionalmente enxugou as lágrimas os olhos dela antes de chegar a St. Paul & # x2019s Cathedral para um serviço de Ação de Graças.

Uma vez que a artrite dolorosa impedia a rainha de 78 anos de idade de escalar os degraus da catedral, a decisão foi tomada com antecedência para realizar a cerimônia do lado de fora, ao pé da escadaria oeste de St. Paul. Multidões lotaram arquibancadas especialmente erguidas nos telhados circundantes. Os degraus do St. Paul & # x2019s estavam tão lotados que os membros do coro foram forçados a subir nos pedestais maciços que flanqueavam a entrada da catedral. A rainha, protegendo-se com uma sombrinha, permaneceu em sua carruagem para a cerimônia de 20 minutos. Após o serviço rápido, a procissão partiu quando o Arcebispo de Canterbury gritou, & # x201Ctrês vivas para a Rainha! & # X201D

A rainha continuou seu circuito por Londres e voltou ao Palácio de Buckingham para um almoço tranquilo seguido de um jantar banquete. Quando a escuridão caiu, uma série de fogueiras foram acesas simultaneamente nas colinas por todo o reino de Victoria e # x2019 para iluminar a noite britânica. Os aplausos e cantos continuaram até tarde da noite, sem dúvida auxiliados pelos pubs que permaneceram abertos até o horário especial das 2h30.

Em seu diário, a Rainha Vitória chamou-o de & # x201Ca dia inesquecível. & # X201D & # x201CNenhum, em minha opinião, recebeu a ovação que me foi dada, ao passar por aquelas seis milhas de ruas, & # x201D ela escreveu. & # x201COs multidões eram indescritíveis e seu entusiasmo era verdadeiramente maravilhoso e profundamente comovente. Os aplausos foram ensurdecedores e todos os rostos pareciam cheios de verdadeira alegria. Fiquei muito emocionado e satisfeito. & # X201D Para Victoria e todos em Londres que comemoram o Jubileu de Diamante, deve ter parecido que o sol realmente nunca se poria no Império Britânico.

VERIFICAÇÃO DE FATO: Buscamos precisão e justiça. Mas se você ver algo que não parece certo, clique aqui para entrar em contato conosco! A HISTÓRIA revisa e atualiza seu conteúdo regularmente para garantir que esteja completo e preciso.


Encontro Cunhagem Grau
1957 2,072,000 Unc
1958 8,700,000 Unc
1959 1,358,000 Unc
1962 3,000,000 Unc
1963 7,400,000 Unc
1964 3,000,000 Unc
1965 3,800,000 Unc
1966 7,050,000 Unc
1967 5,000,000 Unc
1968 4,203,000 Unc
1974 5,002,566 Unc
1976 4,150,000 Unc
1978 6,550,000 Unc
1979 9,100,000 Unc
1979 50,000 Prova FDC
1980 5,000,000 Unc
1980 81,200 Prova FDC
1981 5,100,000 Unc
1981 32,960 Prova FDC
1982 2,950,000 Unc
1982 19,090 Prova FDC
1983 19,710 Prova FDC
1983* 19,710 Prova FDC
1984 12,410 Prova FDC
1984* 12,410 Prova FDC
1985 11,393 Prova FDC
1986 5,079 Prova FDC
1986* 5,079 Prova FDC
1987 9,979 Prova FDC
1987 9,979 Prova FDC
1988 7,670 Prova FDC
1989 10,535 Prova FDC
1990 4,767 Prova FDC
1991 4,713 Prova FDC
1992 4,772 Prova FDC
1993 4,349 Prova FDC
1994 4,998 Prova FDC
1995 7,500 Prova FDC
1996 7,500 Prova FDC
1997 7,500 Prova FDC
1997 7,500 Prova FDC, cápsula apenas
1998 10,000 Prova FDC
1999 10,000 Prova FDC
2000 250,000 Unc
2000 10,000 Prova FDC
2000* 10,000 Prova FDC
2001 100,000 Unc
2001 12,500 Prova FDC
2001 100,000 Com Lingote De Selo
2002 100,000 Unc
2002 12,500 Prova FDC
2003 100,000 Unc
2003 100,000 Com Lingote De Selo
2003 15,000 Prova FDC
2004 100,000 Unc
2004 15,000 Prova FDC
2005 75,000 Unc
2005 12,500 Prova FDC
2006 75,000 Unc
2006 9,195 Prova FDC
2007 75,000 Unc
2007 8,199 Prova FDC
2008 75,000 Unc
2008 12,500 Prova FDC
2009 75,000 Unc
2009 16,000 Prova FDC
2010 250,000 Unc
2010 16,000 Prova FDC
2011 75,000 Unc
2011 15,000 Prova FDC
2012 750,000 Unc
2012 5,500 Prova FDC
2013 TBC Unc
2013 7,500 Prova FDC
2014 TBC Unc
2014 7,500 Prova FDC
2015 - Quarto Retrato TBC Unc
2015 - Quarto Retrato 9,800 Prova FDC
2015 - Quinto Retrato 8,800 Prova FDC
2016 - Quinto Retrato TBC Unc
2016 - Retrato do 90º aniversário 7,500 Prova FDC
2017 TBC Unc
2017 - Design do 200º aniversário 10,500 Prova FDC

Se você não está procurando uma data específica, mas quer um bom exemplo desse tipo de soberano, pode pedir uma "moeda tipo". Basta olhar para nossa lista de datas, notas e preços. Selecione o preço que deseja pagar, e nós lhe enviaremos a moeda de melhor qualidade que temos disponível para aquele preço, com nossa escolha de data.


Perguntas frequentes na revista de história da segunda guerra mundial:

Q. Como eu renovar minha assinatura da Revista de História da Segunda Guerra Mundial?

Você pode renovar sua assinatura da revista WWII History online, selecionando o número de anos que deseja renovar e selecionar o RENOVAR opção. Digite o endereço de correspondência que aparece em sua edição atual da História da Segunda Guerra Mundial e sua renovação será adicionada à sua assinatura existente e estendida. Espere ver a nova data de expiração em sua capa atual da revista História da Segunda Guerra Mundial dentro deste período: 10 a 12 semanas. Como não renovamos automaticamente, recomendamos renovar pelo menos 8-12 semanas antes que sua assinatura expire. Enviaremos a você um lembrete de renovação por e-mail próximo ao vencimento.

Q. Eu recebi um oferta especial pelo correio por um preço inferior ao que está em seu site. Você pode igualar esse preço?

Se você recebeu uma oferta por um preço inferior ao que está em nosso site, basta envia-nos um email os detalhes e vamos tentar igualar a oferta. Todos os nossos preços são os preços mais baixos autorizados pelo editor para a revista WWII History e iremos verificar para garantir a precisão do que está listado em nosso site. Observe que a maioria dos preços mais baixos vem com renovações automáticas na taxa em vigor, normalmente mais alta, e ao se inscrever com esses preços mais baixos você concorda com isso. Nós nunca iremos renovar automaticamente o seu Assinatura da História da Segunda Guerra Mundial.

Q. Quando meu primeira edição início da história da segunda guerra mundial?

A revista WWII History é publicada 6 vezes por ano, portanto, sua primeira edição começará em aproximadamente 10 a 12 semanas. Porque? Isso ocorre porque, quando recebemos seu pedido, leva cerca de uma semana para que sua assinatura seja recebida e agendada pelo editor. Em seguida, ele será incluído no próximo ciclo de produção do editor e enviado a você por correio padrão.

Q. Como posso mude meu endereço para a Revista de História da Segunda Guerra Mundial?

Alterar seu endereço pode ser feito facilmente online. Por favor segue 'Minhas assinaturas ativas,' e clique no link de mudança de endereço ao lado de sua revista e insira seu novo endereço. É isso! Se você não fez um pedido conosco, entre em contato com o editor de História da Segunda Guerra Mundial seguindo o 'Magazine Subscriber Services,' link acima para o número 1-800 para suporte online.

P: Como faço para relatar um questão perdida da história da segunda guerra mundial?

Se você perdeu alguma edição da História da Segunda Guerra Mundial, por favor nos avise e nós estenderemos sua assinatura pelo número de edições perdidas e também descobriremos se os correios estão tendo problemas para entregar sua assinatura. Observe que a revista História da Segunda Guerra Mundial é publicada 6 vezes por ano, portanto, uma publicação bimestral.

Q. Onde posso encontrar meu data de validade para a história da segunda guerra mundial?

O mês e a data de expiração (mês / ano, por exemplo, 20 de dezembro) de sua assinatura da História da Segunda Guerra Mundial podem ser encontrados na etiqueta da revista acima de seu nome à direita.

Q. Você tem algum cupons para a Revista de História da Segunda Guerra Mundial?

Atualmente, oferecemos a revista História da Segunda Guerra Mundial com desconto de US $ 27,00 para uma assinatura de um ano inteiro. Isso representa um total de 6 edições com um desconto de 66% sobre o preço da banca de jornal. Por favor, use o e-mail para qualquer problema com cupons.

P. Em que formato o assinaturas digitais da História da Segunda Guerra Mundial veio?

O acesso total à versão digital da revista WWII History será entregue por e-mail dentro de 4 a 6 semanas. Você pode visualizar seu problema digital via iPad, dispositivo móvel, desktop, etc., da mesma forma que faria com qualquer página da web. Se disponível, a opção de solicitar uma assinatura digital está em 'Opções'. Basta selecionar 'Digital' e prosseguir para a finalização da compra. Algumas assinaturas impressas vêm com acesso digital GRATUITO. Se disponível, será mostrado ao lado da revista.

P. Eu renovei minha assinatura da História da Segunda Guerra Mundial, mas recebi um aviso de renovação no correio. Por que é que?

Avisos de renovação são enviados automaticamente pelo editor 8 semanas ou até 16 semanas antes que sua assinatura do WWII History expire. Os avisos também podem vir de outras empresas que solicitam assinaturas. Infelizmente, não temos controle sobre isso. No entanto, se você encomendou de nós, simplesmente ignore os avisos, pois você não deve nada!

P. Não quero mais renovar minha Revista de História da Segunda Guerra Mundial. Por que eu mantenho recebendo contas?

Se você encomendou sua revista WWII History do editor com a opção de renovação automática ou "fature-me mais tarde", poderá ser obrigado a pagar a fatura como parte do serviço contínuo de sua preferência, a menos que cancele. Para ligar para a História da Segunda Guerra Mundial e cancelar ou pedir que parem de enviar faturas, vá para Serviços para assinantes de revistas para atendimento ao cliente do editor. Se você fez um pedido conosco, simplesmente ignore os lembretes, pois não oferecemos renovações automáticas ou contas ou faturas pelo correio.

Q. Eu gostaria de dê a história da segunda guerra mundial como um presente. Como eu posso fazer isso?

Você pode solicitar uma assinatura de presente seguindo o Assinatura de presente link acima para ser levado diretamente para a página de presentes da História da Segunda Guerra Mundial.

Q. Como eu cancelar minha revista de história da segunda guerra mundial?

Para cancelar a sua revista História da Segunda Guerra Mundial, basta ir para o seu conta ou o link de Serviços para assinantes de revistas acima para atendimento ao cliente do editor - tanto por telefone quanto online. O editor pode ter informações sobre a origem da assinatura. Lembrar, Renovar assinatura não envia assinaturas não solicitadas ou testes grátis no entanto, se achar que pode ser um presente de alguém, envie-nos um e-mail e descobriremos se foi pedido conosco e forneceremos os detalhes do presenteador.

P. Recebi a revista História da Segunda Guerra Mundial e não gosto dela. Posso substituir para outra revista History?

Claro que você pode! Gostaríamos que sua experiência com quaisquer revistas encomendadas fosse agradável. Entre em contato conosco e inclua a revista que deseja substituir.

P. Eu atualmente leio a revista História da Segunda Guerra e gostaria de escreva uma crítica. Como eu posso fazer isso?

É simples! Vá para a guia de comentários acima e escreva um comentário.

P. A revista WWII History ainda está sendo publicada?

Sim, a revista WWII History ainda está sendo publicada pela Sovereign Media.


A História do Soberano do Ouro

Até aquele ponto, as moedas de ouro estavam em circulação há mais de cem anos, então o Soberano certamente não foi a primeira moeda de ouro a ser cunhada na Inglaterra. Foi, no entanto, o maior e mais valioso já visto naquela época. No anverso da moeda havia um retrato de Henrique VII em seu trono, usando seu vestido de coroação. As armas reais apareciam no verso, com uma magnífica rosa dupla que simbolizava a união de York e Lancaster após a Guerra das Rosas.

O primeiro Soberano, com sua dupla rosa mostrando a união de York e Lancaster.

Essa moeda grande e bonita claramente transmitiu uma mensagem de estabilidade e prestígio após a turbulência das guerras. Todos os monarcas sucessores escolheram atacar novas versões do Soberano, indicando seu próprio poder e força. Não foi até o reinado de Jaime I, coroado Rei da Inglaterra e da Escócia em 1603, que a prática morreu.

O retorno do Soberano

Depois que Napoleão foi derrotado na Batalha de Waterloo em 1815, as autoridades fizeram uma revisão das moedas do país. A princípio, pretendia-se reintroduzir os 21 xelins guinéus, mas verificou-se que, “Um desejo muito geral prevalece entre o público a favor de uma moeda de moedas de ouro no valor de 20 xelins e dez xelins, em preferência às guineenses , Meias Guinés e Sete Moedas de Xelim. ” Assim, uma nova moeda de ouro de 20 xelins nasceu e recebeu o antigo nome de Soberano.

A nova moeda de ouro de 1817 tinha quase metade do peso e diâmetro do Soberano original, mas era igualmente bela. O reverso apresentava uma imagem de São Jorge e o dragão desenhada por um dos gravadores de gemas mais famosos do mundo, Benedetto Pistrucci.

O retrato do rei no soberano de ouro de 1817 também foi obra de Benedetto Pistrucci.

Em 1825, a imagem de São Jorge foi substituída por uma imagem mais convencional do brasão real. Depois que as pessoas criticaram o mau estado dos desenhos das moedas, o desenho de São Jorge foi restaurado durante o reinado da Rainha Vitória. A partir de 1871, o Santo e o dragão aparecem no verso ao lado de um desenho de escudo, ambos com a imagem da jovem Rainha Vitória no anverso.

O Jubileu de Ouro da Rainha Vitória ocorreu em 1887, quando novos designs foram revelados para as moedas de ouro e prata. Mais uma vez, o São Jorge de Pistrucci foi escolhido para o reverso de O Soberano, sendo “Sancionado”, disse o Chanceler do Tesouro, “pela tradição e recomendado pela grande beleza do desenho”.

Não foi até 1893, no entanto, quando a velha cabeça de Thomas Brock substituiu a cabeça do Jubileu nas moedas da Rainha Vitória, que o São Jorge de Pistrucci finalmente enfeitou o reverso do Meio-Soberano. Pode ter havido razões práticas para adotar São Jorge no lugar das armas reais usuais, mas as considerações estéticas certamente também desempenharam um papel. A admiração geral pelo design de Pistrucci levou um crítico no London Illustrated News declarar que o novo Meio-Soberano de 1893 era “Imensamente bonito ... de longe o Meio-Soberano mais artístico que já vi”.

Desenhos reversos dos meios-soberanos de 1817 e 1893.

Uma imagem cada vez mais popular

O design de Pistrucci apareceu nos Soberanos de todos os monarcas desde o reinado de Victoria. Ele apareceu em todos os metais preciosos do Sovereign do século XX, exceto em cinco ocasiões especiais, incluindo o ano de Sua Majestade o Jubileu de Ouro da Rainha em 2002 e o 200º aniversário do moderno Sovereign em 2017.

O São Jorge e o dragão de Pistrucci continuam a reinar supremos na família do ouro Sovereign, representando os mais altos padrões da arte do fabricante de moedas. Ele adorna todas as cinco moedas da família Sovereign. Cada um foi fabricado usando as ferramentas mestras originais, o que significa que eles realmente exibem a obra-prima dinâmica de Pistrucci em toda a sua glória original.


Sovereign II SP-170 - História

TraditionalArchery.Net VintageArchery.Org ArcheryHistory.Org

Copyright (C) 2018-2021 LGI Services

Ben Pearson é conhecido como o "Pai do Tiro com Arco Moderno" e era sonho de muitos meninos receber um arco e flecha Ben Pearson embaixo da árvore de Natal ou como presente de aniversário. Pearson foi postumamente introduzido na classe inicial do Archery Hall of Fame ao lado de outros grandes arqueiros como Howard Hill, Fred Bear e outros.

Fabricado em Pine Bluff, o que começou na garagem de Ben Pearson em 1931 com alguns ajudantes de meio período tornou-se em poucos anos a maior empresa de equipamentos de arco e flecha do mundo. W.T. Grimm & amp Company, Auditores Independentes de Chicago, Illinois, observou em 1952 que: “Apenas 14 anos atrás, esta empresa foi organizada para fabricar arcos e flechas. Ele logo se tornou o maior do mundo e hoje produz cerca de 50% de todos os equipamentos de arco e flecha vendidos nos Estados Unidos. ” “A Ben Pearson Company foi pioneira em suprimentos de arco e flecha e, com uma força de três homens, construiu seu negócio com mais de 600 funcionários. Eles são, sem dúvida, os maiores fabricantes de suprimentos para arco e flecha do mundo, enviando para todos os estados e muitos países estrangeiros. ”

No auge de sua execução, em meados dos anos 60, a Ben Pearson Inc. tinha mais de 800 funcionários em sua unidade de 15 acres em Pine Bluff e fabricava de 3.000 a 5.000 dezenas de flechas e 4.000 arcos por dia. Sua fábrica, composta por seis edifícios, cobria 84.000 pés quadrados de área útil.

Em uma carta fornecida por seu filho Ben Pearson Jr., o ancião Pearson descreveu sua operação em uma publicação, "Strange As It S parece". “Usamos 15 ou 20 vagões de trem de penas de peru a cada ano para flechar as flechas que fabricamos”, disse Pearson. Foi por meio de seu gênio mecânico que a empresa de Ben Pearson se tornou a primeira nos EUA a produzir em massa uma linha completa de equipamentos de arco e flecha, desde conjuntos a torneios de ponta e equipamentos de caça.

A HISTÓRIA DE BEN PEARSON

Ben Pearson nasceu no sopé das montanhas de Ouachita perto de Paron Arkansas, em uma cabana de madeira, em 16 de novembro de 1898. Era um mundo diferente crescendo nas regiões rurais do Arkansas na virada do século. A infância de Ben naquele mundo foi quase curta. Ele foi chutado no meio da testa por uma mula incauta que ficou surpresa ao sentir sua cauda sendo puxada por um desagradável Ben Pearson de 3 anos. Seu filho Ben Pearson Jr. se lembra de seu pai lhe contando o que ele fazia quando criança e ele respondeu que "ele jogava bola, nadava e brincava com seus vizinhos de infância, talhava com sua faca e realizava tarefas agrícolas regulares. Acredito que por um período de tempo ele viveu com um tio até que a família se restabelecesse. Ele e seu irmão, Quinna, viajaram com o pai a negócios e em uma dessas viagens, de acordo com meu falecido tio, assistiram aos veteranos de guerra confederados realizarem exibições de tiro. Isso deixou uma grande impressão em ambos, de acordo com meu tio. ” Com apenas o ensino fundamental, ele se tornou um autodidata em eletricidade e mecânica. Seu primeiro trabalho remunerado pode ter sido consertando eletrodomésticos quando era adolescente. Ele então trabalhou para algumas empresas elétricas em Little Rock e North Little Rock até 1927. Ele estava a caminho do campo de treinamento na Guerra Mundial quando o armistício foi assinado.

Pearson leu um artigo de Dan Beard, que havia sido ilustrador de Mark Twain. Beard tinha muitos talentos, mas foi influente no início do movimento dos escoteiros. Os artigos de Beard sobre arco e flecha apareceram no verão de 1926 e este foi o mesmo ano em que Pearson fez seu primeiro arco de verdade. Pearson estava trabalhando para uma empresa de eletricidade e estava na estrada muito, mas rapidamente se tornou um fanático por arco e flecha, entrando em torneios, fazendo equipamentos para outros, fundando clubes, etc. Com sua formação em eletricidade e mecânica, juntamente com seu amor pela madeira, apenas tudo se encaixou para ele. Seu ídolo era o famoso inventor Thomas Edison e ele admirava muito Henry Ford. Era natural para ele estar em uma posição privilegiada para desenvolver ideias para a produção em massa de equipamentos de arco e flecha. Ele devorou ​​cada peça da literatura sobre arco e flecha que conseguiu. Ele praticou muito e refinou seu equipamento. Ele se tornou um nome bem conhecido nos anos 30 e atirou em torneios nacionais, chegando ao sétimo lugar em 1938.

O primeiro arco de Pearson como um bowyer foi uma nogueira de 1,80m modelada após o arco longo inglês obtido a partir de instruções em artigos de escoteiros escritos por Dan Beard. Anos mais tarde, Pearson seria o autor de suas próprias instruções para fazer um arco plano na série de emblemas de mérito dos escoteiros para arco e flecha.

Mas Ben Pearson não queria apenas fazer arcos e flechas, ele queria atirar neles e, após incontáveis ​​horas de prática, ele ficou bom, muito bom. Ele terminou o penúltimo campeonato estadual de arco e flecha em 1926, mas por sua determinação, que o levaria até a aula inaugural do Hall da Fama do Tiro com Arco, voltou no ano seguinte e venceu. Em 1938, ele ficou em sétimo lugar no torneio da National Archery Association, mas o que ele realmente se destacou foi o tiro de exibição e a caça com arco.

Pearson viajou por toda a América do Norte e México fazendo manifestações e seu filho disse que durante 1956 Pearson apareceu em mais de 40 exposições e shows em todo o país, incluindo o show Will Rogers Jr. transmitido pela televisão nacional na cidade de Nova York. Sempre que podia, Ben Pearson Jr., quando jovem, viajava com seu pai para várias exposições. Seu pai ensinou seu filho a atirar e Pearson Jr. diz que eles treinavam juntos às vezes até quatro horas por dia. O jovem Pearson se tornou tão bom em arremessos de truques que começou a participar com seu pai durante as manifestações. Pearson se lembra de ter dirigido com seu pai e família no Ford Galaxy 500 da família para a Cidade do México em 1963 para dar demonstrações de arco e flecha na Feira de Comércio da América Latina, onde havia várias centenas de milhares de participantes. Pearson diz que estava na terceira série na época e lembra da rotina dos shows. Os Pearson jogavam anéis na frente dos alvos uns para os outros e, conforme caíam, prendiam-nos na palha. Com quase nove anos de idade na época, Pearson Jr. reconheceu que sempre esteve mais perto do que seu pai para atirar, mas modestamente admite que sua habilidade impressionou o público também. Às vezes, os anéis eram cheios de balões e conforme a demonstração progredia, os anéis ficavam menores, finalmente terminando com seu filho jogando bolas de pingue-pongue que Pearson, Sr. pregava no alvo a uma distância de 30-40 pés. “Sabe, ele pode levar uma ou duas doses na maioria das vezes. Três, quatro ou cinco às vezes, mas ele os abatia ”, relembra Pearson Jr.. Uma demonstração memorável capturada em vídeo ocorreu em um barco de fundo plano no Lago Hamilton, em Hot Springs, durante uma exposição patrocinada pela Johnson Motors. Pearson disse que seu pai estava no barco correndo paralelo a outro homem em um barco separado que jogou bolas de pingue-pongue que um dos maiores arqueiros do mundo tatuou.

O famoso caçador de arco Jim Dougherty, que era amigo próximo de Ben Pearson, foi convidado uma vez a descrever Ben: “Achei Ben um tipo de cara muito quieto e discreto, embora possuidor de um humor seco e divertido. Ele era um arqueiro excelente, com habilidade incrível em alvos móveis, assim como seu amigo Howard Hill. ” Outro amigo próximo, Jack Atkins, disse “Ben é um homem quieto e tranquilo ... com um coração tão grande quanto o peito. Eu o vi fazendo amizade com crianças desde os desertos congelados acima do Círculo Ártico até as selvas fumegantes do México. Ele é sempre o mesmo ... imediatamente estabelecendo um relacionamento com os mais pequenos. " Don Croft, outro amigo protegido que era muito próximo de Pearson, comentou que ”“ Ben Pearson representou o máximo em masculinidade, honestidade e sinceridade. Ele me ensinou que a vida é uma mistura de dias bons e ruins, vitória e derrota, dar e receber. Ele me ensinou que o passe sempre acaba sendo um bumerangue e que carregar um chip no ombro é a melhor maneira de entrar em uma luta. Aprendi com Ben que o negócio poderia funcionar perfeitamente bem sem mim e que não importa quem recebe o crédito, desde que o negócio prospere. Sua filosofia era de grande integridade, que o zelador é humano e que não fazia mal sorrir e dizer bom dia, mesmo quando estava chovendo. Ele me ensinou que o trabalho árduo, e não a inteligência, é o segredo de seu sucesso, e que as pessoas não são mais difíceis de conviver em um lugar do que em outro e que conviver depende de cerca de noventa e oito por cento do meu próprio comportamento. ”

Ben Pearson fez uma série de coisas para promover o tiro com arco em geral, o que, claro, ajudou a sustentar seu negócio de tiro com arco:

  • Sua automação reduziu muito o custo médio do equipamento de arco e flecha, tornando-o mais acessível para mais pessoas.
  • Ele encorajou o tiro com arco ajudando a formar clubes, organizações e associações com outros entusiastas do arco e flecha da época. (Exemplos: ele foi cofundador da Associação de Fabricantes e Revendedores de Arco e Flecha (AMADA) e da Associação de Tiro ao Arco do Sul (SAA).
  • Ele e / ou representantes da empresa estavam disponíveis para preparar um curso ou introduzir o tiro com arco em escolas ou para escoteiros, sempre que possível. (Ao mesmo tempo, a Ben Pearson Co. fornecia todo o equipamento de arco e flecha usado pelos Boy Scouts of America.)
  • As vendas de arco e flecha foram promovidas por meio de uma rede de revendedores de 3.000 membros, para não mencionar as vendas por meio de grandes empresas de mala direta, como Sears, Roebuck & amp Co. e Montgomery Ward.
  • Filmes instrutivos de dezesseis milímetros, monitores de equipamentos e panfletos instrutivos foram exibidos ou distribuídos em todo o país em manifestações, escolas, clubes e organizações e, muitas vezes, as manifestações foram televisionadas localmente e nacionalmente.
  • Ben Pearson ou representantes da empresa, incluindo Howard Hill, John D. & amp Barbra Sanders, Pat Chambers, Tom McGehee, Ann Clark, Ann Marston, Jack Witt, LJ McKool e Jerry Baxter, entre outros, realizaram demonstrações de arco e flecha em todo o país. Só em 1956, Pearson se apresentou pessoalmente em mais de 40 locais de demonstração, incluindo o National Boy Scout Jamboree no Los Angeles Coliseum e o Will Rogers Jr. Show transmitido pela televisão nacional na cidade de Nova York.
  • Ben Pearson patrocinou e sediou o maior evento esportivo indoor participante do mundo em uma década. Este evento foi o Ben Pearson Open. Em 1967, no nono Open, 1.246 arqueiros de 40 estados e do Canadá estavam presentes.
  • Vários filmes de caça diferentes foram produzidos pela empresa para distribuição para promover a caça com arco. Um deles apresentava Howard Hill, Ben Pearson, Tom McGehee e outros, caçando coelhos com arco, gar crocodilo e cabras selvagens. Outros filmes apresentavam Pearson caçando patos e faisões na asa, javelina, leão da montanha e dois ursos recorde mundial: polar e grizzly.
  • Pearson trabalhou com vários jogadores e pescadores, fez amizade com governadores e respondeu à retórica anti-caça em um esforço para garantir, expandir e proteger a caça com arco para as gerações futuras.
  • Ben Pearson Co. também participou da indústria de pista automática de tiro com arco.

UM ADMIRADOR HENRY FORD

Pearson deixou a concessionária de energia elétrica por volta de 1932 e começou a fabricar equipamentos de arco e flecha, principalmente flechas, logo depois. Isso foi durante a Depressão, então ele também ganhava a vida por outros meios. Mas, à medida que os negócios cresciam, ele contratou pelo menos duas pessoas para ajudá-lo. Pearson havia formulado suas idéias para produzir equipamentos de arco e flecha em massa durante esse período e, embora ansioso para iniciar operações em maior escala, não tinha capital para fazê-lo e ninguém que ele abordou estava interessado em financiá-lo. Isto é, não até 1937, quando um encontro casual com Carl Haun resultou em Pearson finalmente começando sua ideia de sonho de produzir em massa equipamentos de arco e flecha.

It was that chance meeting with a retired Oklahoma oilman in 1938 that soon made Ben Pearson’s dream to mass-produce archery equipment a reality. Pearson had always been a fan of Henry Ford and had envisioned assembly line manufacturing as the key to making affordable reliable equipment. He knew how to do it, and he knew he could invent the machines he needed the problem was he didn’t have the capital for his dream venture until Carl Haun came to visit his backyard shop in Pine Bluff one day.

The Oklahoman had heard about Pearson and traveled to Arkansas in search of some top-of-the-line arrows for his grandson who had lost or broken all of his. Haun was extremely impressed with the quality of Pearson’s work but manufacturing bows and arrows in the small shop was slow and extremely laborious. Pearson took the opportunity to explain his vision of mass-producing archery equipment to the former oilman and Haun was hooked.

Soon they went searching for the appropriate building where they could begin their enterprising partnership and settled on an old sorghum mill that was for sale. According to Pearson, Jr., “At that moment Carl Haun’s financial support and Ben Pearson’s mechanical knowledge were joined, forming the Ben Pearson Company.” Pearson Jr. says, “By the time Carl left Pine Bluff, a building had been acquired and plans formulated. Sometime around march of 1938, Ben Pearson Inc. was created. After two or three investments, Carl and his wife moved to Pine Bluff and the rest is history.” Haun became the company’s president and general manager and remained so until his death in 1963. By April 1939 just a year into the business, the Ben Pearson Co. was considered to be the world leader in volume production of archery equipment. Ben Pearson applied scientific management to the workplace much the same as Ford. He also personally developed much of the machinery necessary to produce a component or required operation during those early years and developed a systematic flow to the production process.

Some of his earliest product inventions include the first “mass produced broadhead” a skeleton ferule broadhead” (punch pressed steel broadhead) various fishing and arrow points or pyles a hollow wood tournament arrow (1938/39) in the 40s, he received a patent for a three piece take down and various archery equipment machine inventions, such as the cresting machine, handle trim lathe, bow tillering machine, automatic arrow point machine, automatic bow sanding machine, and target machine (to make straw targets). Aside from the archery industry, Ben Jr. says his dad played a key role in the development and manufacturing of some of the first mass produced mechanical cotton pickers beginning in 1949. “Therefore we are manufacturing the world’s oldest weapon and the world’s latest development in farm machinery,” Pearson told a reporter at the time.

By 1952, Ben Pearson Co. was producing 50 percent of all the archery equipment sold in the U.S. The company’s sprawling complex had expanded to twelve buildings covering 139,000 square feet, and all of it due to Ben Pearson’s mechanization genius. In fact, Pearson was awarded several patents for his inventions, including take-down bows, arrowhead construction and target making machines. The company began marketing with catalogs and in the 1940 edition Ben Pearson Sr. wrote, “For the first time in the history of American archery, the manufacturing of precision bows and arrows has been placed on large scale production. We are able to maintain the highest standards in precision, because our large scale operations enable us to use craftsmen with highly-trained specialized ability. Thus, with the best in stock and the best in craftsmen coupled with our rigid precision supervision, we produce superior archery products which have no peer in America or the world.”

Part of that precision process was the wood from which the bows and arrows were made. Nearly all of the arrows were manufactured from Port Oxford Cedar, which was grown in only two places in the world in commercial quantities – a small county in Oregon and a singular island in Japan. The company’s most popularly-priced bow was made of Lemonwood, which was grown in Cuba but had no connection to the lemon tree. As time went by Pearson developed other brands, or a “series line of names,” like the Sovereign Series for his higher-end bows, Apex (which were nearly identical to regular BP models), and Locksley for the European market. Among the most famous of all was the Palomino made from laminated wood and fiberglass. The bow was so popular with elite archers the factory ran six weeks behind on orders. The acclaim and awards won by archers using the Palomino bow are too numerous to mention but include many national, international, and world championships in the late 50s to early 60s. In 1961 the Sovereign line of archery equipment came out. This was the "elite" line of bows sold by Ben Pearson. By 1963 the total average daily output of Ben Pearson was 3,000 bows and 3,000 to 4,000 doz. arrows.

SALE OF THE BUSINESS

In early 1967, four years before his death, Ben Pearson, whose health was failing, sold his interest in the company to the Leisure Group, a manufacturing conglomerate with corporate offices in Los Angeles. However, Ben Pearson Jr. says the production plant remained in Pine Bluff until the mid-90s. When asked what it means to represent the name of the “Father of Modern Archery,” Selman said, “Ben Pearson worked diligently in perfecting equipment that was both affordable and precise. We are constantly looking at innovations to already existing bows like the Advantage III. We are currently building the Ben Pearson name back to a recognized force for both competition and bow hunting through excellent equipment, pro and field staff, and social media.” In 1967 The Leisure Group acquired Ben Pearson Inc. The Sovereign line was dropped. Several models were continued under the Pearson name. The company headquarters moved to Los Angeles, California. 1972 The Brunswick Corporation bought Ben Pearson from the Leisure Group. The headquarters moved to Tulsa Oklahoma. In 1978 Ben Pearson was bought by an old partner of Ben Pearson and moved back to Pine Bluff, Ark. In 1983 Pearson brought back four bows: the cougar Bronco Ben, all American, and the Mercury Hunter. The Ben Pearson bow model that lasted the longest was the Cougar. It began in 1958 and lasted until 1977. The first Cougar was right and left handed. Over the years it was made in lengths from 64 inches to 58 inches. The company has been revived under the name Ben Pearson Outdoors. Its initial national sales director Ben Selman says the company, purchased in 2009, is family-owned and currently employs 26 people in a 5,300-square foot facility. He says its intention is to “continue archery excellence forged by the legend of Ben Pearson.”

Logos. Ben Pearson Inc. has always had a logo on its bows, arrow boxes and printed material. The logo changed some times every year or two. The same logo was never used very long. It is the easiest way to date printed material or arrow boxes. The logos have small differences to complete changes. Sometimes only the font changed. Sometimes the broadhead changed. Phases were added and taken away.

While Ben Pearson was an avid archer and loved the sport, he was a businessman with a genius for manufacturing. He also made sewing machine parts, boats, boat trailers, corn cribs, cotton pickers and automobile pipe fittings. At the 50th anniversary party for Ben Pearson Archery, Governor Bill Clinton was presented with the six millionth manufactured bow and the 200 millionth manufactured arrow. Governor Clinton said the only thing he ever won was an archery contest in grade school with a Ben Pearson bow and arrows. By the time of the 50th anniversary Ben Pearson Inc. had 350 workers and a payroll of $100 million.

It is thought that Ben Pearson Archery was the largest manufacturer of archery equipment between 1939 and 1967- which (at periods) during that time frame employed around 800 employees. Ben Pearson was among the first inductees of the Archery Hall Of Fame in 1972 (he passed away in 1971), also he is in several other halls- National Bowhunters Hall of Fame - The National Sporting Goods Industry Hall of Fame- Arkansas Sports Hall of Fame - Arkansas Outdoor Sportsman Hall Of Fame - Arkansas Bowhunters Hall of Fame- also received the Compton Medal of Honor in 1967 from the National Field Archery Association. He passed away in 1971.

In 1980 for the 50th anniversary of the Ben Pearson Co., then-Governor Bill Clinton was presented with the company’s six millionth bow and 200 millionth arrow manufactured. At that time, the company employed more than 350 workers and had a payroll in the tens of millions of dollars. It’s hard to describe the legend of Ben Pearson in one story. He was an inventor, a machinist, an electrician and woodworker, an engineer, an industrialist, a world-class archer and a visionary.

According to Ben Jr. “There are few people who have devoted their soul to archery as my father Ben Pearson did. Ben would have been happy to have received an award or not to have, and would have perhaps simply stated that there are few men who have had the opportunity of working at something they enjoy, as he did.”

Key milestones in Ben Pearson’s Career included, but are not limited to:

  • Ben Pearson becomes associated with Carl Haun, who not only financed Ben Pearson Co. but also served as president and general manager until his death in 1963.
  • In 1939, Ben Pearson Co. led the world in volume production of archery equipment, and began the mass production of broadheads. (Punch pressed steel “skeleton” ferrule broadhead)
  • A major milestone that can be viewed as the birth of the modern era of archery.
  • In 1943, 365 employees worked at Ben Pearson Co.
  • In 1946, Ben Pearson Co. was featured in national publications, The Saturday Evening Post and Popular Science.
  • In 1947, the company received the state’s Legion award for hiring the physically handicapped.
  • In 1952, Ben Pearson Co. began using fiberglass and in subsequent years develops the molded fiberglass bow.
  • In 1956, 800 employees worked at Ben Pearson Co. In this year, Ben Pearson personally performed 40 plus archery exhibitions and promotions across the country including a National Scout Jamboree in the Los Angeles Coliseum and nationally televised Will Rogers CBS television show in New York City.
  • In 1957, Jack Witt was hired to take charge of marketing. Jack changed the dated marketing plan of Ben Pearson, became highly skilled with a bow, was an instrumental force in the PAA, Ben Pearson Open, performed exhibitions, and assisted Pearson with his exhibitions, and wrote archery clinic columns.
  • In 1958, Ben Pearson Co. introduces the “Palomino.” Its performance record included many state and national championships, and was an instant best-selling high end tournament bow.
  • From 1959-1968, the Ben Pearson Open Tournament was the largest indoor participating sporting event in the world. The first and last Open occurred in Detroit, Michigan.
  • In the early 60s, the Golden Sovereign series of archery equipment was introduced. This line featured the Lord and Lady Sovereign and Lord and Lady Mercury, considered on the top end of equipment in the industry during this time frame by many.
  • In 1963, Ben Pearson represented the United States, alongside several other leading firms and organizations such as IBM, General Motors, and NASA, by performing exhibitions every day for a month at the Latin American Trade Fair in Mexico City. The fair attracted 600,000 people.
  • Also in 1963, Ben Pearson invented the “Dead Head” broad head.
  • In 1965, Ben Pearson took a world record grizzly and polar bear on the same trip to Alaska. It was his first and only time to hunt these species.
  • In 1966, the Sporting Goods Dealers magazine awards Ben Pearson Co. the National Leadership award in the category of “Specialized Manufacturer.”
  • Pearson received the NFAA‘s highest award, the Compton Medal of Honor, in 1968 and was inducted posthumously into the Archery Hall of Fame in 1972 (as a charter inductee), The National Bowhunters Hall of Fame, The National Sporting Goods Industry Hall of Fame, The Arkansas Outdoor Sportsmen’s Hall of Fame, The Arkansas Sports Hall of Fame, and The Arkansas Bowhunters Hall of Fame.
  • In 1980, Governor Bill Clinton and Iron Eyes Cody were on-hand to celebrate the 200,000,000th arrow made by Ben Pearson Co.

Ben Pearson Sovereign Line History

In 1961 Pearson came out with the Golden and Silver Sovereign line. The Golden series was the top line. The Silver Sovereign series bows were made from 1961-1964 and the Golden Sovereign from 1961-1971. Models included, in various years:

  • Golden series: Monarch, Conqueror, Emperor, Regent, Crusader, Lord Mercury, Lady Mercury, Lord Sovereign, Lady Sovereign, Mercury Hunter, Prince, Knight, Falcon, Mace, Scot, Baron, and Duke.
  • Silver series: Highlander, Tartan, Marauder.

The early Golden and Silver models had one fatal flaw. Pearson used Urac 185 back then which is a poor substitute for lamination glue. It broke down relatively fast when exposed to extreme heat and or cold, and was unstable. As a result, bows would delaminate. After this was corrected Pearson expanded the "Sovereign" line. These additions were high end and high quality, such as the Conqueror hunting bow. The Sovereign line was discontinued in 1971. In 1967 the Sovereign line included the (from most to least expensive): Lord Mercury, Lady Mercury, Lord Sovereign, Lady Sovereign, Mercury Hunter, Prince, Knight, Falcon, Mace, Scot, Baron, and Duke.

Locksley Line

The Locksley line was an Early to mid 1960's entry-mid level line of bows sold by the Ben Pearson Company, particularly in Europe. It was not a means to market Pearson "Seconds". Most Locksley branded bows were from the same designs as regular Pearsons, with a few exceptions. For example, the Locksley Lion was like a supercharged Pearson Cougar - same general design but with a larger riser and tip overlays. Other known models include the Puma (Colt), Marksman (primarily Filly but designs changed several times over the years), Lynx (Javelina),

​The Ben Pearson Special and KM Special
was a Ben Pearson Hunter model that was made for K-Mart and called the KM Special. They were not quite as high a quality as the regular Hunter model, but a serviceable bow that was not quite true centershot.


The Colt SP-IIs ( R6400, R6401, R6500)

I have noticed a lot confusion online about the Colt AR15 as it became the SP-2, or the AR15A2. People assume the “A2” means that the uppers should have come originally from colt with the familiar M16A2 upper everyone knows. This is a understandable assumption but it’s wrong. Colt always used up old parts from military contracts before switching the civilian rifles over to the newest military type parts.

The first SP2( AR15A2) was still very much like the SP1. It’s actual internal Colt model number is the R6400.

Really to put it simply, it is the old SP1 with an A2 , government profile barrel and delta ring. It has a 1/7 twist with the new FSB and front post, A2 hand guards, buttstock and pistol grip. The upper and lower receivers are the same as the Sp-1 except for the roll mark.

As Colt ran out of the slick side uppers , they used up their remaining M16A1 uppers.

The next version of the SP-2 rifle has is exactly the same except it has a M16A1 upper receiver with forward assist. Colt model number R6401. Barrel is A2 milspec barrel and furniture etc.

The last version before the switch over to the true A2 upper receiver is the R6500.

The R6500 (SP2) uses the Canadian C7 type upper. This is an A1 upper but with a case deflector added and using the newer button forward assist. These uppers are seen on some LE and military carbines bought by the US Gov for SOF troops as well.

After these were running out or about to run out,the R6600 and R6550 models hit the market. Those guns uses the A2 upper with heavy barrel and government profile A2 barrels respectively. The lowers were still slick side SP1 type lowers for a while before transitioning into the now universal A2 profile lower.

Above is the typical rollmark of an SP2. All rifles used the double screw head front pivot pin that is larger than the milspec current front pivot pins used by Colt. The older large hole pins was a change forced on them by the government before they were allowed to sell to the civilian market. Adapter pins are available that lets you put large hole uppers on milspec lowers and vice versa if you get one of these old uppers and want to put it on your new lower or old lower on new upper. You can also buy pins to replace the screw head pins on the upper to make it easier to take apart or just to look better.


Assista o vídeo: Hotsprings sovereign