História de Singapura - História

História de Singapura - História

Cingapura

Diz-se que Cingapura derivou seu nome da palavra 'singapura', que por tradução significa 'Cidade do Leão'. Esse nome foi supostamente cunhado por um príncipe de Sumatra que, ao desembarcar na ilha, viu um leão e o considerou um bom presságio.

Colonização

Cingapura era um estado colônia governado pelos britânicos. O domínio britânico da ilha durou 144 anos. No entanto, essa regra foi encerrada quando a colônia da coroa foi dissolvida em 16 de setembro de 1963, quando Cingapura se tornou parte da Malásia. A Malásia era composta pela Federação da Malásia, Cingapura, Sarawak e Bornéu do Norte, agora conhecida como Sabah. No entanto, a fusão de Cingapura não teve sucesso.

Independência

As tensões comunais que resultaram em distúrbios raciais em julho e setembro de 1964 foram resultado de profundas diferenças políticas e econômicas entre os partidos governantes de Cingapura e da Malásia. Cingapura separou-se da Malásia para se tornar um estado independente e soberano em 9 de agosto de 1965.

Depois que Cingapura se separou da Malásia, a nação incipiente teve que se tornar autossuficiente. Cingapura enfrentou muitos problemas como;

  • Escassez de moradias

  • Falta de terras e recursos naturais

  • Desemprego.

Foi durante o mandato de Lee Kuan Yew como primeiro-ministro, de 1959 a 1990, que seu governo conseguiu conter o desemprego. Os padrões de vida foram elevados. Isso foi conseguido com a implementação de um programa de habitação pública em grande escala.

Como resultado, a infraestrutura econômica do país foi desenvolvida, um sistema de defesa nacional independente foi estabelecido e, eventualmente, a tensão racial foi eliminada. Cingapura evoluiu de uma nação em desenvolvimento para um estado de primeiro mundo no final do século XX.

Foi durante o reinado de Goh Chok Tong, que sucedeu a Lee em 1990, que os impactos econômicos da crise financeira asiática de 1997 e do surto de SARs em 2003 foram enfrentados. Em 2004, Lee Hsien Loong, que era o filho mais velho de Leen Kuan Yew, tornou-se o terceiro primeiro-ministro.

População

Cingapura é um país multirracial, com os chineses representando mais de 75% da população. Malaios e índios constituem a maior parte do restante. Por ser um país densamente povoado, a maioria de sua população vive em prédios de apartamentos públicos. A economia comercial deste país é fortemente apoiada pelos trabalhadores estrangeiros.

As estatísticas do governo mostram que, no ano 2030, os imigrantes estrangeiros representarão mais de 50% da população.

Conclusão

Desde que Cingapura declarou sua independência da Malásia em 1965, o Partido da Ação Popular tem dominado a política do país. No entanto, Cingapura ainda enfrenta alguns desafios importantes, como; desigualdade de renda, aumento do custo de vida e imigração.


Estudos recentes verificaram que os leões nunca vagaram por Cingapura. No entanto, a lenda original era que, há muito tempo, um príncipe da Sumatra do século 14 avistou uma besta auspiciosa ao pousar na ilha após uma tempestade, que lhe disseram ser um 'leão'. Assim, o nome Cingapura vem das palavras malaias & ldquoSinga & rdquo para leão e & ldquoPura & rdquo para cidade. Antes da colonização europeia, a ilha agora conhecida como Cingapura era o local de uma vila de pescadores malaia e habitada por várias centenas de povos indígenas Orang Laut.

No final de 1818, Lord Hastings & ndash o governador geral britânico da Índia & ndash nomeou o tenente-general Sir Stamford Raffles para estabelecer uma estação comercial na ponta sul da península malaia. Os britânicos estavam estendendo seu domínio sobre a Índia e seu comércio com a China estava se expandindo. Eles viram a necessidade de um porto de escala para & ldquorefit, revitalizar e proteger sua frota mercante & rdquo, bem como para prevenir quaisquer avanços feitos pelos holandeses nas Índias Orientais.

Depois de pesquisar outras ilhas próximas em 1819, Sir Stamford Raffles e o resto da Companhia Britânica das Índias Orientais desembarcaram em Cingapura, que se tornaria seu posto comercial estratégico ao longo da rota das especiarias. Eventualmente, Cingapura se tornou um dos centros comerciais e militares mais importantes do Império Britânico. A ilha foi a terceira aquisição britânica na Península Malaia depois de Penang (1786) e Malaca (1795). Esses três assentamentos britânicos (Cingapura, Penang e Malaca) tornaram-se os assentamentos estreitos em 1826, sob o controle da Índia britânica. Em 1832, Cingapura se tornou o centro do governo das três áreas. Em 1º de abril de 1867, os Straights Settlements se tornaram uma Colônia da Coroa e eram governados por um governador sob a jurisdição do Colonial Office em Londres.


Breve História de Singapura

Esta página apresenta uma breve introdução à história, independência e crescimento econômico de Cingapura no século passado. Livro e fonte recomendados: Singapura 1994.

Os britânicos, que estavam estendendo seu domínio na Índia, e cujo comércio com a China na segunda metade do século 18 estava se expandindo, viram a necessidade de um porto de escala nesta região para reequipar, revitalizar e proteger sua frota mercante, também para impedir qualquer avanço dos holandeses nas Índias Orientais. Como resultado, eles estabeleceram entrepostos comerciais em Penang (1786) e Cingapura (1819) e capturaram Malaca dos holandeses (1795).

No final de 1818, Lord Hastings, Governador-Geral da Índia, deu aprovação tácita a Sir Stamford Raffles, Tenente-Governador de Bencoolen, para estabelecer um posto comercial na ponta sul da Península Malaia. Em 29 de janeiro de 1819, Raffles desembarcou na ilha de Cingapura depois de pesquisar outras ilhas próximas. No dia seguinte, ele concluiu um tratado preliminar com Temenggong Abdu'r Rahman para estabelecer uma feitoria aqui. Em 6 de fevereiro de 1819, um tratado formal foi concluído com o sultão Hussein de Johor e os Temenggong, os governantes de jure e de fato de Cingapura, respectivamente.

Cingapura provou ser um assentamento valioso. Em 1820, estava ganhando receita e, três anos depois, seu comércio ultrapassou o de Penang. Em 1824, o status de Cingapura como possessão britânica foi formalizado por dois novos tratados. O primeiro foi o Tratado Anglo-Holandês de março de 1824, pelo qual os holandeses retiraram todas as objeções à ocupação britânica de Cingapura. O segundo tratado foi feito com o sultão Hussein e Temenggong Abdu'r Rahman em agosto, pelo qual os dois proprietários cederam o direito da ilha aos britânicos em troca de maiores pagamentos em dinheiro e pensões.

The Straits Settlements

Cingapura, junto com Malaca e Penang, os dois assentamentos britânicos na Península Malaia, tornaram-se os assentamentos do estreito em 1826, sob o controle da Índia britânica. Em 1832, Cingapura havia se tornado o centro do governo para as três áreas. Em 1º de abril de 1867, os Straits Settlements se tornaram uma Colônia da Coroa sob a jurisdição do Colonial Office em Londres.

Com o advento do navio a vapor em meados da década de 1860 e a abertura do Canal de Suez em 1869, Cingapura se tornou um importante porto de escala para os navios que operam entre a Europa e o Leste Asiático. E com o desenvolvimento do plantio da borracha, principalmente a partir da década de 1870, tornou-se também o principal centro de triagem e exportação de borracha do mundo. Antes do final do século 19, Cingapura estava experimentando uma prosperidade sem precedentes e o comércio se expandiu oito vezes entre 1873 e 1913. A prosperidade atraiu imigrantes de áreas ao redor da região. Em 1860, a população havia crescido para 80.792. Os chineses responderam por 61,9 por cento do número, os malaios e indianos 13,5 e 16,05 por cento, respectivamente, e outros, incluindo os europeus, 8,5 por cento.

A paz e a prosperidade terminaram quando aviões japoneses bombardearam a cidade adormecida nas primeiras horas de 8 de dezembro de 1941. Cingapura caiu para os japoneses em 15 de fevereiro de 1942, e foi rebatizada de Syonan (Luz do Sul). Permaneceu sob ocupação japonesa por três anos e meio.


Rumo ao autogoverno

As forças britânicas retornaram em setembro de 1945 e Cingapura ficou sob a administração militar britânica. Quando o período de administração militar terminou em março de 1946, os acordos do estreito foram dissolvidos. Em 1º de abril de 1946, Cingapura tornou-se uma Colônia da Coroa. Penang e Malaca tornaram-se parte da União da Malásia em 1946 e, mais tarde, da Federação da Malásia em 1948.

Cingapura do pós-guerra era um contraste com o país pré-guerra de imigrantes temporários. O povo, especialmente a classe mercantil, clamava por uma palavra a dizer no governo. Os poderes constitucionais foram inicialmente atribuídos ao governador, que tinha um conselho consultivo de funcionários e nomeava não funcionários. Isso evoluiu para os Conselhos Executivo e Legislativo separados em julho de 1947. O governador manteve o controle firme sobre a colônia, mas havia disposições para a eleição de seis membros para o Conselho Legislativo por voto popular. Portanto, a primeira eleição de Cingapura foi realizada em 20 de março de 1948.

Quando o Partido Comunista da Malásia tentou assumir o controle da Malásia e de Cingapura pela força, o estado de emergência foi declarado em junho de 1948. A emergência durou 12 anos. No final de 1953, o governo britânico nomeou uma comissão sob o comando de Sir George Rendel para revisar a posição constitucional de Cingapura e fazer recomendações para mudanças. As propostas de Rendel foram aceitas pelo governo e serviram como base para uma nova constituição que deu a Cingapura uma medida maior de autogoverno.

A eleição de 1955 foi a primeira disputa política animada na história de Cingapura. O registro automático expandiu o cadastro de eleitores de 75.000 para mais de 300.000 e, pela primeira vez, incluiu um grande número de chineses, que haviam manifestado apatia política nas eleições anteriores. A Frente Trabalhista ganhou 10 cadeiras. O Partido de Ação Popular (PAP), que apresentou quatro candidatos, ganhou três assentos. David Marshall tornou-se o primeiro ministro-chefe de Cingapura em 6 de abril de 1955, com um governo de coalizão formado por sua própria Frente Trabalhista, a United Malays National Organization e a Malayan Chinese Association.

Marshall renunciou em 6 de junho de 1956, após o colapso das negociações constitucionais em Londres sobre a obtenção de autogoverno interno total. Lim Yew Hock, vice de Marshall e ministro do Trabalho, tornou-se o ministro-chefe. A missão constitucional de março de 1957 a Londres liderada por Lim Yew Hock foi bem-sucedida na negociação dos principais termos de uma nova Constituição de Cingapura. Em 28 de maio de 1958, o Acordo Constitucional foi assinado em Londres.

O autogoverno foi alcançado em 1959. Em maio daquele ano, a primeira eleição geral de Cingapura foi realizada para escolher 51 representantes para a primeira Assembleia Legislativa totalmente eleita. O PAP conquistou 43 cadeiras, obtendo 53,4 por cento do total de votos. Em 3 de junho, a nova Constituição que confirma Cingapura como um estado autônomo foi posta em vigor pela proclamação do governador, Sir William Goode, que se tornou o primeiro Yang di-Pertuan Negara (Chefe de Estado). O primeiro governo do Estado de Cingapura foi empossado em 5 de junho, com Lee Kuan Yew como o primeiro primeiro-ministro de Cingapura.

O PAP chegou ao poder em uma frente unida com os comunistas para lutar contra o colonialismo britânico. Os comunistas controlavam muitas organizações de massa, especialmente de trabalhadores e estudantes. Foi uma aliança incômoda entre os moderados do PAP e os pró-comunistas, com cada lado tentando usar o outro para seu próprio objetivo final - no caso dos moderados, obter independência total para Cingapura como parte de uma Malásia não comunista no caso dos comunistas, trabalhar para uma tomada de poder comunista.

A tensão entre as duas facções piorou a partir de 1960 e levou a uma divisão aberta em 1961, com os pró-comunistas posteriormente formando um novo partido político, o Barisan Sosialis. Os outros atores principais neste drama foram os malaios, que, em 1961, concordaram com a fusão de Cingapura com a Malásia como parte de uma federação maior. Isso também incluiria os territórios britânicos em Bornéu, com os britânicos controlando os negócios estrangeiros, defesa e segurança interna de Cingapura.


A Proposta da Malásia

Em 27 de maio de 1961, o primeiro-ministro malaio, Tunku Abdul Rahman, propôs uma cooperação política e econômica mais estreita entre a Federação da Malásia, Cingapura, Sarawak, Bornéu do Norte e Brunei na forma de uma fusão. Os principais termos da fusão, acordados por ele e Lee Kuan Yew, eram ter responsabilidade do governo central pela defesa, relações exteriores e segurança interna, mas autonomia local em questões relativas à educação e trabalho. Um referendo sobre os termos da fusão realizado em Singapura em 1 de setembro de 1962 mostrou o apoio esmagador do povo ao plano do PAP de prosseguir com a fusão.

A Malásia foi formada em 16 de setembro de 1963 e consistia na Federação da Malásia, Cingapura, Sarawak e Bornéu do Norte (agora Sabah). Brunei desistiu. Indonésia e Filipinas se opuseram à fusão. O presidente Sukarno da Indonésia trabalhou ativamente contra ele durante os três anos de confronto indonésio.


Independência

A fusão teve vida curta. Cingapura foi separada do resto da Malásia em 9 de agosto de 1965 e tornou-se uma nação soberana, democrática e independente.

Cingapura independente foi admitida nas Nações Unidas em 21 de setembro de 1965 e tornou-se membro da Comunidade das Nações em 15 de outubro de 1965. Em 22 de dezembro de 1965, tornou-se uma república, com Yusof bin Ishak como o primeiro presidente da república.

Depois disso, começou a luta de Cingapura para sobreviver e prosperar por conta própria. Ele também teve que criar um senso de identidade nacional e consciência entre uma população díspar de imigrantes. A estratégia de sobrevivência e desenvolvimento de Cingapura consistia essencialmente em tirar vantagem de sua localização estratégica e da economia mundial favorável.


Chegando à maioridade

Um programa de industrialização maciça foi lançado com a extensão da propriedade industrial de Jurong e a criação de propriedades menores em Kallang Park, Tanjong Rhu, Redhill, Tiong Bahru e Tanglin Halt. A Lei do Emprego e a Lei das Relações Industriais (Emenda) foram aprovadas em 1968 para promover a paz industrial e a disciplina entre a força de trabalho.

O Conselho de Desenvolvimento Econômico foi reorganizado em 1968 e a Jurong Town Corporation e o Banco de Desenvolvimento de Cingapura foram criados no mesmo ano. Em 1970, a Autoridade Monetária de Cingapura foi estabelecida para formular e implementar as políticas monetárias de Cingapura.

Em 1979, após o choque de duas crises do petróleo, o Governo iniciou um programa de reestruturação econômica. Isso foi alcançado com a modificação das políticas de educação, ampliando a tecnologia e a educação em informática, oferecendo incentivos financeiros às empresas industriais e lançando uma campanha de produtividade.

A habitação pública recebeu prioridade máxima. Novas cidades surgiram e os apartamentos do Housing and Development Board foram vendidos a um custo baixo. Para encorajar a compra de casa própria, os cidadãos de Singapura foram autorizados a usar as poupanças do Fundo de Previdência Central para pagar estes apartamentos.

Com a repentina decisão do governo britânico em 1967 de retirar suas forças armadas de Cingapura até o final de 1971, Cingapura começou a construir suas próprias forças de defesa. O Instituto de Treinamento das Forças Armadas de Cingapura foi estabelecido em 1966 e o ​​serviço nacional obrigatório foi introduzido em 1967. Um Comando de Defesa Aérea de Cingapura e um Comando Marítimo de Cingapura foram criados em 1969. Em agosto de 1967, Cingapura juntou-se à Indonésia, Malásia, Filipinas e Tailândia para formar a Associação das Nações do Sudeste Asiático.

Cingapura entrou na década de 1970 como um estado politicamente estável com uma alta taxa de crescimento econômico. O Parlamento unipartidário que emergiu das eleições gerais de 1968 tornou-se o padrão, com o PAP ganhando todos os assentos em 1972, 1976 e 1980. Nas eleições gerais de 1984 e 1991, o PAP ganhou apenas dois e quatro assentos, respectivamente.

Em 28 de novembro de 1990, um novo capítulo foi inaugurado na história moderna de Cingapura, Goh Cheok Tong se tornou o segundo primeiro-ministro de Cingapura quando assumiu o cargo de Lee Kuan Yew, que renunciou após ter sido primeiro-ministro desde 1959.

Em 12 de agosto de 2004, Lee Hsien Loong, filho de Lee Kuan Yew, tornou-se o terceiro primeiro-ministro de Cingapura. Uma de suas principais realizações foi propor a construção de 2 Resorts Integrados (IR) em Cingapura, o que cria uma grande avenida para a economia de Cingapura. Antes da sua nomeação como PM, foi Vice-Primeiro-Ministro (1991-2004), Ministro das Finanças, Ministro do Comércio e Indústria.

  • Fórum de expatriados>Negócios em Cingapura - Discuta suas opiniões sobre negócios e economia de Cingapura, políticas e questões atuais, como iniciar um negócio em Cingapura.
  • Fórum de expatriados>Carreiras e empregos em Singapura - Discuta sobre como conseguir um emprego bem pago ou progredir na carreira. Pergunte sobre salários, pacotes para expatriados, CPF e impostos para expatriados.
  • Fórum de expatriados>Mudança, mudança para Cingapura - Mudança para Cingapura? Faça perguntas aos nossos expatriados regulares em Cingapura sobre realocação e sua experiência aqui. Pergunte sobre questões bancárias, passe de emprego, seguro, visto, autorização de trabalho, cidadania ou imigração.
  • Fórum de expatriados>Ficar, morar em Cingapura - Discuta sobre a vida em Cingapura. Pergunte sobre custo de vida, moradia, viagens, etiqueta e estilo de vida. Compartilhe experiências e conselhos com cingapurianos e expatriados hospedados em Cingapura.

Coloque crianças para uma postagem semilonga sobre o relatório JP Morgan e como a ciência funciona. Se você ainda quer cuspir lixo depois disso, não posso ajudá-lo mais.

Uma das coisas a se ter cuidado é comparar a situação epidemiológica em diferentes países, porque cada país.


Ah, sim, mas OP mencionou que não tem carro, então eles precisam de algo muito mais acessível. Meu amigo fica em um belo preto e branco na área de Changi, viajar é um pesadelo, a estrada principal mais próxima fica a 2km.

No mundo da tecnologia, os dados são como as máquinas se comunicam. Como o Microsoft Excel nos ajuda a quebrar essa barreira do idioma e transformar números brutos em ideias, tendências e percepções?


Uma história de Singapura em 10 pratos

A história de uma cidade-estado obcecada por comida por meio de sua culinária multifacetada.

Uma das minhas primeiras lembranças é de sentar ao redor de uma mesa comunitária improvisada com minha mãe e minha irmã, depois da hora de dormir, em frente ao estacionamento de um conjunto habitacional público em que vivíamos em Cingapura. Foi em meados da década de 1980, muito depois que os regulamentos de higiene confinaram os vendedores a centros de vendedores ambulantes dedicados. Esta barraca de carrinho de mão, provavelmente ilegal, foi provavelmente um dos últimos vendedores ambulantes itinerantes de Cingapura. Sentamos em banquinhos baixos, comendo nossa sopa de bolinhos de peixe bem quente e macarrão servido seco.

Os cingapurianos são obcecados por comida. Podemos expor incessantemente sobre onde encontrar o melhor Bak Chor Mee (macarrão de carne picada) e vai ficar na fila por horas por um bom yong tau foo (tofu recheado com surimi e vegetais). Talvez porque muitos de nós somos descendentes de imigrantes lançados na construção artificial de uma nação, ou talvez porque vivemos em um país que está em constante renovação e reconstrução, uma das poucas coisas tangíveis que nos conectam ao passado e à nossa identidade cultural é Comida.

Existem muitas facetas da cozinha de Cingapura: malaia, chinesa, indiana, eurasiana (uma fusão de pratos e ingredientes europeus e asiáticos), Peranakan (que combina as tradições alimentares chinesas e malaias) e ocidental, que geralmente significa hainanês tradicional. estilo comida britânica & # 8212 uma versão local da comida ocidental adaptada por chefs da província de Hainan, no sul da China, que trabalhavam em restaurantes ou residências britânicas.

Feng

Cingapura era uma cidade comercial já no século XIV. Alguns primeiros colonizadores foram os Orang Laut (nômades do mar) e mercadores chineses, e vários impérios indonésios reivindicaram o território antes que ele se tornasse parte do Sultanato Malaca malaio no século XV.

Em 1511, Portugal conquistou Malaca, então o maior mercado de especiarias do mundo, em uma tentativa de assumir o controle da lucrativa rota comercial marítima do Sudeste Asiático. O sultão de Malaca fugiu para o sul e seu filho fundou o sultanato de Johor, que abrangia Cingapura. Em 1613, os portugueses chegaram a Singapura numa expedição punitiva e incendiaram Singapura. Foi abandonado até o século 19, quando Sir Stamford Raffles, representando a British East India Company, chegou.

Ao contrário de outros europeus que mais tarde navegaram na região para tentar dividir territórios, os portugueses casaram-se com pessoas locais. Alguns de seus descendentes, também conhecidos como Kristang, acabaram migrando para Cingapura quando Malaca foi apreendida pelos holandeses em 1641.

Feng é um ensopado luso-eurasiano picante e picante de miudezas de porco em cubos. Damian D'Silva, chef executivo do restaurante Folclore Eurasian-Peranakan, diz que um bom feng requer "uma boa mistura de temperos, vísceras frescas devidamente limpas e paciência" - limpar e preparar as vísceras, o que inclui deixar ferver por horas e sentar durante a noite, pode levar dias. Apesar de suas raízes antigas em Cingapura, a culinária eurasiana é notoriamente difícil de encontrar em restaurantes, mas alguns chefs como D’Silva estão trabalhando para mudar isso.

Epok-epok

Cingapura se tornou uma colônia comercial britânica em 1819. Os britânicos, cujo governo durou até 1963, deixaram um legado de tráfego pela esquerda, o inglês como o língua franca e o sistema de direito consuetudinário. Alguns dizem epok-epok , um lanche popular, é um índio Samosa adaptado ao paladar britânico, enquanto outros dizem que foi inspirado no pastel da Cornualha. (Outros ainda dizem que vem dos portugueses empada , o que implicaria que epok-epok antecede os britânicos.)

Enquanto alguns puristas insistem que o semelhante curry puff & # 8212a lanche popular na Malásia e Cingapura & # 8212 e epok-epok não são a mesma coisa, Madame Halimah, que executa o Epok-epok de Yang com sua irmã, diz que epok-epok é simplesmente a versão malaia do curry folhado, com uma crosta mais fina e bordas apertadas com os dedos. Seu epok-epok, disponível em dois sabores (sardinha ou batata ao curry), está provavelmente entre os mais baratos em Cingapura, custando apenas S.50 (0,37) cada e é um lanche perfeito para o chá ou uma refeição rápida para viagem .

Bak kut teh

No final do século 19, Cingapura emergiu como um importante entreposto regional, dada sua localização estratégica e porto de águas profundas. Trabalhadores do sudeste da China labutavam ao longo do rio Cingapura, descarregando mercadorias de barcos de madeira de fundo chato. As origens de bak kut teh, ou sopa de costela de porco, não são claras. Pode ter sido inventado localmente para esses trabalhadores como um impulso de energia matinal muito necessário, talvez por vendedores ambulantes de Teochew - imigrantes chineses da região de Chaoshan, na província chinesa de Guangdong. Outros afirmam que a receita foi trazida da província chinesa de Fujian.

Quer você prefira o Teochew bak kut teh apimentado e leve ou a variante Hokkien mais robusta e à base de ervas, a sopa geralmente é comida com arroz cozido no vapor, pimenta vermelha picada em molho de soja escuro e, em menor grau, chá oolong forte para cortar a graxa. Quando criança, costumava fazer visitas matinais à barraca de bak kut teh com meu avô, onde bebíamos chá quente enquanto esperávamos nossos pedidos.

Siga para o principal outlet de Ng Ah Sio Bak Kut Teh na Rangoon Road para uma experiência tradicional, completa com chá oolong do mais antigo comerciante de chá de Cingapura, Pek Sin Choon.

Boletim de Notícias

Gosta do que está lendo? Assine a nossa newsletter.

Laksa

No século 20, com Cingapura erguendo a bandeira do porto livre, o comércio floresceu e atraiu carregamentos de imigrantes. A população de Cingapura saltou de cerca de 1.000 em 1819 para mais de 200.000 na virada do século, de acordo com um censo de 1901. Os imigrantes chineses representaram a maior parte (72 por cento) da população, seguidos por malaios, indianos, europeus e eurasianos de ascendência mista asiática e europeia.

Laksa , um prato de aletria de arroz grosso com camarão, bolo de peixe, tau pok (sopro de tofu) e veja hum (berbigão) em um caldo rico e picante à base de coco, guarnecido com picadinho daun kesum ( Laksa folhas), teria se originado de casamentos entre mulheres malaias locais e comerciantes e marinheiros chineses que chegaram às cidades portuárias controladas pelos britânicos e holandeses ao longo da rota das especiarias.

Em Sungei Road Laksa, o caldo é cozinhado em fogo baixo de carvão e a sopa é servida com a eficiência da linha de produção. O proprietário da segunda geração Wong Ai Tin diz que seu pai, que abriu sua barraca de carrinhos de mão em 1956, popularizou o consumo de laksa com uma colher em vez de pauzinhos combinados com uma colher. Isso talvez tenha ocorrido por necessidade, já que os clientes se amontoavam em volta do carrinho de mão e comiam laksa à beira da estrada.

Torrada Kaya

Diz-se que os imigrantes chineses da província de Hainan criaram caia torrada & # 8212toast servido com doce de coco e manteiga & # 8212 na década de 1930. De acordo com a lenda, os cozinheiros Hainan a bordo de navios britânicos estavam tentando replicar geleia de frutas, mas se contentaram com ingredientes limitados, incluindo coco, ovos e Pandan sai.

A desaceleração econômica provocada pela Grande Depressão ofereceu novas oportunidades para esses imigrantes hainaneses, que ocuparam prédios vazios de aluguel barato e abriram kopi tiams (Lojas de Café).

Heap Seng Leong é uma relíquia do tipo pisque e perca em um conjunto habitacional comum no centro de Cingapura. Shi Pong Hsu, o proprietário e mestre do café de 82 anos, dirige o show desde 1974. Seu filho de 55 anos, Shi Ting Chow, diz que pouca coisa mudou desde então: eles acabaram de aumentar o preço de torrada de kaya, de S20 (0,15) a S $ 1,20 (0,87).

Eles são Hokchew, o que significa que seus ancestrais vieram da região de Fuzhou, na província de Fujian, os Hokchew também eram conhecidos por abrir kopis. O Shi mais velho torrou o pão em uma grelha a carvão e o serviu ao lado kopi gu você (café com manteiga derretida), uma especialidade hainanesa da década de 1930. Alguns podem dizer que o brinde de kaya aqui não é nada para escrever - eu diria que não vim até aqui apenas para o brinde.

Kueh ubi kayu

As forças britânicas em Cingapura se renderam aos japoneses em fevereiro de 1942, no que Sir Winston Churchill descreveu como "o pior desastre e a maior capitulação da história britânica". Foi renomeado Syonan-to (Luz da Ilha do Sul). A ocupação japonesa de Cingapura durou de 1942 a 1945 e foi marcada por adversidades e escassez.

Kueh ubi kayu , ou bolo de tapioca cozido no vapor, é uma sobremesa do tamanho de uma mordida, consistindo de tapioca no vapor, um amido feito de raiz de mandioca, que é então coberto com coco ralado. Acredita-se que suas origens tenham origem na ocupação, quando muitos moradores foram obrigados a sobreviver com a mandioca, que cresce com facilidade e pode ser colhida a cada três meses.

Ang Tiong Guan faz kueh ubi kayu há 30 anos no Heng Heng Ondeh-ondeh e no Tapioca Cake, a barraca que ele assumiu de sua mãe após a morte dela. É um processo trabalhoso: ele e sua esposa, Ng Gek Hoe, normalmente passam mais de 12 horas por dia fazendo kueh e manejando a baia.

“Vendemos mais bolos de tapioca do que minha sogra [vendia], embora a receita seja a mesma. Talvez naquela época do pós-guerra o estigma de comer bolo de tapioca fosse muito forte ”, diz Ng. A barraca deles abre às 7 da manhã e eles geralmente se esgotam ao meio-dia.

Curry de cabeça de peixe

O curry de cabeça de peixe foi inventado em Cingapura em 1949, quando Marian Jacob Gomez, um restaurateur indiano de Kerala, quis criar um prato ao estilo do sul da Índia para atender os clientes chineses que consideravam a cabeça de peixe uma iguaria.

Por volta dessa época, Cingapura testemunhou a primeira onda de ourives indianos chegando de Tamil Nadu, que seguiram os passos dos primeiros imigrantes indianos, a maioria deles tâmeis étnicos do sul da Índia que trabalhavam como trabalhadores, agiotas e comerciantes. Houve até alguns presidiários que decidiram se estabelecer em Cingapura depois de cumprir suas penas.

“Hoje, turistas da Índia vêm ao nosso restaurante e alguns ficam chocados ao ver que o curry de cabeça de peixe está no cardápio, já que o prato não existe na Índia”, diz Nagajyothi Mahendran, proprietário da terceira geração do Samy's Curry . Mahendran diz que seu avô, M Veerasamy, começou a cozinhar o prato em uma loja & # 8212 um prédio de uso misto & # 8212 na década de 1960.

O Curry de Samy, agora instalado em uma casa colonial de 5.000 pés quadrados, serve cerca de 50 potes de barro do prato todos os dias. Opte pelo arroz biryani e não se esqueça de dobrar sua folha de bananeira ao meio, para dentro de si, mantida no lugar por seus talheres, quando terminar de comer & # 8212a etiqueta básica da folha de bananeira.

Arraia sambal

A relação de Cingapura com a Malásia é complicada, para dizer o mínimo. Os anos do pós-guerra foram uma época de agitação social, desemprego e sentimentos anticoloniais em Cingapura, que culminou no estabelecimento da Federação da Malásia em 1963 - unindo Cingapura, Malásia, Sarawak e Bornéu do Norte sob uma única bandeira. A união não duraria - Cingapura saiu apenas 23 meses depois.

Tal como acontece com muitos pratos locais na Malásia e Cingapura, há um debate contínuo sobre a origem do sambal arraia. Dependendo de para quem você perguntar, pode ser um prato da Malásia que ganhou popularidade em Cingapura ou uma criação malaia de Cingapura que é comumente vendida por vendedores ambulantes chineses. O que concordamos é que este prato mudou sozinho o destino da arraia, que já foi um peixe impopular. Apesar de ser classificado como uma espécie sobreexplorada pelo World Wildlife Fund (WWF), ainda é um peixe relativamente barato em Cingapura hoje.

Normalmente coberto com pasta de chili sambal apimentado e aromático, embrulhado em folha de bananeira e grelhado, este prato é um dos pilares do centro de vendedores ambulantes - Chomp Chomp BBQ no Fengshan Market & amp Food Centre faz uma versão bastante decente, melhor apreciada com um aperto de limão calamansi antes servindo. Chinchalok , um molho picante e pungente de molho de camarão fermentado, é opcional.

Kacang puteh

Antes que os aparelhos de televisão se tornassem comuns em Cingapura, o cinema era a principal fonte de entretenimento para muitos cingapurianos, seu apelo era amplo, com exibições de filmes americanos, britânicos, chineses, malaios, hindus e tamil.

Kacang puteh , Malay para “feijão branco” é uma seleção de nozes, biscoitos e leguminosas de grão. A mistura era tradicionalmente embalada em cones feitos de jornal e vendida por vendedores de carrinhos de mão fora dos cinemas. Esses carrinhos geralmente continham uma variedade de lanches, incluindo castanha de caju torrada, grão de bico cozido no vapor, amendoim coberto de açúcar e Murukku , um petisco indiano crocante e saboroso.

A indústria do cinema local conseguiu sobreviver à ocupação japonesa durante a Segunda Guerra Mundial, mas sofreu um golpe na década de 1980 com o surgimento de videocassetes e da pirataria galopante. O menor comparecimento ao cinema significou menos clientes, com a chegada dos cineplexes eventualmente soando como a sentença de morte para os vendedores de kacang puteh. Esses cineplexes modernos geralmente vêm com barracas de comida e bebida contíguas e regras rígidas sobre o consumo de lanches comprados em outros lugares.

Amirthaalangaram Moorthy é um vendedor de kacang puteh de terceira geração cuja barraca fica perto de um ponto de ônibus na Selegie Road, fora do Peace Center - muito longe do agora demolido Hoover Theatre em Balestier, onde seu pai costumava montar sua barraca. Ele ainda faz a maior parte dos salgadinhos do zero com esmero, mas em face dos pacotes baratos e brilhantes de salgadinhos de festa produzidos na fábrica e estocados em lojas de conveniência e supermercados, ele enfrenta uma concorrência acirrada.

Mala Xiang Guo

In the 1990s, facing an aging population and declining fertility rates, Singapore opened up to immigrants and foreign workers. Between 1990 and 2015, Singapore’s population increased by 82 percent, among which citizens grew by 29 percent, permanent residents by 371 percent, and non-residents by 424 percent, according to government statistics, with most new immigrants hailing from Malaysia, China, and India.

The influx of new immigrants has contributed to the continued evolution of the Singaporean foodscape. Mala xiang guo , a fiery, mouth-numbing stir-fry of vegetables from southwestern China, has become popular in Singapore in recent years.

Stall owners Mao Congfang and Wu Zhansheng, who migrated from China’s Henan province in 2005, opened Ri Ri Hong Mala Xiang Guo, and are widely credited with popularizing the dish in Singapore.

“We’ve tweaked the dish to be less greasy and less salty to accommodate local preferences,” Mao said, adding that in the beginning, most of their clientele were recent immigrants from China. “Today, half our customers are locally born Singaporeans.”


#4 Masjid Sultan

Where: 3 Muscat Street, Kampong Glam (nearest MRT is Bugis)
Quando: Monday to Thursday and weekends, 10am-12pm, 2pm-4pm Friday, 2:30pm to 4pm

The gleaming gold domes of Masjid Sultan (or Sultan Mosque) make it an instantly recognisable landmark in Singapore’s Kampong Glam district. While the current building dates to 1932, a mosque first stood in the area from 1824. By the start of the 20th century, it had become too small to house Singapore’s growing Islamic community. A new building was planned as a result it was designed by Denis Santry, a member of the island’s oldest architectural firm, Swan & Maclaren, and a former president of the Institute of Architects of Malaya. It took four years to build.

From 2014 to 2016, a S$3.65 million facelift saw the mosque renewed, rewired and retiled, with new facilities added including lifts for the elderly.

A great time to visit the area is during Ramadan, the Muslim month of fasting, when there are night markets to see and food stalls to enjoy. And, when COVID-19 restrictions aren’t in place, it’s possible for non-Muslim visitors to do a free-and-easy tour around the permitted areas of the mosque by themselves. Visit sultanmosque.sg to find out more.

  • The mosque doesn’t fit precisely into Singapore’s urban planning grid, because it’s oriented in the direction of Mecca.
  • The base of each of the two huge gold onion domes is decorated with the ends of glass bottles. These were collected by Sultan Hassan Shah as donations from poor Muslims, so they too could be involved in the construction.

History of Chinatown

O original kampong was divided into zones for each Chinese community of the same provincial origin and dialect group. The Cantonese occupied Temple Street. The Hokkiens were located in Telok Ayer Street and Hokkien Street, while the Teochews were settled in South Canal Road, Garden Street and Carpenter Street. Different trades were also confined to specific areas, so each street took on its own identity. From delicacies to death-houses, there were businessmen, traders, craftsmen, hawkers and peddlers to provide all of the peoples’ needs.

Chinatown’s physical development began from 1843, when more land leases and grants for homes and trade were awarded – particularly around Pagoda Street, Almeida Street (today’s Temple Street), Smith Street, Trengganu Street, Sago Street and Sago Lane. In John Turnbull Thomson’s 1846 map, this ethnic quarter expanded to the area demarcated by Telok Ayer Street, Singapore River, New Bridge Road and Pagoda Street. Developed areas by this time included Upper Macao Street (today’s Upper Pickering Street), Upper Hokkien Street, Upper Chin Chew Street, Upper Cross Street and Mosque Street.

Due to the overcrowding and congestion, major upgrading of shophouses and new developments took place at the end of 1983, and the street hawkers were housed in Kreta Ayer Complex. Contrary to its name, Chinatown is not exclusively Chinese. It also had small communities of Indian traders around the junction of South Bridge Road and Upper Cross Street Indian temples and Muslim mosques can be found in the area too.


12 Places to Explore Singapore History |

Keen to learn more about Singapore’s past? Start with a visit to some of the key historical sites dotted around the island. These can be found everywhere, from Sentosa in the south to Kranji in the north, and from west to east too they’re at beaches, in buildings, in parks and under the ground! Here we take a look at 12 of the prominent ones where Singapore history comes to life.

Where: 2 Cox Terrace, Fort Canning Park (short walk from Dhoby Ghaut MRT)
Quando: Thursday to Sunday, 9.30am – 5.30pm

Among the best known of Singapore’s military sites, the Battlebox in Fort Canning is home to an authentic secret WWII Command Centre built nine metres underground in the 1930s there’s a labyrinth of rooms and corridors to explore, along with wartime artefacts to check out.

The most important area is what’s referred to as the “Surrender Conference Room”. It was here that Lieutenant-General AE Percival met with his generals on the morning of 15 February 1942 to decide whether or not to surrender to the invading Japanese army.

You can visit the Battlebox via a 30-minute guided tour. Find out more at battlebox.com.sg .

  • Despite the name given to the underground complex, no fighting actually took place here in WWII.
  • There were 29 rooms in the Battlebox, including the signal room and the cipher room, with vacuum suction tubes used to pass messages from room to room.

Where: 18 Raffles Quay (Telok Ayer or Downtown MRT)
Quando: Open 24 hours (depending on the stall)

Lau Pa Sat started life as a small fish market in 1824 the iron structure we know today was erected in 1894. It was built using prefabricated cast iron, in the same manner as the Eiffel Tower in Paris (and only a few years later than it). Today, it’s among Southeast Asia’s oldest Victorian structures.

After this part of Singapore was entirely transformed as a commercial district in the 1960s and 1970s, the market, known as Telok Ayer Market, was converted to a hawker centre. More disruptions followed, with the building of an MRT tunnel below the site in the late 1980s. The cast-iron structure was entirely dismantled and put into storage at the time, before being put back together in 1989. That’s when it was renamed Lau Pa Sat.

  • “Pa Sat” comes from the Hokkien version of the Persian word “bazaar”.
  • The iron Lau Pa Sat building was designed by 19th-century municipal engineer James MacRitchie, whose name is well known from the title of one of Singapore’s main reservoirs.

Where: 93 Stamford Road (near City Hall MRT and three other stations)
Quando: Daily, 10am-7pm

Originally known as Raffles Library and Museum, the National Museum has a history of over 170 years. It’s been in the current location on Stamford Road since 1887 the official opening in that year took place on the Golden Jubilee of Queen Victoria.

The museum developed in the 20th century, with extensions carried out in various decades. Luckily, it was left alone during the Japanese Occupation in the Second World War. The most iconic display for much of the century was a 13-metre skeleton of a blue whale, which hung from the ceiling until 1969.

Major renovations in the early 2000s included the introduction of a stunning glass-clad rotunda inspired by famous architect IM Pei, who designed the glass pyramid at the Louvre.

  • The National Museum is home to 11 “precious artefacts”, including the Singapore Stone, an inscribed slab of rock found in the Singapore River and possibly a thousand years old.
  • Look closely at the building exterior and you’ll see sculptures of unicorns in the façade. These represent Scotland, whose official national animal is the unicorn. (No, really!)

Where: 3 Muscat Street, Kampong Glam (nearest MRT is Bugis)
Quando: Monday to Thursday and weekends, 10am-12pm, 2pm-4pm Friday, 2:30pm to 4pm

The gleaming gold domes of Masjid Sultan (or Sultan Mosque) make it an instantly recognisable landmark in Singapore’s Kampong Glam district. While the current building dates to 1932, a mosque first stood in the area from 1824. By the start of the 20th century, it had become too small to house Singapore’s growing Islamic community. A new building was planned as a result it was designed by Denis Santry, a member of the island’s oldest architectural firm, Swan & Maclaren, and a former president of the Institute of Architects of Malaya. It took four years to build.

From 2014 to 2016, a S$3.65 million facelift saw the mosque renewed, rewired and retiled, with new facilities added including lifts for the elderly.

A great time to visit the area is during Ramadan, the Muslim month of fasting, when there are night markets to see and food stalls to enjoy. And, when COVID-19 restrictions aren’t in place, it’s possible for non-Muslim visitors to do a free-and-easy tour around the permitted areas of the mosque by themselves. Visit sultanmosque.sg to find out more.

  • The mosque doesn’t fit precisely into Singapore’s urban planning grid, because it’s oriented in the direction of Mecca.
  • The base of each of the two huge gold onion domes is decorated with the ends of glass bottles. These were collected by Sultan Hassan Shah as donations from poor Muslims, so they too could be involved in the construction.

Where: 80 Telok Ayer Street, Far East Square (Chinatown and Telok Ayer MRTs are both close by)
Quando: Daily, 10am-10pm

This is thought to be one of Singapore’s very early Chinese temples, if not the earliest, dating back as far as 1820. It was only a tiny shrine at the time, built by Hakka and Cantonese immigrants.

Aside from honouring the god Tua Pek Kong, who was worshipped by Confucianists and Taoists, the temple would also become a headquarters for the Hakka and Cantonese communities. It was restored in 1869 and again in 1990, when it reopened as a small museum.

It’s worth a visit today, not just to look at the museum’s bits and bobs, but also for the incongruous sight of the tiny temple facade sitting side by side with modern shophouses and across the road from office skyscrapers.

  • Today, the temple also serves as part of the premises of boutique hotel AMOY.
  • In 2015, the temple’s timber beams were found to be suffering from termite infestations they were repaired using new waterproofing technology.

Where: Siloso Road, Sentosa (take the Sentosa Shuttle, or park at Beach Station Car Park and walk)
Quando: Daily, 9am-6pm

This well-preserved coastal fort once functioned as a key part of the country’s defences it was one of 12 gun batteries of this kind along the coast. The top section of Mount Siloso was demolished in the 1870s to provide a platform for the military installation.

There’s a popular old story that, during the Second World War, the guns were “pointed the wrong way” that’s why they couldn’t halt the Japanese advance from the north. In fact, several of the guns were able to rotate 360 degrees, and they did indeed fire to the north. The bigger problem was that they used armour-piercing shells designed for ships, and weren’t accurate enough to use against ground troops.

Today, you can visit the Surrender Chambers at Fort Siloso and see an interactive video documentary, complete with wax models of Japanese and British troops. There’s also a rich mine of WWII relics on the site, including coastal cannons, the ruins of reinforced military facilities and tunnels and more.

  • The newly built Skywalk trail at Fort Siloso gives a great aerial view of the site from 11-stories above the ground.
  • The fort likely gets its name from the Malay word for “rock”, though another origin is said to be the Spanish/Tagalog word for “jealous”.

Where: 11 St Andrew’s Road (near Esplanade MRT)
Quando: Daily, 9am-6pm

St Andrew’s Cathedral is located on the site of the earlier St Andrew’s Church. This original structure was first allocated a plot in the 1822 Town Plan of Sir Stamford Raffles, and erected in 1836.

One feature of the old church was the Revere Bell, an 80cm copper bell with clapper that was presented as a gift by Mrs Maria Revere Balestier, the daughter of Paul Revere. Today, the bell is in the National Museum, and is looked upon as a symbol of friendship between Singapore and the United States.

A spire was added to the original church building in 1842, but it didn’t have a lightning conductor. The church went on to suffer two lightning strikes, in 1845 and 1849, before being declared unsafe, then closed and demolished.

The cathedral rose in its place, and today serves as the “mother church” of more than 20 parishes and 50 congregations across Singapore.

  • Among the materials used to build the cathedral was chunam , a type of plaster made by steeping coconut husks in a mix of water, egg white, lime from shells, and sugar.
  • The cathedral takes its name from the patron saint of Scotland this is to honour the members of the Scottish community of Singapore who helped finance its construction.

Where: 9 Woodlands Road (10-minute walk from Kranji MRT)
Quando: Daily, 8am to 6.30pm

The Kranji War Memorial consists of three cemeteries that honour Commonwealth military personnel who died in the line of duty during the Second World War. These include men and women from the three branches of the military – Air Force, Army and Navy – and from as far afield as the UK, Australia, New Zealand, Canada, Sri Lanka, India, Malaya and the Netherlands.

Large memorial services are held here each year when pandemic restrictions allow, including on Anzac Day (25 April) and on the Sunday closest to Remembrance Day (11 November). On other days, guides are available to lead visitors through the cemeteries and explain details of their historical significance.

  • There are over 4,000 military personnel buried at Kranji, of which more than 800 are unidentified.
  • The site is also home to the State Cemetery, where Singapore’s first two presidents (Yusof bin Ishak and Benjamin Henry Sheares) are buried.

Where: 244 South Bridge Road (close to Chinatown and Telok Ayer MRT stations)
Quando: Daily, 6am-9pm

Built in 1827, Sri Mariamman Temple is not only the oldest Hindu temple in Singapore, but also one of the city’s oldest structures. It was founded by Indian entrepreneur Naraina Pillai, a Penang government employee who travelled with Sir Stamford Raffles on his second visit to Singapore in 1819.

During the colonial period, the temple served as a focal point for community events in addition to worship. It was even home to the Hindu Registry of Weddings, as it was the only place permitted to sanction Hindu marriages at the time.

The amazing roof tower of sculptures and ornaments is known as a gopuram . All the objects are made of plaster and painted a variety of bright colours.

  • The temple was one of eight structures in Singapore that were the first to be gazetted as national monuments, in June 1973. To date, 73 buildings that have been recognised in this way, with the most recent additions being three bridges (Cavanagh, Elgin and Anderson) in 2019.
  • An annual fire-walking ceremony known as Theemithi is carried out here in October and November.

Where: Kent Ridge Park (parking on Vigilante Drive)
Quando: Daily

One of the decisive fights of the Second World War was waged at Pasir Panjang (it’s also known as the Battle of Bukit Chandu). The waterfront and British military depots here were considered valuable prizes by the Japanese.

An intense two days of combat (12-14 February 1942) saw Malay, British, Australian and Indian troops battalions commanded by Second Lieutenant Adnan bin Saidi take on the well-armed Japanese 18th division. The Allied forces fought to the end, even engaging in hand-to-hand combat to hold the ridge. But with their accompanying air support, the Japanese proved too strong.

One day after the battle was lost, the British surrendered.

Today, Kent Ridge Park, Labrador Park and the museum known as Reflections at Bukit Chandu (currently closed for restoration) serve as a memorial to the soldiers’ bravery and sacrifice, as well as a representation of Singapore’s defence. In the 47-hectare Kent Ridge Park, you can find informative boards and sites on the history of the area.

  • Before its important role in WWII, Pasir Panjang Ridge was used for growing rubber, pepper and pineapples until 1910, there was also an opium factory at the base of the hill.
  • Pasir Panjang means “long sand” in Malay, a reference to the beach that once sat at the foot of the ridge.

Where: 158 Telok Ayer Street (nearest MRT station is Telok Ayer)
Quando: Daily, 7.30am to 5.30pm

Thian Hock Keng is Singapore’s oldest and most famous Hokkien temple, opening as a modest “joss house” as early as 1821. It was built in honour of Mazu (Ma Cho Po), the Guardian of Sojourners, and Chinese immigrants would pay their respects there in exchange for a safe journey.

While it received a few modifications over the decades (a wrought-iron gate made in Glasgow was added in 1906), the first major project of restoration took place between 1998 and 2000. The work received a prestigious UNESCO Asia-Pacific Heritage 2001 Award for “Culture Heritage Conservation”.

When you visit, keep an eye out for the many dragon motifs, stone lions, coloured tiles and beautifully lacquered wood.

  • When it was first built in Raffles’ Day, the temple was lapped by the sea. Today, thanks to the process of land reclamation in Singapore, it’s in the middle of a busy downtown area, with not a whiff of the ocean!
  • The temple was constructed without the use of a single nail.

Where: Stamford Road, between Raffles Hotel and the Padang (closest MRT: Esplanade)
Quando: Daily

During the Japanese occupation of Singapore from February 1942 to September 1945, it’s estimated that as many as 50,000 people were killed. The Civilian War Memorial close to the Padang honours these World War II civilian deaths, while representing multiracial unity within Singapore.

Former Prime Minister Lee Kuan Yew inaugurated the monument on 15 February 1967, on the 25th anniversary of Singapore’s surrender to Japanese forces. It was officially recognised as a national monument in 2013.

  • The four white pillars of the monument are identical in size and style they rise more than 65 metres above the peaceful park below.
  • A common nickname given to the structure is “The Chopsticks”, for obvious reasons!

For more helpful tips, head to our Living in Singapore section.

12 Places to Explore Singapore History |Source link 12 Places to Explore Singapore History |


  • Region: Asia
  • Population: 5.6 million (2018)
  • Area: 720 square kilometres
  • Capital: Singapore
  • Joined Commonwealth: 1965, on leaving the Federation of Malaysia and becoming an independent state
  • Commonwealth Youth Index: 11 out of 49 countries

Human rights

In February 2018, the Secretariat helped Singapore learn about the relationship between human rights institutions, Members of Parliament and business leaders.

Youth

The Commonwealth Youth Programme helped a young person from the Singapore National Youth Council build leadership skills.

It also worked with Singapore to build its youth work skills.

Recursos naturais

The Secretariat helped Singapore’s government learn about the development of international rules for seabed mining. It also helped Singapore prepare to negotiate with the International Seabed Authority (ISA).

High-tech economy

Singapore built its economy on assembling electrical items and oil refining. From the 1970s, the government invested in export- and trade-led growth. It became a world leader in electronics, pharmaceuticals and financial services.

More recently, it has sought to encourage tourism, as well as innovation and research in high-tech sectors such as biotechnology.

Today, Singapore’s port is one of the busiest in the world. Its strong economy and international trade have led it to become a wealthy country with a high income.


Index

Geografia

The Republic of Singapore consists of the main island of Singapore, off the southern tip of the Malay Peninsula between the South China Sea and the Indian Ocean, and 58 nearby islands.

Governo
History

Inhabitants of the Malaysian peninsula and the island of Singapore first migrated to the area between 2500 and 1500 B.C. (Vejo Malaysia). British and Dutch interest in the region grew with the spice trade, and the trading post of Singapore was founded in 1819 by Sir Stamford Raffles. It was made a separate Crown colony of Britain in 1946, when the former colony of the Straits Settlements was dissolved. The other two settlements on the peninsula?Penang and Malacca?became part of the Union of Malaya, and the small island of Labuan was transferred to North Borneo. The Cocos (or Keeling) Islands and Christmas Island were transferred to Australia in 1955 and in 1958, respectively.

Singapore attained full internal self-government in 1959, and Lee Kwan Yew, an economic visionary with an authoritarian streak, took the helm as prime minister. On Sept. 16, 1963, Singapore joined Malaya, Sabah (North Borneo), and Sarawak in the Federation of Malaysia. It withdrew from the federation on Aug. 9, 1965, and a month later proclaimed itself a republic.

Under Lee, Singapore developed into one of the cleanest, safest, and most economically prosperous cities in Asia. However, Singapore's strict rules of civil obedience also drew criticism from those who said the nation's prosperity was achieved at the expense of individual freedoms.

S. R. Nathan was declared president without an election when he was certified as the only candidate eligible to run in 1999 elections. In Aug. 2004, Lee Hsien Loong became the country's third prime minister since Singapore gained independence from Britain in 1965. Lee faced his first electoral challenge in May 2006. His People's Action Party (PAP) won 82 out of 84 seats in parliamentary elections.

In Singapore's May 2011 general election, the ruling People's Action Party was reelected with a majority of 81 to 6, which was the equivalent of 60% of the vote. This percentage was viewed as promising by the opposition, as it was significantly less than in the two previous elections. After the elections, prime minister Lee Hsien Loong uncharacteristically acknowledged mistakes and pledged a more efficient government in the future.

Following on the heels of the general election, August's presidential election saw a field of four candidates from which the ruling party's Tony Tan emerged victorious. Though favored to win, Tan's triumph was not exactly a landslide?the 7,000 vote margin was the equivalent of 35.2% of the vote.

Singapore's Founding Father Dies

Lee Kwan Yew, Singapore's first prime minister, died in March 2015 at age 91. Tens of thousands of mourners turned out to pay their respects. Many waited as long as eight hours to view his coffin. Lee is credited with creating one of the wealthiest, most educated, cleanest, and safest countries in Asia. However, critics said such benefits came at the expense of individual rights.

Six months after the death of Lee Kwan Yew, the People's Action Party took 83 of 89 seats in parliament in an early election. With over 70% of the vote, it was a strong victory for the ruling party whose leader, Lee Hsien Loong, 63, is the son of the late Lee Kuan Yew.


Singapore History

It might look ultra-modern but Singapore is a city with a history that dates back almost two millennia. Although given a mention by Ptolemy in the 2nd century and later by a 3rd-century Chinese manuscript, it wasn&rsquot until another 1,000 years later that Singapore properly began.

In 1299, the Kingdom of Singapura was founded by Sang Nila Utama, a prince from Palembang in Indonesia. After spotting a lion, he concluded that the island was a perfect spot for a city, which he promptly named Singapura (Lion City). Despite Utama&rsquos high hopes, the growing settlement was repeatedly dragged into conflicts among the Malay sultanates, Siamese kingdoms and Indian empires until the British arrived in 1819.

First through the door was globe-trotting adventurer Thomas Stamford Raffles, who claimed Singapore for the British East India Company. Recognising its maritime potential, he invited settlers to relocate to the area and by 1880, 1.5 million tonnes of goods were passing through the city each year. By the turn of the century, Singapore had become one of the most important cities in the British Empire, albeit one with a reputation for colourful (and often illegal) goings-on in poorer parts of town.

But dark clouds were on the horizon and although it was unscathed during WWI, it wouldn&rsquot be so lucky the second time around. In December 1941, the invading Japanese landed on the Malaya Peninsula and just under two months later, Singapore surrendered and a three-year occupation (marked by the ruthless brutality of the Japanese forces) began. Finally liberated in August 1945, governance was taken over by a military council before elections were held in 1948.

Singapore was part of Malaysia when they were given independence in 1959, but it later took control of its own destiny and declared independence from Malaysia in 1965. After a number of teething problems, Singapore began to boom, with the pace picking up in the 1980s and 90s. Today, the city is a global commerce, finance and transport powerhouse.

Você sabia?
&bull The Cloud Forest in the Gardens by the Bay houses the world&rsquos tallest indoor waterfall at 35m (115ft).
&bull Singapore has 63 offshore islands surrounding the main island with Sentosa being the largest.
&bull The Irishman George D. Coleman became Singapore&rsquos first official architect from 1833. His Palladian style set the tone for the city&rsquos early development.


Assista o vídeo: A HISTÓRIA DE SINGAPURA